xHTML para HTML5: Dicas para desenvolvedores

Olá PTIs!!!

Faz tempo que não contribuo com o blog, sabe como é… faculdade, Proinpes, novo trampo… a vida de repente ficou bem mais interessante ;)

Mas… não é sobre isso que “vim falar” hoje. Quero continuar um assunto que tenho erguido ultimamente aqui no PTI, o HTML 5.

HTML 5!Como prometi, utilizei alguns clientes como “cobaia” e tive resultados extremamente opostos: um caso foi um sucesso, e outro definitivamente não. Antes que venham com aquela velha conversa de “eu avisei”, devo relatar que a nível técnico os dois projetos foram um tremendo sucesso, devo relatar também a facilidade de se desenvolver com HTML5 (mesmo não utilizando seus recursos avançados)… mas, o fator que gerou o “insucesso” do segundo projeto foi justamente o velho problema de todo desenvolvedor Web: navegadores obsoletos.

O primeiro projeto tinha como cliente uma pessoa antenada, que sabia a sua necessidade e público alvo. O segundo, tinha uma pessoa que “queria gastar pouco” e que não queria “firulas”… ah! Queria que seu site fosse visto no IE, TODOS! E no Firefox que ele tinha na máquina (que para a minha infelicidade era o Firefox 2) :(

Após passar por essa “prova de fogo”, vou dar uma resumida na experiência absorvida e vou passar algumas dicas para você que quer passar a usar HTML5, mas não quer se traumatizar.

Primeiro: Tenha certeza que é isso que você quer!

Não existe um “HTML5 Transitional”, como é o caso do xHTML (esse modo foi muito útil quando passei a utilizar padrões). Por isso, tenha conhecimento de: Ou é HTML5, ou não é!

E você vai ter problemas sim, e vai ter que recorrer a hacks sim! Não existe mágica, não existe um mundo perfeito… não enquanto navegadores como o IE6 continuarem dominando o mercado. E do que o mercado de navegadores é constituído?! Grande parte de usuários conhecidos por “internautas comuns”, sem grande conhecimento técnico. Então, como não podemos obrigar o indivíduo a atualizar a versão do seu navegador, vamos tentando garantir cada vez mais a interoperabilidade através de hacks para ter como resultado:

  • Que você não fique amarrado ao passado, ao obsoleto, e desfrute do que o mercado dos bons navegadores têm a oferecer;
  • Que usuários que não possuam bons navegadores ou pelo menos atualizações decentes, possam desfrutar do conteúdo que você está oferecendo.

Até aí, normal como em xHTML ;)

HTML5 para conservadores

Para garantir maior interoperabilidade, você não pode sair utilizando recursos avançados como drag and drop, audio e video. A não ser que você tenha bem definido o seu público alvo…

Parece-me que o Gecko 1.9.1 (Firefox 3.5) já tem suporte a esses recursos, mas o Opera (o recurso drag and drop, por exemplo) não. Então, a não ser que você esteja muito seguro de sí… é interessante pensar em alternativas (como o Flash para áudio/vídeo e Javascript para drag and drop).

No caso do Canvas, considere o uso de SVG… dá mais trabalho, é verdade… mas a probabilidade de funcionar em outros browsers é muito maior.

No hagenburger.net tem um post magnifíco chamado HTML5 / XHTML5 with CSS for Safari, Firefox, Opera & IE onde o autor explica como fazer um HTML5 funcional mesmo em navegadores sem suporte (como foi o meu caso)… nos comentários, outros internautas colaboraram com alguns hacks interessantes.

HTML5 para inovadores

Se você queria inovar, leu o título anterior e… desmotivou. Calma! O HTML5 está aí para ser usado, e alguns de seus recursos mais famosos já estão disponíveis para:

Para variar… todos os bons navegadores ;)

O detalhe, como no caso do Firefox, é que este suporte foi adicionado nas últimas versões. Então, internauta… se você usa IE, troque por um bom navegador! Mas não esqueça de mantê-lo atualizado.

Ainda em dúvida?

Visite os links abaixo… e sinta a “vibração” em torno do HTML5:

  • htmlfive.appspot: Coleção de recursos da HTML5… surpreenda-se com os novos níveis de interatividade
  • A evolução para HTML5: Um artigo bem interessante de Bruno Puga sobre o assunto.
  • A história do HTML: Artigo do excelente CSS no Lanche… para aqueles que insistem em não entender os princípios da Web
  • HTML5 Canvas and Audio Experiment: Me canso de ouvir gente defendendo o Flash por causa do “sentimento”… depois de ver isto?! Restam dúvidas do potencial “flash-killer” do HTML5?
  • HTML5 Doctor: Com dúvidas em HTML5? Chame o doutor ;)
  • HTML5 Gallery: Inspire-se… galeria de trabalhos em HTML5

Até a próxima…


Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pelo Centro Universitário de Jaraguá do Sul (UNERJ), Técnico em Informática com ênfase em Sistemas de Informação pelo Centro Politécnico Geraldo Werninghaus (CEPEG). Desenvolvedor Web defensor dos padrões Web. Usuário Linux, apaixonado por Python. Escreve quando pode no http://www.klauslaube.com.br.

4 Comentários

Chris Benseler
1

Cada dia me vejo mais entre a cruz-e-a-espada: adotar ou não todas essas funcionalidades bacanas?
E vale a pena correr esse risco de ter muito retrabalho?
Sempre complexo, mas ainda quero implementar um projeto com HTML5…

Klaus Peter Laube
3

@Chris
Bem nessa situação que me sentí… mas se encararmos que praticamente tudo o que fazemos gera um certo re-trabalho no IE… é só uma questão de medir o quanto de HACK deverá ser feito.
@Daniel
Obrigado pela dica…

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

*

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>