Premissas Básicas do Fracasso – O “I” da TI

Nos muitos anos de experiência na área, pode-se dizer que já vi de tudo e mais um pouco.

O que mais me chama a atenção, ainda hoje, é que, invariavelmente, um grande número de empresas ainda enfrenta problemas primários com suas soluções de TI.

O primarismo a que me refiro diz respeito muito mais ao uso do que as ferramentas existentes. Em termos de tecnologia, podemos dizer que somos bombardeados com uma avalanche de novos recursos de TI diariamente. Entretanto, boas práticas de uso destes recursos não evoluem na mesma proporção.

Prova disto é que o número de casos de insucesso nos projetos de implementação de soluções é enorme. Se você é da área, pense um pouco e , com certeza , se lembrará de meia dúzia de casos enrolados que estão em andamento neste exato momento.

Analisando alguns casos de insucesso, pude constatar que, invariavelmente, projetos equivocados de TI poderiam ser explicados muito mais a partir de uma  avaliação do I do que do T.

Podemos perceber a importância do I, simplesmente considerando a interação dos interlocutores chaves no âmbito de um projeto.

  • A informação que se obtém depende dos usuários.
  • A informação que se recebe depende de uma tradução dos analistas.
  • A informação que se constrói depende de uma tradução em algoritmos por parte dos desenvolvedores.
  • A informação que se espera, ao final, fica a cargo de quem pagou ou esta pagando pelo projeto.

Imagine, agora, o enorme esforço que estes elementos precisam fazer para que estas informações trafeguem de uma mente à outra sem comprometer sua integridade.

Por mais espetacular que seja a Tecnologia adotada, fica fácil concluir que, basta haver um acumulo de equívocos cognitivos no trafego acima e teremos o Caos completo em alguns meses de projeto.

É preciso reorientar o foco e, o mais rápido possível, entendermos que o indivíduo é a chave do sucesso num projeto de TI.

Pessoas com excelente conhecimento técnico existem aos montes no mercado, mas são raríssimos os profissionais que conseguem garantir a fluidez e a qualidade da informação ( tão cara ) nos limites de um cenário com interlocutores tão díspares.

Contribuição de Americo Lopesboaspraticasdeti.blogspot.com

3 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


8 + sete =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>