Dispositivos móveis podem auxiliar nas pesquisas eleitorais

As eleições municipais de 2012 estão se aproximando e, em todo o Brasil, os partidos políticos já começaram a se articular para eleger e reeleger seus candidatos. Nessa corrida para angariar votos, as pesquisas eleitorais, feitas de forma manual pelas ruas das cidades, são o ponto de partida para avaliar as chances dos políticos. Na era da mobilidade e dos dispositivos móveis é possível buscar alternativas mais modernas e precisas para efetuar essas pesquisas?

As pesquisas eleitorais são feitas por empresas especializadas, como Datafolha e Ibope, entre outras. Atualmente, os dados coletados são anotados em papéis e depois as informações são inseridas no computador para calcular os percentuais de voto e a classificação dos candidatos nos principais municípios do país.

Uma alternativa interessante seria a incorporação de dispositivos móveis com GPS. Em grandes metrópoles, como São Paulo, por exemplo, os pesquisadores podem coletar as informações sobre as intenções de voto, fazer um perfil do eleitor e ter a localização exata de onde foi feita a pesquisa de uma forma mais precisa, através de uma assistência digital.

A partir disso, pode ser criado um sistema no qual os votos dos eleitores em diversos pontos da cidade são exibidos em tempo real simultaneamente. Com essa iniciativa é possível fazer um mapeamento da cidade em lugares mais específicos e através do GPS os pesquisadores também podem ser melhor monitorados e os resultados das pesquisas serem divulgados de forma mais rápida e com menor margem de erro.

Com esse sistema, os políticos também podem saber onde possuem mais eleitores e onde precisam de mais votos, direcionando melhor as estratégias de campanha e os cronogramas de visitas às subprefeituras a partir das intenções de voto. Outra ideia é trabalhar com mobile marketing a partir da solicitação de um político. O eleitor também pode avaliar melhor as suas preferências através desse processo e até mudar a opção de voto, além de saber com mais rapidez como está a classificação do seu candidato em vários pontos da cidade e acompanhar passo a passo a campanha eleitoral dele.

Já existem aplicativos para alguns sistemas operacionais de aparelhos móveis que disponibilizam informações sobre pesquisas eleitorais dos principais institutos e a evolução de seus candidatos, estatísticas de rejeição e eventuais confrontos no segundo turno. Com um sistema que permite conexões em tempo real, seria possível disponibilizar essas informações de forma simultânea também para esses aplicativos.

O marketing político eleitoral, também pode ser beneficiado com a mobilidade nas pesquisas eleitorais. As redes sociais tornaram-se um canal de interação e troca de informações entre políticos e eleitores e é um poderoso meio de divulgação de atividades e plataformas eleitorais.

Através de pesquisas online credenciadas pelos institutos nas redes sociais e que podem ser enviadas para o mesmo sistema onde se concentram as pesquisas de rua, os candidatos podem ter uma dimensão maior de seus votos e que tipo de público está sendo alcançado por eles, através dos perfis dos eleitores nessas redes.

O uso da mobilidade nas eleições certamente pode fazer a diferença nos resultados eleitorais, mas, para isso, os institutos de pesquisa devem estudar todas as possibilidades desse novo canal e os candidatos também devem se preparar para não confundirem a cabeça do eleitor.

por João Moretti: diretor geral da empresa MobilePeople

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


3 × = vinte quatro

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>