Pirate Pay promete controlar e encerrar a distribuição de torrents

O projeto russo do Pirate Pay já está disponível e, segundo fontes internas, foi desenvolvido com o apoio da Microsoft. O sistema promete controlar e encerrar a distribuição de obras protegidas por direitos autorais no BitTorrent. No primeiro projeto, realizado em colaboração com a Walt Disney Studios e a Sony Pictures, ele conseguiu ótimos resultados, impedindo milhares de downloads.

Com um nome semelhante ao Pirate Bay, o sistema contra a pirataria já recebeu muitos investimentos. Para se ter uma ideia, apenas da Microsoft foram US$100 mil em 2011. Não é a toa que os gigantes do software e as maiores gravadores vêem o BitTorrent com uma das maiores ameaças de todos os tempos. Afinal, todos os anos, bilhões de dólares são perdidos na pirataria – não mais por muito tempo, promete o Pirate Pay.

A empresa responsável pelo produto, desenvolveu uma tecnologia que permite barrar o tráfico de torrents, tornando impossível qualquer pessoa compartilhar arquivos. Esta idéia começou há três anos quando os desenvolvedores estavam trabalhando em uma solução de gerenciamento de tráfego para os provedores de Internet. A tecnologia funcionou bem e ele foi capaz de parar o trânsito de BitTorrent, o que fez os desenvolvedores perceberem o potencial da criação na luta contra a pirataria.

Com este novo modelo de negócio em mente, a empresa continuou a desenvolver o seu produto e não demorou muito para que um bom investidor disposto a apoiá-los aparecesse. O presidente russo da Microsoft elogiou a idéia inovadora e mostrou-se interessado no uso do produto futuramente.

Com o patrocínio em mãos, os desenvolvedores continuaram trabalhando focados na solução anti-pirataria e no final do ano passado a Walt Disney Studios e a Sony Pictures foram as primeiras empresas a contratarem os serviços do Pirate Pay. Por um mês, o filme “Vysotsky. Thanks to God, I’m alive” ficou protegido e a nova tecnologia conseguiu barrar com sucesso cerca de 500 mil downloads.

Para ter acesso ao produto, as empresas tem que desembolsar cerca de $12,000 à $50,000, dependendo da complexidade do serviço prestado. Com toda essa quantia investida na anti-pirataria e a real disponibilidade ainda de ter seus produtos assistidos ou escutados de graça na web , seria melhor investir em tecnologias para oferecerem preços mais acessíveis aos clientes.

Outros produtos parecidos já apareceram e a pirataria no Torrent continou firme e forte. De acordo com as notícias divulgadas, ainda não foram dados detalhes de como o sistema trabalha. E tudo indica que seja apenas mais uma forma para arrancar dinheiro das grandes gigantes  da mídia e da informática, conseguindo no máximo impedir alguns poucos downloads dos mais desavisados.

E você, acredita que o Pirate Pay vai conseguir finalmente acabar ou minimizar consideravelmente a pirataria?

Com informações de Torrent Freak


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>