Distinções de Computação em Nuvem (Cloud Computing) e Computação em Grade (Grid Computing)

Introdução

O processo de evolução dos meios de comunicação e de diversas tecnologias reflete nitidamente na vida das pessoas e das empresas em geral. Com a evolução da internet as empresas estão utilizando de diversas possibilidades para deixar cada vez mais seus produtos ou serviços competitivos no mercado. Dentre as diversas e conhecidas vantagens que as empresas podem utilizar na internet, estão o conceito de computação em nuvem e computação em grade. A seguir é abordado o conceito de computação em grade e computação em nuvem, bem como suas diferenças.

O que é computação em grade?

Nos dias de hoje a capacidade de processamento é limitada, tanto em nossos computadores pessoais ou mesmo em servidores de diversas empresas. Agora imaginemos ter a disposição mais taxa de processamento assim que a demanda de processamento do servidor estiver no pico, isto sem a necessidade de conhecer todo o aparato computacional que existe através deste processamento. Este conceito de processamento é chamado de Computação em grade (Grid Computing).

Computação em grade tem o objetivo de combinar poder de processamento de milhares ou até milhões de pequenos computadores ligados em redes locais ou redes de longa distancia para que seja possível processar grandes tarefas em um determinado servidor. As aplicações de computação em grade são executadas em um servidor virtual, no qual tem integração com outros recursos capazes de compartilhar recursos de forma rápida e de fácil gerenciamento.

O que é computação em nuvem?

Computação em nuvem (Cloud Computing) tem o objetivo de fornecer todos os recursos computacionais como um serviço através da internet. Um exemplo é que no inicio do século XIX, durante a revolução industrial, as indústrias tinham que produzir sua própria energia elétrica ou mecânica. Hoje em dia as indústrias consomem energia como um serviço, pagando somente o que se utilizar [1]. A computação em nuvem tem uma proposta similar, onde os recursos computacionais passarão a ser responsabilidade de empresas especializadas, onde irão gerenciar os recursos e comercializá-los como serviço através da internet.

Computação em nuvem pode ser descrito como um imenso ambiente de servidores virtuais ou físicos, chegando a um conceito de recursos computacionais que contemplam capacidade de processamento, armazenamento, conectividade, plataformas, aplicações e serviços disponibilizados na internet [2].

Diferenças de conceito entre Computação em Grade e Computação em Nuvem

Existe sempre uma confusão entre o conceito de computação em nuvem e computação em grade, pois ambos compartilham os mesmos objetivos de redução de custos, aumento de flexibilidade e acessibilidade de recursos [3].

O conceito de computação em grade é basicamente oferecer poder de processamento através de algum mecanismo, já de computação em nuvem é fornecer toda pilha de recursos computacionais sob demanda, através da internet e consumindo como um serviço. Apesar das similaridades, os paradigmas trabalham com conceitos diferentes que podem trabalhar em conjunto ou podem trabalhar de forma isolada.

Podemos tomar como exemplo duas situações:

Situação A

Uma empresa de engenharia necessita de um servidor com alta performance para realizar cálculos para uma determinada solução. Esta empresa não dispõe de capital para realizar a compra de um servidor que atenda a sua necessidade neste momento.

Neste caso esta empresa de engenharia pode contratar um fornecedor especializado de Grid Computing, onde o fornecedor vai fornecer um ambiente de processamento que atenderá a necessidade da empresa de engenharia. Através deste ambiente de processamento existem diversas máquinas com os processadores ociosos, partindo disso existe um servidor central que irá gerenciar o processamento de todos os cálculos, onde receberá através da internet de cada maquina com o processador ocioso um fragmento da informação processada. Logo temos um servidor com alto poder de processamento.

Situação B

Uma pequena empresa de manufatura necessita de aplicativos de escritório como, por exemplo, o pacote da Microsoft, o Microsoft Office, que tem integrado em sua solução diversas ferramentas como editor de textos, planilha para realização de cálculos, editor para apresentação de slides entre outros aplicativos.

Esta pequena empresa não dispõe de capital para comprar toda uma solução de aplicativos de escritório. Com isso ela tem a oportunidade de utilizar-se do conceito de computação em nuvem.

Um modelo de computação em nuvem é o SaaS (Software as a Service) ou software como serviço. Neste modelo são oferecidas soluções de softwares através da internet, ou seja, a empresa não necessita de compras de licenças para ter uma solução, mas apenas necessita contratar um serviço de um provedor que oferece aplicativos para escritório. Podemos citar como exemplo uma solução de aplicativos de escritório que é gratuita, o Google Docs.

Nas situações A e B vimos similaridades de necessidades. As duas empresas não tinham capital para aquisição da solução, e como uma forma de solucionar o problema, foi proposta a utilização do conceito de computação em grade e computação em nuvem. Como se podem observar ambos os conceitos compartilham os mesmos objetivos de redução de custos, aumento de flexibilidade e acessibilidade de recursos.

Portanto os dois conceitos abordados neste artigo têm objetivos semelhantes, porém trabalham de formas diferentes e para fins diferentes.

Referências

[1] BREITMAN, Karin.; VITERBO, José.  Computação na nuvem: uma visão geral. In: CONGRESSO INTERNACIONAL SOFTWARE LIVRE E GOVERNO ELETRÔNICO, 3, 2010, Brasília.  Amãpytuna: Computação em nuvem: serviços livres para a sociedade do conhecimento.  Brasilia: Funag, 2010. p. 17-45.

[2] TAURION, Cezar. Cloud Computing: Computação em Nuvem: Transformando o Mundo da Tecnologia da Informação. Rio de Janeiro: Editora Brasport, 2009.

[3] VAQUERO, L. M., et al. A break in the clouds: towards a cloud de?nition. p. 50-55, 2009.

Renan Borges Pereira

Mais artigos deste autor »

Aluno do curso de Segurança da Informação da Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC).

Atualmente trabalhando como Analista de Suporte Técnico.

Blog: http://pelasnuvens.wordpress.com


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


× 5 = vinte cinco

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>