Carreira: Aprendendo com os chineses…

Nas últimas 5 semanas, compareci a 3 entrevistas de emprego em 2 empresas… chinesas !

Creio que já se passou muito tempo desde que a China cresceu e apareceu para o mundo. É inegável: Eles estão em todo lugar, e não adianta mais fazer coro com pseud0-estudiosos e entendidos, dizendo que o chineses não tem qualidade, que seus produtos não duram, que praticam dumping ou então que a euforia chinesa vai durar pouco, e que logo eles caem na real, criam sindicatos e etc…

Será mesmo que não temos nada para aprender com eles ? Será que nossa cultura ocidental não está cegando nosso entendimento e encurtando nossa visão para não enxergar o óbvio? Ou estamos tão ocupados ouvindo o som da nossa própria voz que não percebemos os ventos da mudança?

Durante várias décadas, inúmeras técnicas foram desenvolvidas para maximizar os lucros ou então para minimizar os prejuízos e desperdícios. Atualmente, o foco tem sido nas pessoas, nos colaboradores e nas relações interpessoais, pois nada adianta ter a melhor tecnologia e não ter pessoas treinadas e motivadas. Os treinamentos internos e palestras motivacionais tem enfatizado o comprometimento com os resultados, honestidade, ética e a mudança de cultura, ou seja, corrigir maus hábitos visando a maior produtividade.

Mas aí chegaram os chineses e as teorias agora parecem falsas ou pouco eficazes. A economia chinesa não tem comparação com a economia ocidental, mas mesmo assim, muitos preferem lamentar e reclamar, que a vida é injusta ou então que tudo vai passar, como se fosse uma crise econômica.

Eu gostaria de mostrar um outro lado nessa estória. Ressaltar os pontos positivos dos chineses e como isso pode nos ajudar em nossas vidas pessoais e profissionais. Preparei 10 lembretes para entender melhor os chineses e aprender com eles.

1 – Parem de demonizar a China, seus nativos e sua cultura!

Da mesma forma que desejamos ser conhecidos e respeitados dentro e fora do nosso país, os chineses, assim como qualquer outro povo, quer ser conhecido pelos seus pontos fortes e também ser respeitado. Tentem ficar no lugar deles: Você está morando e trabalhando no exterior, na área de vendas, lidando com o público, precisando aprender o idioma e cultura locais, competindo com nativos e estrangeiros… Não é fácil né? Mas mesmo assim eles trabalham muito, e produzem mais em uma hora do que muto brasileiros produzem em três ! Se eles fossem tão ruis assim, então não durariam tanto, e não há nenhum indício que eles irão embora. Ao contrário, muitos outros vão chegar pois tem muitos mais de onde eles vieram. Antes de criticar os chineses, pelos seus traços orientais ou costumes, se informem melhor pela Internet e verão que a China é um poço riquíssimo de oportunidades, turismo, cultura e sabedoria. Respeitem toda e qualquer cultura estrangeira. Eles tem esquisitices, como nós temos esquisitices, ou vocês acham que cozinhar feijão com o pé, o focinho, o rabo e a orelha do porco é algo que outra cultura também faz? A dica é dizer: “No meu país é diferente”. Nunca diga: “- Nossa, que estranho! No meu país não tem isso!”

Não preciso lembrar que existe uma legião de brasileiros morando, estudando e trabalhando no exterior. Se os brasileiros mostram excelente adaptabilidade e inovação, porque os chineses também não podem?

2 – Eles são muito, muito mais antigos do que nós. Eles são sábios!

Nem só de preços baixos e trabalho árduo vivem os chineses. No passado eles já passaram fome, lutaram guerras, aprenderam a sobreviver com pouco e sua resiliência e tenacidade foram alcançadas com muita sabedoria e hábitos que só se conseguem hoje com muita paciência e religiosidade. Somos muito mais egoístas e preguiçosos se comparados com eles. Um de nós está errando…

3 – Eles cuidam muito bem da saúde.

Chás, frutos do mar e comida sem gordura. Nas cidades orientais que visitei eu percebi um grande cuidado deles com a saúde, tanto física quanto mental. Manter a mente trabalhando e o corpo saudável são ótimas dicas para a longevidade. Eles não vivem só de trabalho, mas honram a família. Na China, o sobrenome vem antes do nome. É claro que existem chineses que fumam em demasia e são extremamente machistas… como também existem brasileiros assim.

4 – Eles são industriosos.

