A Gestão de Conhecimento Pragmática aplicada às empresas – Parte 2

Continuação de: A Gestão de Conhecimento Pragmática aplicada às empresas – Parte 1

Gestão do Conhecimento Pragmática

A Gestão do Conhecimento Pragmática é uma proposta de abordagem que objetiva potencializar ao máximo a efetividade das iniciativas de KM através da identificação de condições favoráveis para a criação de projetos-pilotos que venham a ser implementados com sucesso no futuro.

As principais características desta abordagem são:

  • Ação localizada em um ambiente que seja culturalmente mais propício;
  • Naturalidade das iniciativas;
  • Reprodução do exemplo.

Para isso, é necessário que se identifique grupos que possuam características em comum que sejam favoráveis a um ambiente colaborativo e iniciativas/problemas com potencial para projetos de sucesso.

A princípio, iniciativas que têm grandes componentes de interações complexas são as candidatas mais naturais, principalmente quando:

  • Possibilitam e estimulam a colaboração entre pessoas, sistemas e empresas;
  • Implementam ou incentivam novos métodos e competências de liderança;
  • Aumentam o potencial de times e o desenvolvimento de comunidades;
  • Estendem o modelo organizacional, ao multiplicar o impacto das redes, sejam elas sociais (pessoas) ou técnicas (aplicações e sistemas);
  • Auxiliam na formalização das técnicas de gestão do conhecimento;
  • Motivam a evolução pessoal e profissional dos talentos envolvidos.

É imprescindível para que projetos deste tipo tenham sucesso, um patrocinador da alta gestão da empresa. Logo o resultado do piloto, ou seja, a própria utilização da abordagem da Gestão do Conhecimento Pragmática, deve ser utilizada para ganhar, ou mesmo ratificar, tal patrocínio.

Conclusão

A Gestão do Conhecimento, deve começar nos locais mais propícios da empresa, porém sempre com o objetivo de reproduzir o exemplo para que se chegue à solução corporativa.

O principal ponto, seguindo esta abordagem, é que a solução corporativa não será imposta de forma uniforme e top-down para a empresa, mas sim como conseqüência da adoção real das iniciativas pontuais.

Desta forma, o investimento necessário é dosado de acordo com o sucesso das iniciativas e os próprios benefícios gerados nas áreas já atendidas pela solução servem de argumento para o convencimento dos executivos e dos demais potenciais clientes.

A Gestão do Conhecimento vem se comprovando como uma filosofia de gestão que pode trazer ótimos resultados para as empresas, em médio/longo prazo. Este fato é evidenciado pela efetiva criação de um diferencial competitivo intangível, que concorrente nenhum consegue copiar. A Gestão do Conhecimento emerge assim como uma das últimas fontes de vantagens competitivas estruturais.

De Gabriel Renault Magalhães com a colaboração de Marta Abrão.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


× dois = 14

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>