Plataformas e-commerce – Um pouco sobre Opensource

Dia 19/09 via Twitter o leitor @andreybenhur entrou em contato com o @profissionaisti e deu uma sugestão para um artigo com tema – Plataformas OpenSource e-commerce.

Então, vamos lá @andreybenhur e os demais leitores que possam fazer bom uso dessas informações. Como o Andrey não deu nenhuma especificação do que ele tem em mente para essa plataforma e-commerce eu vou tentar relacionar as características das plataformas que eu considero boas e também de algumas que ainda estão em uso. Mas fugindo um pouco do comum – minha escolha sempre varia entre PrestaShop e Magento, podendo também – dependendo do caso – utilizar plugins para WordPress.

Primeiro gostaria de falar um pouco sobre segurança para lojas virtuais que estão utilizando plataformas opensource.

Completamente segura nem mesmo plataformas exclusivas, em todas existem falhas de sistema, vulnerabilidades de host e outros. Portanto, logicamente que o fato de plataformas opensource serem de código livre (por isso o nome) facilita o conhecimento da estrutura interna por parte de Crackers e esses por sua vez tendem a agir de má fé, mas isso é risco que todos temos. Quem não lembra da Locaweb que teve alguns servidores fora do ar depois de uma invasão? O meu site que era hospedado lá ficou fora do ar quase 35 horas. Não existe perfeição, o que existe é prevenção, a qualidade de quem vai programar e instalar todo o sistema, como também do host que será escolhido – estes são pontos muito importantes e podem amenizar os riscos existentes.

Removido o mito de segurança nas plataformas opensource, que alguns tentam espalhar sem base como feito aqui, e exemplificado de forma bem simples sobre o caso Locaweb, quero então falar um pouco a respeito das características de cada uma. Lembrando que usei a Locaweb como exemplo somente pelo fato de ser considerada uma das maiores empresas de hospedagem, o que prova que mesmo com toda a estrutura dessa empresa, nem mesmo ela está livre de problemas de segurança.

Enquanto tivermos pessoas tentando ganhar dinheiro ou fazer um trabalho honesto teremos também pessoas desonestas, isso é a vida e não tem como negar.

Vamos às plataformas.

Goodsie – goodsie.com

Uma plataforma simples, baseada na simplicidade e facilidade da gestão. A Goodsie permite que você crie sem experiência em programação uma loja em poucos minutos, com um visual bem interessante por sinal.

Não é free, ela tem um custo mensal de $15.00, portanto, para quem não espera muito de uma plataforma e não quer perder tempo essa pode ser uma opção. Não indico de forma alguma para quem vai ter alguns bons pedidos durante o mês, portanto, para e-commerce’s pequenos (bem pequenos) é uma boa opção. Talvez um uso indicado seria para profissionais liberais que seus produtos possam ser precificados antecipadamente.

Realmente algo bem interessante, uma proposta estilo “faça você mesmo” e com facilidade.

Já vem integrada com Paypal como qualquer outra plataforma, já que esse sistema de pagamento on-line é o mais famoso mundialmente.

Você pode também fazer um teste por um período de 30 dias sem custo – 

VirtueMart – virtuemart.net

Para quem gosta de trabalhar com Joomla essa é uma ótima opção para tornar o Joomla em um e-commerce.

Instalação fácil e rápido, pois trata-se e uma extensão da plataforma, ou seja um plugin como qualquer outro, porém com o poder de criar uma loja virtual dentro de um sistema opensource de CMS.

Claro, neste caso como trata-se de uma plataforma de desenvolvimento amplo a necessidade de personalizar o sistema em um todo não pode ser descartada, para fazer com que a loja fique do jeito que você deseja é preciso muito conhecimento em PHP, CSS e HTML.

PrestaShop – prestashop.com

Essa plataforma é a mocinha da vez, apesar de ainda não chegar perto da potência do Magento essa plataforma está conquistando cada vez mais adeptos. Com a PrestaShop é possível ter muita qualidade e flexibilidade, apesar de ainda não ser tão completa como Magento, é uma ótima opção para quem deseja um loja profissional.

Quando falo de completa estou dizendo que pelo pouco tempo em que ela está sendo conhecida mundialmente ainda faltam algumas alternativas de plugins, portanto, assim que mais desenvolvedores se habituarem com ela normalmente essa demanda será suprida. É apenas questão de tempo.

