Tecnologia de segurança patrimonial em Santa Catarina

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

A Segware do Brasil e a Seventh já realizam negócios em conjunto desde 2007, e na última sexta-feira (28 de agosto) inauguraram suas novas sedes, no Parque Tecnológico Acate, onde atuam lado a lado, separadas apenas por uma sala de reuniões conjunta.

A Segware do Brasil atua no mercado de segurança eletrônica com um produto voltado para empresas que atuam com monitoramento de alarmes. Seu principal produto – o Sigma – é um software de gestão para esse segmento, que permite o acesso total às informações referentes ao monitoramento de dispositivos de segurança e reúne dados técnicos, operacionais e administrativos. A solução atua na forma de diversos módulos que permitem atender desde pequenas empresas de segurança até grandes grupos, que chegam a ter 30 mil estabelecimentos atendidos. Atualmente no país são 1.100 grupos de segurança privada usuárias da solução de monitoramento de alarme, o que dá a Segware 70% do mercado nacional neste produto.

Parte destes clientes também são usuários dos sistemas e equipamentos desenvolvidos pela Seventh Visual Control, empresa fundada, assim como a Segware, em 2001 na capital catarinense. A empresa desenvolve soluções que envolvem software e hardware para monitoramento de imagens e automação inteligente, com foco em segurança patrimonial de residências e estabelecimentos comerciais e industriais. Com tecnologia 100% nacional, atuam em todas as regiões do país com mais de 300 empresas de segurança e distribuidores de seus produtos.

A região da Grande Florianópolis conta ainda com outras empresas deste mercado, desenvolvendo uma nova vertical em que a Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE) tem interesse em fomentar. Intelbras, CSP, Contronics são algumas das empresas com atuação neste segmento. A variedade de soluções catarinenses tem tornado o Estado referência e um dos principais fornecedores do país. E a demanda no mundo inteiro por esses produtos está em crescimento. No Brasil, só a demanda por sistemas eletrônicos de segurança cresceu em 2008 cerca de 53%, chegando a R$ 3,26 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese).

Fonte: Dialetto Comunicação Estratégica – www.dialetto.com.br

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">