Sitezinho, sisteminha? Cuidado para não ter um problemão!

Decidi escrever este artigo para auxiliar desenvolvedores e profissionais de web freelancers, principalmente os que estão iniciando no mercado, que precisam adquirir experiência, aprender a se relacionar com clientes e aplicar fundamentos referentes a gerência de projetos.

Baseado na minha experiência  e na de outros profissionais da área com quem converso regularmente, cito algumas questões  perigosas, questões estas que são cotidianas, que escondem perigos e muita dor de cabeça ao profissional, são elas:

Primeira questão: “Preciso de um sitezinho, é coisa simples, são 5 links,  um cadastro de cliente, uma newsletter – coisa rápida e barata!”.

Cuidado com este tipo de situação, esteja ciente de tudo que o cliente deseja antes de lhe informar prazo ou valores, não se desespere para fechar o negócio, agende uma reunião, verifique todos os detalhes envolvidos, depois elabore um documento especificando o que TERÁ e o que NÃO TERÁ no projeto.

É muito importante o cliente estar ciente do que  TERÁ e do que NÃO TERÁ no projeto. Por exemplo, você pode estar desenvolvendo um site totalmente estático porque fechou um preço camarada, mas seu cliente está sonhando com aquele site todo administrável, com animações mirabolantes, que te consumiriam horas e horas de trabalho. Infelizmente está situação já aconteceu comigo e, acreditem, é extremamente chata de ser contornada.

Seguem algumas perguntas fundamentais  para a entrevista com o cliente: Quem dará suporte ao seu site/sistema após a conclusão do projeto? Iremos estabelecer um contrato de manutenção, para o treinamento e suporte ao sistema? É fundamental definir estas questões, o suporte/treinamento/manutenção do sistema deve ser cobrado, cuidado para não trabalhar de graça após a entrega do produto.

Caso seja um sistema maior, dê atenção a documentação, elabore mockups de tela (Balsamick Mockups) e diagramas de atividades. É uma forma de você e o cliente visualizarem e alinharem como será o sistema, este processo também o ajudará a mensurar o tempo e o custo do projeto, bem como  lhe ajudará a se resguardar de problemas futuros. Com o documento em mãos, o cliente nao poderá questionar que algo está faltando ou que pediu algo e não foi implementado, pois estará ciente de todas as funcionalidades antecipadamente.

Segunda questão: “Isto é muito simples! Tenho certeza que você não gasta mais de 1 hora para me entregar!”

Não desvalorize o seu trabalho, nada é simples, você irá gastar tempo e tempo é dinheiro! Não caia nesta conversa furada, tenha sempre um valor em mente para estes casos. Sugiro mencionar as horas que serão gastas na atividade e estipular um valor por elas, não dê a impressão ao cliente que tudo é simples demais, valorize-se.

Terceira questão: “Vou efetuar o pagamento na entrega do projeto!”

Dados importantes:  A escravidão foi abolida em 1888 pela princesa Isabel! Siga os passos abaixo caso não queria voltar ao passado e tornar-se um escravo do seu cliente, é sério, não estou brincando.

Você pode se tornar literalmente um escravo do seu cliente. Sempre existirão modificações após a entrega de um projeto e e neste ponto que o cliente pode se aproveitar. Frases típicas desta situação: “Faça somente mais isto que te pago”, “Só mais um detalhe e amanhã você pode vir aqui receber”, “Está excelente, basta agora criarmos mais duas telas que estava pensando ONTEM (brincadeira neh?) e finalizamos”. Esta situação é desgastante, evite esse stress!

A não ser que esteja bem documentada esta questão no contrato, com juros e multa caso o pagamento não seja efetuado, não aceite, tenha garantias! Já vi casos que o desenvolvedor se matou e no final o cliente SIMPLESMENTE desistiu do projeto.

Para terminar esse post deixo um provérbio bíblico para meditação:

“Argucioso é aquele que tem visto a calamidade (analisa, documenta, se resguarda) e passa a esconder-se, mas os inexperientes passaram adiante e terão de sofrer a penalidade.”

Grande abraço a todos! Espero que gostem e que comentem!

Euller Cristian

Mais artigos deste autor »

Formado em Sistemas de Informação pela UNIPAC Bom Despacho. Amante da tecnologia, desenvolve atualmente nas linguagens (PHP + Zend Framework).

Estudando Exjts , Desenvolvimento Wordpress, Django + Python.


16 Comentários

Ricardo
3

Pior que é isso mesmo que acontece…. o grande problema e que a profissão de TI está marginalizada e todos se acham no direito de estipular o que é facíl e o que não é, e o pior ainda… existem clientes que acham que podem calcular o valor de um determinado serviço rsrsrs é o cumulo

Rodrigo
4

Nunca tive este tipo de problema, porém, sei que não é incomum. Conheço gente que ficou esperando mais de ano pra receber 300 reais, é foda.

Thiago Luis
7

Ótimo tópico Euller! já passei por algumas dessas situações ai, principalmente a relacionada com a escravidão.. rsrsr. Parabéns!

Silvane Regina Duarte
8

Parabéns Euller. Temos que ser alertados, já vi muitas pessoas passarem por essa situaçao.
Voce merece nao só esse premio mas muito mais, tenho orgulho de voce.

Rodrigo Spalidoro
9

fiz um phpzinho, como o cliente definiu, e abandonei a chance de receber, eram 550 reais, por uma semana de trabalho, e aprendi a lição, peça o pagamento por partes, faça o layout em photshop e peça uma porcentagem do pagamento, recorte e coloque no html, outro pagamento, formularios outro, finalizar outro, e deixe claro que modificações do layout do primeiro pgto, so com pgto adicional. Um saco passar por isso.

Fabiana
10

Cara Parabéns e muito obrigado pelo texto, estou iniciando agora como freelancer, e as questões contratuais e de como lidar com o cliente ainda são duvidas pra mim, um tanto quanto receosas, esse texto já deu uma luz, mais uma vez muito obrigado.

André
11

Você não tem um post com um modelo de contrato não? sou novo na área e os que encontrei pela internet não achei muito bons hehehe

Rafael de Souza Mota, 33 anos, São Paulo
12

ótimo demonstrativo de projeto, para o cliente é apenas um site, para o desenvolvedor é um frank que nunca fica pronto e você vive remendando e tendo que engolir o custo baixo e ainda ouvir besteira e piadinha do cliente.

André Luiz
13

Dicas muito valiosas pra mim, pois estou começando agora no mercado e ainda não consegui nenhum trabalho.

Fernando dos Santos
16

Eu tive um grande problema paracido com o relatado nesse artigo. Tinha em mente que o projeto ia durar 3 meses e na verdade acabou durando mais tempo do que pensava. Eu queria que o projeto fosse parcelado no máximo 3 vezes, o cliente exigiu 7 vezes. Acabei baixando a guarda e aceitei. Em dois meses de trabalho o cliente desistiu, porém me pagou os meses que eu trabalhei. Isso seriviu de experiência.

Muito legal o post.
Parabéns.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


× sete = 56

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>