Microsoft abre 20 mil linhas de código à comunidade Linux

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Como diria minha mãe: A Microsoft não dá ponto sem nó.

A Microsoft anunciou nesta segunda-feira a entrega de 20 mil linhas de código para a comunidade Linux. O código, que inclui três drivers de dispositivos Linux, foi dado à comunidade de desenvolvedores do kernel para inclusão na estrutura do Linux.

O objetivo: melhorar a performance do Linux virtualizado no Windows Server 2008 Hyper-V e no Windows Server 2008 R2 Hyper-V.

Na prática, ressalta Ina Fried, colunista do CNet, trata-se mais de uma manobra para tornar o Windows um hospedeiro melhor para o Linux, do que um gesto para “ajudar o Linux a competir melhor com os produtos da Microsoft”.

– Os drivers de Linux que estamos lançando foram desenvolvidos para que o Linux possa rodar em modo mais leve no Windows – disse Tom Hanrahan, diretor do Centro de Tecnologia Open Source da Microsoft.

São três drivers para Linux liberados pela Microsoft, sob a licença GPL – que governa o uso do Linux. A medida pode beneficiar empresas que utilizam Linux e Windows nos servidores.

– Os drivers vão ajudar os clientes que usam Linux a consolidar seus servidores com Linux e Windows em uma única plataforma de virtualização, reduzindo a complexidade da sua infraestrutura – acrescenta Hanrahan.

O pacote lançado se chama Hyper-V Linux Integration Components (LinuxIC). Trata-se de uma coleção de drivers do kernel que permitem ao Linux reconhecer que está rodando sobre o Hyper-V (ferramenta de virtualização da Microsoft), da Microsoft, optimizando sua utilização, tornando-o mais rápido, segundo pesquisadores da consultoria de mercado IDC.

Para Sam Ramji, executivo da Microsoft ligado à formação de parcerias, no momento atual da economia, rodar o Linux com mais facilidade no Windows vai ajudar os clientes que recorrem à empresa para ter aplicações mais simples:

– Há um benefício mútuo para a Microsoft, clientes e para a comunidade Linux.

Na virtualização, mais de um sistema operacional pode ser rodado num único equipamento físico. Não é necessário ter dois discos rígidos, um com Linux e outro com Windows, por exemplo. Os drivers entram para fazer a comunicação entre o sistema operacional e o hardware, melhorando a execução de tarefas.

Fonte: ClicRBS Tecnologia

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">