Como desenvolver um bom e-commerce

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Desde o final de minha graduação que ando pesquisando e analisando sistemas de e-commerce e todas as formas de desenvolvimento.

Como desenvolvedor, eu vi muito das necessidades dos clientes e o quanto os usuários necessitam de um bom sistema.

Este “bom sistema” significa que deve-se seguir alguns passos para que todo o trabalho realizado na criação do site, não seja em vão.
Portanto agora, vou compartilhar as minhas experiências que obtive nestes anos com o desenvolvimento direto de um sistema e-commerce.

Alguns fatores que todo o projeto de e-commerce deve ter:

Conheça as necessidades do cliente

Quanto mais o desenvolvedor (ou a empresa que desenvolve) conhece as necessidades do cliente, maiores são as chances do projeto não afundar.

Questione o cliente quanto aos dados relevantes para a criação

Veja o que o cliente necessita em termos técnicos, se ele está preparado para abrir uma nova filial de sua empresa na internet. O cliente deve ter total certeza do que ele está fazendo e o quanto de trabalho isso irá gerar. Claro que os lucros virão também, nem tudo é despesa.

Questione a forma de logística

Como será feita a entrega é muito importante. Não deve-se deixar para ser definido na última semana antes do lançamento do site. Cada transportadora possui suas taxas, as quais devem estar totalmente integradas ao sistema. Um convênio com os Correios, como o E-sedex, e descontos em envios de grandes quantidades deve ser pensado com firmeza.

Com o projeto pronto, agora surge a parte operacional

Preocupe-se com qualquer página do site, para demonstrar confiança ao usuário

De nada adianda um layout bonito, em tableless, se o usuário não consegue nem enviar um contato solicitando informações de produto à loja.

Tornar a compra segura significa um número negativo de erros de script

Erro significa uma compra perdida. No comércio virtual, o usuário do site não tem contato direto com o vendedor, portanto, o software tem que demonstrar confiança. Isso se faz tornando a compra o mais fácil e automatizada possível. Muitos cliques levam à exaustão.

Na internet, qualquer informação conta à favor e influencia muito na compra

Existem, hoje muitas ferramentas que permitem que o usuário saiba tudo sobre uma loja: mercadorias vendidas sem nota fiscal, prazos estourados, mercadoria defeituosa, reclamações diversas. Algumas ferramentas seguem abauxo:

Utilize mecanismos com criptografia

Se no servidor do sistema ou site não está habilitada a opção SSL ou não possui a possibilidade de tal situação, que torna as conexões seguras na hora do pagamento, prefira integradores de pagamentos que utilizem esta tecnologia. Nem que o cliente não saiba que seus dados informados estão seguros, pelo menos você sabe que eles estarão, e isso significa nenhum chamado no suporte.

Promoções de estourar o balão podem gerar desconfiança

Nem sempre diminuir demais o preço vai fazer com que o cliente compre. E tratando-se de um novo site então, pior. O usuário vai desconfiar e não vai comprar.

Publicidade

Já que não há como fazer panfletos demonstrando o site, a forma que acredito ser mais rentosa seria anunciar por meio de palavras-chaves pagas em mecanismos de buscas. Email marketing também pode ser utilizado. O importante é deixar a loja conhecida.

Considerações Finais

É sempre bom se manter informado sobre as novas tendências em layout e usabilidade, elas vão ajudar bastante para que o sistema torne-se conhecido.

Existem muitos outros fatores que eu possa ter esquecido de colocar aqui, mas conhecimento é isso, compartilhar. Complementem o post deixando seus comentários!

Referência: http://weber.eti.br/2010/01/19/como-desenvolver-um-bom-e-commerce/

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Luiz Felipe Weber

Mais artigos deste autor »

- Bacharel em Ciência da Computação pela Unipar, Programador Master/Ecommerce da Webgenium System de Cascavel/PR, especializado em Virtuemart e Joomla e proprietário e idealizador do site Weber TI.
Sempre à procura de alguma novidade mais nova que a anterior.


5 Comentários

Julio Cesar Bitencourt
3

Técnicamente falando.

Para lojas pequenas, o desenvolvimento de sistemas de pagamento próprio pode ser um gargalo. Integrar todos as operadoras de cartão, pagamento via débito automático e boleto demandam um bom tempo de análise da documentação ruim que é fornecida. O tempo gasto neste desenvolvimento é grande e gera um custo consideravel ao projeto.

Em um primeiro momento, os gateways de pagamento são a opção mais indicada para lojas pequenas.

Sérgio Novelli
4

Parabéns pelo post, Luiz.

E-commerce é um assunto que deve ser levado tão a sério quanto uma nova filial da empresa que está sendo aberta. O empresário tem que ter a noção exata do que está fazendo e que, as despesas que terá hoje com infraestrutura de um e-commerce, serão revertidas em lucro em futuro próximo uma vez que ofereça confiabilidade, segurança e qualidade de atendimento e de produtos/serviços aos seus clientes.

Ótimo post. Abraço.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">