Magento – magentocommerce.com

A queridinha Magento. Na verdade querida por quem é programador e odiada por quem não quer aperfeiçoar-se em programação, ela exige um tanto de conhecimento em programação e o sistema por ser robusto e muito completo é um tanto pesado necessitando de um host melhor e um bom plano de hospedagem.

Mas a quantidade de plugins profissionais e flexibilidade da plataforma em poder vender desde de produtos completamente digitais como por exemplo apostilas, músicas até o normal que são produtos físicos (roupas,  eletrônicos e outros) faz dela minha preferida. Não que outras não tenham tantos plugins, tanta flexibilidade e até mesmo a venda de itens digitais, na verdade eu a prefiro pelo simples fato de que ela é na verdade a matriz de todas as outras plataformas opensource, ou seja, tudo que é feito hoje em termos de plataforma está direta ou indiretamente ligada ao poder do Magento.

Outro ponto positivo para o Magento é o fato de que esse é um projeto que não será abandonado como outros projetos de plataforma opensource. O Magento recebe investimentos e é uma empresa física bem estruturada que gera valores e se mantém através de cursos de certificação, desenvolvimento de plugins e também com as versões pagas da plataforma, que por sinal não são tão baratas.

Toda a estrutura Magento, tanto da empresa que a desenvolve em comunidade como da própria estrutura da plataforma, fazem dela certamente a melhor opção profissional de plataformas e-commerce.

Resumo

Falar de plataformas é complexo, não sabendo qual o uso que será dado se torna um missão impossível.

Mais aqui vão algumas dicas das quais é necessário prestar bastante atenção no momento da escolha.

  1. É fácil encontrar bons desenvolvedores que conheçam essa plataforma?
  2. É possível migrar o banco de dados para outro sistema em caso de troca de plataforma?
  3. O quanto do Host essa plataforma exige para manter o site no ar com número x de visitas?
  4. Existem plugins suficientes e as atualizações são constantes ou o projeto dessa plataforma não está tão atraente para novas atualizações?
  5. Essa plataforma é simples, ou seja, intuitiva para poder ser usada?
  6. Os relatórios gerados são importantes ou somente um monte de números e planilhas que nada agregam?

Essas perguntas, após serem respondidas, vão lhe nortear para a melhor escolha. Claro que existem inúmeras outras questões que são mais evidentes em determinados nichos de mercado, portanto, essas 6 perguntas são iguais para todos. Trata-se da qualidade mínima da loja virtual.

Mas, o que importa em uma loja virtual não exatamente a plataforma, sempre costumo dizer que plataforma não vende. Certamente no máximo auxilia no processo de venda, ou seja, te faz receber o pedido, gerir as informações e finalizar as tarefas – basicamente é isso.

O que eu, como consultor de e-commerce, considero mais importante acima de qual plataforma escolher, seja por nome, por tradição, por custo ou seja lá o que for o importante mesmo é prestar um excelente serviço e só se consegue isso estudando bem as ferramentas e escolhendo entre elas a melhor – “melhor” quer dizer a mais flexível para o seu modelo de negócio.

Sucesso a todos, um grande abraço.

Não foi minha intenção buscar todas as plataformas existentes, na verdade são inúmeras e esse post seria muito longo. Para desenvolvedores a dica que posso dar é que se você for buscar plataformas entre no site oficial e busque a documentação sobre a mesma. Já para quem pretende abrir um e-commerce o ideal é a busca por um profissional para lhe orientar adequadamente, pode ser um consultor, um desenvolvedor que tenha experiência em e-commerce como também algum gestor de e-commerce que você conheça e tenha contato de confiança.

Luiz Castro Junior

Mais artigos deste autor »

Diretor da Alpis Consultoria.
Consultor Certificado 8 Ps - Marketing Digital, Planejamento Estratégico digital, Gestor de Projetos.


2 Comentários

Gabriel Martins
1

Eu já usei OpenCart para criar minha loja virtual, é uma excelente plataforma de código aberto, assim como o Magento, porém é bem mais leve, mas ambas as duas são as melhores para a criação de um e-commerce.

Excelente Post, parabéns!

Luiz Castro Jr.
2

Obrigado pela contribuição Gabriel. Realmente compartilhar a experiência de uso é extramente importante para guiar quem está começando ou quem não está tão afim de mudança por medo de ter que começar a aprender tudo novamente – Realmente, isso acontece…

Abraço, sucesso para você.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


9 + = dezoito

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>