Lista dos pedidos de novos domínios para 2013 é divulgada

Os TLD (Top-Level Domain) fazem parte dos endereços da internet. Existem cerca de 250 diferentes códigos em nível de país e outras genéricas, tais como  .com ou .org., sendo utilizados em diferentes países. A novidade é que a partir de 2013 muitos novos domínios serão lançados na internet.

De acordo com a proposta apresentada pela Icann (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) na quarta-feira (13/06), o objetivo é expandir para pelo menos 1.000 diferentes domínios. A Icann é quem tem o poder ou não de criar os novos TLDs, sendo a única autoridade capaz de alterar a conhecida “zona de raiz”. Isso significa que se um domínio não estiver em sua lista, então ele não aparece na web.

Uma vez autorizado pela Icann, um TLD é executado por uma única autoridade – um registrador – que pode delegar a permissão para o registro de novos sites para outras empresas. Assim, o registro de cada TLD é responsável por manter a ordem no seu espaço na internet, certificando-se que os sites são visíveis para o reste da rede.

A Icann é uma empresa sem fins lucrativos, criada na Califórnia em setembro de 1998, para ser a responsável pela atribuição de números (endereços da internet) e os nomes de domínio do governo americano. Embora o Icann seja americano, pois foi o país em que a internet se originou, a rede assume atualmente um caráter mais internacional. Muitos países fazem pressão para que a empresa estabeleça sede em outros países e que não fique com a localização restrita aos Estados Unidos.

O Icann defende que apenas uma organização deva ser encarregada de TLDs, ou caso contrário, a internet se tornaria uma bagunça. Sendo uma única instituição autorizada, os governos de cada país não podem fazer pressão ou censura.

No Brasil foram feitos 11 pedidos do total de 1.930 propostas recebidas pela organização. Há uma grande expectativa para sufixos como .bom, .final, .ltda e .rio. Os críticos mais céticos não acreditam que os novos sufixos ganharão espaço e serão uma concorrência a altura do .com. Além disto, os detentores das marcas registradas terão gastos maiores para assegurar que todos os domínios de sufixos diferentes sejam guardados.

Só com esta primeira demanda de pedidos, a Icann embolsou o equivalente a US$ 352 milhões. Os gastos  para obter um sufixo de uma marca ou qualquer palavra chegam a US$ 185 mil, somado a cota anualmente paga de US$ 25 mil. Clique para ver a lista completa de novos domínios pedidos.

Com informações de The Guardian e Terra.


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


2 + três =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>