Eles cuidam dos mais novos, ensinando-lhes através da experiência. Nas culturas orientais, os mais velhos são reverenciados, pois trilharam caminhos que os mais jovens não trilharam. Os mais novos buscam conselhos com os mais velhos. E o que nós ocidentais fazemos? Tratamos os mais velhos com desprezo e o que é pior: Achamos que não temos nada para aprender com eles, que essa é nossa época e a nossa vez, e que eles tiverem seu tempo, porém agora é tudo diferente e com tecnologia. Os mais novos precisam aprender que a tecnologia foi desenvolvida baseada em princípios de filosofia, observação e trabalho árduo, e não apenas por causa das guerras e da corrida espacial. Os chineses inventaram o futebol, o restaurante, o papelão, o macarrão, a bússola de agulha magnética, a agronomia, fertilizantes, escova de dentes, foguete, cunhagem de moedas, correia de transmissão, etc. E isso antes de todo mundo! Antes que alguém pense que eles copiaram de alguém…

5 – Eles são simples e humildes.

A China nunca teve grande poder bélico, mas já foi invadida e ameaçada. Sua resposta não vem com armas, mas com trabalho. Eles não são capitalistas, mas conseguem ser mais capitalistas que o próprio capitalismo! Eles são incentivados a viver com frugalidade e simplicidade. Eles não ficam desesperados para comprar gadgets como os ocidentais, dormindo em filas nas lojas, para ser os primeiros a adquirir um lançamento, mesmo que não precisem daquilo. Dificilmente vocês verão chineses esbanjando, desperdiçando ou ostentando dinheiro. Mais uma vez, toda regra tem exceção… Estou falando da regra, e não da exceção.

6 – Eles são empreendedores.

Enquanto os ocidentais falam em décadas, eles falam em séculos. Há pouco mais de 30 anos, o primeiro-ministro da China, Deng Xiaoping repetiu as palavras do russo Bukharin e apelou aos chineses para enriquecerem. “Estamos cansados de ser pobres”, disse ele. O desejo de Deng está hoje à toda volta, impressa no fantástico crescimento que levou a China à posição de segunda maior economia do mundo. Deng não se limitou ao discurso apenas. Permitiu uma blasfêmia dentro do comunismo de Mao Tsé-tung — que os negócios deixassem de ser controlados apenas pelo governo. E o empreendedorismo floresceu! Estudos mostram que a China vai ultrapassar os EUA até 2050. Talvez eu e você não vejamos isso, mas nossos filhos e netos sim. Prepare-os agora !

7 – Eles são focados.

Quando fiz uma entrevista na empresa chinesa de tecnologia, todo o processo seletivo foi resolvido no mesmo dia. Foi tratado o perfil da vaga e do candidato, negociado salário e benefícios, dúvidas foram eliminadas e as decisões foram tomadas pelos superiores, e de mim foi requerido começar na semana seguinte. Eu fiquei atônito! Já passei por processos seletivos que duraram de 4 dias até 2 meses, mas nunca em 2 horas ! Saí de lá correndo, assustado com o que tinha visto e ouvido. Nós (ocidentais) levamos tempo demais para fazer as coisas, e agora percebo, podemos cortar 80% do tempo gasto fácil, fácil…

8 – O segredo é o tempo.

Assim como a dica acima, o segredo dos chineses não é o preço baixo com baixa qualidade. Bom, na verdade o preço é importante sim, mas eles vendem baixo para vender mais, e vender mais significa mais trabalho, e mais trabalho significa terminar o trabalho rápido para depois receber mais trabalho, e o ciclo nunca se fecha! Enquanto recebemos treinamentos sobre Lean Six Sigma, os chineses já praticam o uso racional e otimizado do tempo e trabalham com a estimativa de zero erros há muito tempo. Fazer bem, da primeira vez, bem rápido e dentro da lei e da ética, para atender e superar as expectativas dos clientes e receber mais projetos e encomendas deles… Não é isso que as empresas tanto desejam e incentivam seus funcionários a cumprir?! Sei que alguns leitores vão protestar, mas acreditem, o desejo deles é respeitar a lei dos países onde vendem seus produtos. Não é à toa que eles estão presentes em todos os países livres, com exceção da Índia, onde o governo proibiu os cidadãos de comprar produtos chineses…

9 – Trabalho em equipe e remuneração.

Por incrível que pareça, os chineses tem um senso de time e trabalho em equipe monumental! Eles tem consciência absoluta que seu trabalho influencia diretamente nos resultados e no atingimento dos objetivos financeiros da empresa, cujas premiações são compartilhadas por todos! Só vi esse orgulho e comprometimento nos americanos, mas de qualquer forma, nós (brasileiros) estamos um pouco atrasados nesse sentido. Reclamamos muito da vida e não pagamos o preço do sucesso. Achamos que vamos ganhar na loteria ou que vamos nos tornar pagodeiros ou jogadores de futebol…

As empresas chinesas são empresas multinacionais de atuação global, e não empresas do partido comunista chinês. Quando aceitarmos essa afirmação, vamos olhar para as empresas chinesas como grandes players com filosofias diferentes e mais eficientes de pesquisa, gerenciamento e delivery, e não como ladrões de empregos…

10 – Boatos, medos e valorização do passe.

