Carreira em TI: Dicas para escrever seu currículo em inglês

Uma das grandes dificuldades para as pessoas da área de TI é, muitas vezes, escrever um bom currículo em inglês. E ter um currículo em inglês, é essencial, já que inglês é tão importante quanto saber lógica de programação.

Vou apresentar nesse post um exemplo de um currículo e dar algumas dicas do que você pode fazer para turbiná-lo e deixar bem apresentável.

Na área da TI, um bom currículo não se avalia pela quantidade de páginas que tem. Aliás, não existe uma quantidade X de páginas que um currículo deve ter (pode ser diferente em outras profissões). Tudo depende da experiência que cada um tem, de quantos projetos e empresas que já passou. O mais importante é colocar as informações essenciais e não encher linguiça.

Um outro ponto importante é escrever o currículo em 3ª pessoa. Lembre-se que currículo é um documento, e não uma cartinha que está escrevendo.

A chave principal é como você organiza o currículo: as informações mais importantes e mais relevantes para o empregador devem vir primeiro. Siga a ordem: dados de contato, resumo profissional, experiência, escolaridade, etc. Assim, quem estiver analisando seu currículo já vai saber se você tem o perfil necessário para preencher a vaga.

Um bom currículo deve começar com seu nome seguido ou não dos seus dados pessoais (pode colocar no final do currículo). Pausa para explicação: dados pessoais são os seus dados de contato. Peloamordedeus, não coloque RG, CPF, endereço. Se o empregador quiser saber esses dados, ou vai te perguntar na entrevista ou vai pedir isso explicitamente no anúncio da vaga. Se o empregador não pedir explicitamente, não coloque. Só vai deixar o currículo mais feio. Coloque apenas nome, telefone de contato e email.

Logo após o seu nome ou dados pessoais, vem o sumário. O sumário é um resumo da sua carreira profissional. Por exemplo: Desenvolvedor Java com X anos de experiência, etc.

No próprio sumário (ou após ele), você deve colocar os seus conhecimentos técnicos:
Linguagens: Java, C++;
IDEs: Eclipse, Netbeans, etc.
Frameworks: JSF, Struts, Spring

Após o sumário e conhecimento técnicos, coloque quais são as experiências/empresas pelas quais já passou. Além disso, coloque um resumo das suas responsabilidade e/ou projetos relevantes nos quais participou.

Um erro “grotesco” que vemos por aí é a tradução do nome das empresas para o inglês. Lembrem-se que não se traduz nome próprio. Se a empresa se chama “TI e Soluções”, coloque exatamente isso no currículo. Não vá colocar “IT and Solutions”, pois se a pessoa resolver fazer uma busca no Google, não vai encontrar a mesma empresa.

Depois vem as informações a respeito da sua formação – Educação. Se já é formado, se tem pós, etc.

Proefiência em línguas estrangeiras. Ah, essa é uma parte importantíssima e que a maioria das pessoas não organizam muito bem.
Muitos colocam:
Inglês: leitura: intermediário; conversão: bom, escrita: bom
Nãããããããããããooooooo! FEIO!
Isso é coisa para bolsas escolares ou outras posições acadêmicas. Para mercado de trabalho: NÃO!

Então como devo colocar: existem 4 níveis de proeficiência: básico, intermediário, avançado e fluente. Como cada um “acha” que está em um nível, muitas vezes, o empregador não sabe interpretar o que cada nível significa. Se quiser (e deve), é bom colocar uma legenda, assim, o empregador não terá dúvidas:

  • Fluente: está apto para trabalhar no exterior
  • Avançado: apto para viajar para o exterior desacompanhado
  • Intermediário: leitura e escrita com conhecimentos verbais limitados (apto para viajar para o exterior com um assistente)
  • Básico: capaz de se comunicar com pessoas de outros países a um nível mínimo.

Depois, se for necessário, pode colocar uma parte de outras informações, como por exemplo: prêmios que ganhou, se tem experiência internacional (intercâmbio), se é palestrante, etc.

Obs.: Certificações devem ficar no sumário. (ou em alguma sessão específica, se pedido pelo empregador).

E uma informação que é legal colocar: quando é possível começar no trabalho, caso passe no processo de seleção.

Bem, esse é um currículo base. Deixe seu currículo base sempre atualizado. E dependendo da baga e/ou empresa, acrescente ou exclua informações. Personalize seu currículo de acordo com a necessidade. Isso faz toda a diferença.

O primeiro exemplo de currículo é com os projetos relevantes, e o segundo exemplo é com as empresas pelas quais já passou. Escolha um modelo, e boa sorte!

Cv Inglês Projetos – Java Developer

View more documents from Loiane Groner.

Referência: http://www.loiane.com/2009/11/carreira-em-ti-curriculo-em-ingles/

Loiane Groner

Mais artigos deste autor »

Bacharel em Ciência da Computação, trabalha como Engenheira de Software Sr em uma instituição financeira em projetos internacionais, em São Paulo. Já trabalhou na IBM como IT Specialist e líder de equipe para projetos internacionais. Possui 6+ anos de experiência em Java EE. Expertise em Java, atuando como JUG Leader no CampinasJUG e coordenadora do ESJUG, além de co-fundadora do JDuchessBR, grupos de usuários java. Expertise em Ext JS, um framework JavaScript, sobre qual escreveu um livro em inglês (Ext JS 4 First Look) lançado mundialmente pela Packt Publishing. Nas horas vagas escreve artigos técnicos e sobre carreira em TI nos blogs http://loiane.com e http://loianegroner.com. No blog também é possível encontrar cursos online gratuitos sobre produtos Sencha.

5 Comentários

Americo
1

Gostei do artigo, boas dicas. Gostaria de acrescentar uma. Eu mesmo ofereço o serviço de traduções de currículos e o que eu percebi é que os profissionais de TI abusam do uso de abreviações técnicas em seus currículos. NÂO FAÇAM ISSO!!!! Tente concentrar todos esses termos técnicos em uma parte do currículo (por exemplo sobre o titulo “Habilidades técnicas”) e evite usar-los no resto do currículo. Lembre se que as primeiras pessoas que vão ler seu currículo são funcionários do RH e não técnicos de TI

Felipe
2

Olá, parabéns pelo artigo.

Uma dúvida que tenho é como escrever pós-graduação (especialização lato sensu) no curriculum em inglês. Uma vez que este tipo de curso não é comum nos EUA. Obrigado!

Loiane
3

@Felipe,

No inglês britânico, a palavra é postgraduation mesmo.

Se for fazer currículo para alguma empresa americana, deve usar a palavra graduate, que indica a continuação dos estudos.
No currículo, pode dizer: graduated in nome do curso.

Dica: graduate dá uma falsa impressão de graduação, que para nós é sinônimo de faculdade/3º grau. Graduação/faculdade para os americanos fala-se undergraduation school.

camilo
4

é excelente post. E a respeito de pos-graduação. pode colocar Pos-Graduate. Tinha essa duvida e consultei um especialista.
Agora o que nao concordo no post eh a parte do intermediate, onde o aluno pode viajar com acompanhante, acho que nao. um bom aluno intermediate tem condicoes de viajar sozinho sim, alias dentro do proprio intermediate tem Upper-Intermediate. Para comunicacao do dia-dia acho que um intermediate dar conta do recado se for um aluno empenhado, isso vai contar em qualquer nivel, pq ja vi muitos ai ter no cv avançado, massssssssss na pratica nao passa do basico se for analisar para um contexto de usar o idioma com os nativos ou alguem com nivel maior.

parabens, Loiane.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


1 × seis =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>