Como prospectar em tempos de Google?

Se eu quero um serviço, eu vou “googlar”, se eu quero um produto, eu vou “googlar”; até se eu quiser saber sobre onde passar minhas férias, eu vou “googlar”. Esse neologismo reafirma a era Google que influencia o comportamento de clientes que hoje preferem procurar a serem procurados. Desta forma, como vou prospectar estes clientes? Vou ter que esperar que eles me procurem?

Para responder estes questionamentos, façamos a seguinte reflexão: se uma empresa comunica-se oferecendo um produto ou um serviço que você já pensou ou está querendo, ou então desperta o seu interesse com condições atraentes voltadas para suas necessidades ou seus desejos, qual será o seu comportamento? Certamente, você vai querer aprofundar este primeiro contato.

Portanto, ter relevância e ser pertinente são requisitos primordiais para a conquista de novos clientes. Saber o que eles querem, como pensam e, principalmente, como compram, refletem ações mais direcionadas na conversão destes prospects.

E, desta forma, eis que se torna imprescindível a utilização do marketing direto em suas ações, afinal, falar com quem interessa, conhecendo de antemão o perfil de seu público-alvo, além de evitar que você “mire com bala de canhão numa mosca”, permite que você alcance suas metas.

O que torna ainda mais atraente a utilização do marketing direto, é que este poderoso aliado é acessível a qualquer tipo de negócio e a qualquer tamanho de empresa, desde sistemas mais simples aos mais complexos. Basta que tenha a matéria-prima que o sustenta: informação!

Para tanto, é necessário transformar dados em informações valiosas, ou seja, dados demográficos e dados transacionais só se tornarão informações valiosas se utilizados para compreender o seu público e nortear suas ações de vendas, com a abordagem certa e a oferta adequada ao perfil.

Assim, dar funcionalidade ao seu banco de dados, deixando que este seja um mero cadastro, vai lhe permitir atingir duas metas: vendas e redução de custos.

E, por fim, “GOOGLAR” também! Já que se somos pesquisados para saber o que oferecemos, por que não pesquisar para saber o que eles procuram?

*Juliana Figueiredo Cantanhêde é gerente de contas estratégicas da ZipCode, uma das principais empresas especializadas em marketing direto.


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

*

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>