Gestão com Pessoas: Liderança Perfeita (final)

Leia antes: Parte 1 e Parte 2

Um líder deve ter equilíbrio em suas orientações e chegar a esse ponto requer disciplina.  Não se obtém excelência em gestão sem erros e acertos de rotas no decorrer dos anos.  As competências que fazem uma liderança perfeita são obtidas e desenvolvidas ao longo da trajetória profissional e não há como fazer download delas de uma página da internet (infelizmente!).

Já me cobrei por demais pelos erros que cometi, e quando me encontro com lideres mais experientes, eu descubro que muitos deles se cobram até hoje por decisões do passado.  E vejam que muitas das decisões foram acertadas, mas não menos “pesadas” de serem tomadas.  E foi assim que comecei a enxergar os meus erros com um pouco mais de complacência comigo mesmo. Porém, não significa que parei de buscar as competências necessárias para uma liderança perfeita.  Se eu chegarei lá é outra questão.

Então o que buscar? Abaixo fiz uma lista que considero importante e que busco desenvolver:

a)  Autocontrole – reações controladas, não se deixar levar por impulsos, procurando analisar e compreender as motivações de seus liderados, evitando irritações prematuras.

b)  Compreensão de outrem – compreender os problemas de cada integrante do grupo e com imparcialidade, pesar as qualidades e os defeitos, dando as primeiras o devido valor e tratando os defeitos com ações adequadas (se realmente são defeitos).

c)  Procura de unanimidade – alertar a equipe dos problemas que surgem, e dar a oportunidade de discutir francamente os fatos, provocando a participação individual dos membros. E com essa situação, cria-se um ambiente de cooperação.  Muitas vezes, porém, não há como fazer isso, nesse caso, comunique de forma clara, com objetividade e transparência.

d)  Respeito – O grupo decide tacitamente como quer ser tratado, desde que com dignidade. “Respeite para ser respeitado”. A recíproca é verdadeira. O dirigente do grupo tem uma importância fundamental no ambiente de trabalho. Suas atitudes são refletidas em seus liderados, ocasionando o espírito de imitação. Os psicanalistas dizem que os liderados identificam-se com os seus líderes.

e)  Enfrentar as tensões e conflitos – Vivemos em um mundo conturbado, onde as tensões e conflitos surgem a todo instante.  Em meio às tensões devemos estabelecer uma maneira de convivência. Cabe ao líder analisar os conflitos e dar uma solução, num clima de franqueza e compreensão mútua.

f)  Conhecer seus liderados – líderes são chamados para servir e devem procurar as melhores oportunidades para promover o bem-estar e o progresso do grupo.

g)  Mansidão – em nossa cultura temos a tendência de pensarmos que ser gentil, humilde ou manso são sinônimos de fraqueza. Mas essas qualidades podem, na verdade, indicar mais força de caráter e autocontrole do que a “força” que impulsiona alguns a açoitar verbalmente seus liderados ou discutir com demasiada agressividade.

h)  Verdade e amor – Não basta dizer a verdade, é muito importante à forma como dizemos, nossas palavras devem ser cheias de amor, compaixão e delicadeza. A verdade, às vezes, machuca e nem sempre temos como impedir isso.

i)   Obtenção de cooperação – Existem quatro (4) formas de se conseguir essa cooperação:

  • Reconhecendo o esforço – estamos cônscios de que um elogio valoriza a pessoa e isso gera o desejo de melhorar ainda mais.
  • Compreensão – O tratamento com paciência pelo líder, em ocasiões em que a produtividade cai por algum motivo pessoal, é levado em compreensão, faz com que haja no futuro uma compensação em termos de rendimento.
  • Tratamento cortes – Toda a pessoa gosta de ser bem tratada e retribuirá, tanto em reciprocidade, como a outras pessoas.
  • Sentimento de importância – O desejo de ser importante está entre os mais poderosos desejos do homem. A estima e o reconhecimento dos que julgam serem seus valores é um desejo do indivíduo.

Fiquem a vontade de acrescentarem mais competências. Vamos aprender juntos como sermos lideres melhores?!

Bibliografia:
Gabi, Wagner – “Relações Públicas e Humanas para Líderes Cristãos” – Editora CPAD.
Youssef, Michael – “O Estilo de Liderança de Jesus” – Editora Betânia
Dusilek, Nancy G. – “Liderança Cristã” – 5ª. Edição – editora JUERP
Covey, Stephen R. – “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes” – 30ª. Edição – FranklinCovey
Armstrong, David – “A gerência através de histórias” – Editora Campus


Profissional com mais de 20 anos na área de Tecnologia da Informação. Graduada em Processamento de Dados e Pós-graduada em Gestão Empresarial.

1 Comentários

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>