Eu escuto muito boatos ! Recebo emails com piadas e recomendações para não trabalhar em empresas chinesas, pois vou trabalhar 16 horas por dia, sem almoço e no fim de alguns meses, serei avaliado como insuficiente e demitido! Ora, mas e se for justamente o contrário? E se a empresa respeitar a legislação brasileira? E se pagar as horas extras regiamente? E se eu tiver sucesso em uma empresa chinesa, como vai ficar minha imagem perante o mercado? Será a imagem de alguém que lutou, pagou o preço, aprendeu e venceu! Meu passe estará valorizado…

Infelizmente só conheci meu pai aos 16 anos, e pouca coisa ele me ensinou, mas ele era um ótimo profissional, e me ensinou uma coisa que me influenciou muito em minha carreira: ”O único trabalho que aparece é o trabalho árduo.”

Abraços a todos e vamos trabalhar!

Ni hao, wo shi MARCELO ALMEIDA


Gerente de Projetos - Telemática.
Formado em Gestão de TI - UNIP;
MBA em Gerência de Projetos - UNIP;
Gestão de Pessoas - IBMEC;
Certificado ITIL V3 Foundation e estudando PMP;
Colaborador do time de tradução do Linux Ubuntu.

3 Comentários

marcos
1

Olha eu concordo com tudo isso eles dominarão tanto é que hoje muitas pessoas já estudam mandarim e outra esses americanos arrogantes e que se acham só estão que caem e ainda não perceberam..

Josir
2

Olá Marcelo,

gostei muito da reflexão que fez em seu post. Principalmente na questão de não demonizar o POVO chinês, em relação a sua cultura e seu modo de vida. Da mesma forma que não podemos demonizar os americandos, europeus ou africanos pelos atos de seus governos ou empresas.

Entretanto existe uma grande diferença entre a cultura de um povo e a cultura organizacional de um empresa. As empresas realmente não são do partido comunista. Elas, em grande maioria, são controladas pelo GOVERNO chinês que, no fim das contas, é controlado pelo partido comunista. Na verdade, muitas empresas nem tem um contrato social aberto ao público, ou seja, não se sabe quem são os donos!!

Obviamente, grande parte delas são do governo. O mesmo governo que não permite que haja liberdade religiosa, liberdade de imprensa e tantas outras pequenas liberdades que estamos acostumados. Até mesmo para escolhermos ser pagodeiros ou jogadores de futebol ;)

Como você se adaptará à cultura organizacional de uma empresa que tem no seu board de decisão, um burocrata comunista ? Ou a um diretor que com certeza trará em suas decisões uma visão centralizadora e opressora que não permite contestação.

Se empresas como a FOXCONN não respeitam as liberdades do próprio trabalhador chinês, tendo casos de trabalho escravo e alto índice de suicídio, como será que tratarão um trabalhador estrangeiro? Como será que tratarão os direitos trabalhistas do país que se instalam?

Enfim, eu não tenho nenhuma experiência com empresas chinesas e talvez possa estar sendo preconceituoso mas não sou tão otimista quanto você.

Marcelo Almeida
3

Prezado Josir,

Obrigado por sua opinião.

Antes de escrever esse artigo, eu pesquisei bastante sobre o assunto e percebi que, na China, a cultura dos chineses é bem diferente da nossa, mas mesmo assim já está mostrando sinais de mudança, com redução das jornadas de trabalho, aumentos salariais, criação de sindicatos, etc. Já no Brasil, no caso da empresa que me candidatei e fui aprovado, ela não pertence ao partido comunista (ou pelo menos eu quero acreditar que não). Conversei com funcionários brasileiros que trabalham lá há 3, 4 e até 5 anos e as reclamações foram as de praxe, parecidas com as reclamações que tenho da empresa européia onde trabalhava. O que eu gostaria de chamar a atenção é para o fato que, se os chineses eliminares as questões críticas, eles serão excelentes concorrentes.

Conforme eu disse no artigo, eu já ouvi muita coisas sobre os chineses, e também tinha uma opinião formada, até ver com meus próprios olhos e perceber que se tratava de exageros e inveja.

O fato é que a empresa chinesa em questão faturou e22bi e a empresa européia onde trabalhava faturou bem menos que isso, sendo que a empresa chinesa levou uns 3 anos para chegar nesse nível, com crescimento constante, e a outra empresa está no mercado há mais de 30.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

*

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>