Papinho de TI: Linux Para Desktops

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Olá meus caros leitores!

O papinho de TI é sempre uma reflexão baseada em algum jargão ou acontecimento na área de TI. Realmente um papo mais descontraído com você, leitor do PTI! Fique a vontade para comentar, sugerir e criticar. Este espaço é seu!!!

Eis meu “causo”. Eu trabalho em dois “Service Desks”. Dois? Sim dois, na empresa e em casa. Na empresa presto suporte em Servidores Linux para clientes de contrato e o segundo Service Desk é em casa. Sim em casa, onde minha mãe é a usuária.

Após fazer um curso de iniciação em informática ela desejou entrar neste mundo. Bem, ela tinha um PC com Windows XP e com o tempo tivemos que mandá-lo para o ferro velho. Lá fui eu comprar um novo, e para economizar, decidi comprar sem o Windows. O PC acabou vindo sem sistema operacional. Eu como “Linux (Advanced) User” decidi instalar o Fedora 10 para ela utilizar.

Inicialmente achei ótima minha idéia, depois de instalado o Fedora 10, todos dispositivos reconhecidos, tudo funcionando com sucesso e etc. Mas depois que minha mãe, uma pessoa leiga, começou a utilizá-lo efetivamente, é que senti na pele (de verdade) o quanto as Distros Linux ainda precisam melhorar quanto sua utilização para usuários leigos (que é a grande maioria).

A primeira dificuldade: o curso que ela fez foi todo baseado no Windows e no Microsoft Office, portanto, vejo que a primeira barreira para utilização de Linux em Desktops é a cultura, pois eu, como 99% de vocês, nasci e cresci aprendendo informática sobre a plataforma Windows. Neste ponto, vejo que só o tempo e a maior difusão do Linux para Desktop poderá resolver.

A segunda dificuldade: qualquer mensagem que apareça ou clique a mais que precise ser dado é um problema (para o usuário leigo e o Service Desk). Quando ela precisava ver um arquivo no open Office, abrindo o mesmo diretamente pelo webmail ou mesmo localmente, o arquivo não abria automaticamente. Isto porque o Open Office tem uma ferramenta de recuperação de arquivos, onde se algum arquivo anterior não foi fechado corretamente, você precisa primeiro “recuperar” o arquivo anterior para depois abrir o que deseja. Algo realmente muito chato. Os famosos .ppt ou .pps muitas vezes também não abrem corretamente e automaticamente no Open Office. Como minha usuária recebe muitos e-mails com ppts já viu… Estas são algumas dificuldades que encontramos.

Depois de muitos “incidentes” com causa conhecida, decidi resolver esta situação. Instalei o Windows novamente (agora o Windows 7) e o Office no PC dela e os incidentes foram resolvidos.

Não estou querendo aqui julgar se o Linux é ou não bom para Desktop, vejo que dependendo de quem utiliza, pode ser bom ou ruim. Se a comunidade deseja efetivamente que a utilização do Linux seja mais difundida, é necessário ter em mente que a maioria esmagadora de usuários é leiga, e portanto, o nível de automatização precisa ser o melhor possível. Quem sabe os netbooks e a computação em nuvem sejam uma saída para resolver estas questões as quais abordei. Isso porque num futuro não muito distante, a maioria dos aplicativos será utilizado pela WEB, e como o Linux geralmente utiliza poucos recursos, é ótimo para netbooks. O Chrome OS com o kernel Linux também vem por aí, e como o Google geralmente acerta em suas apostas e não vem para brincadeira, é mais um reforço para utilização em massa do S.O. Linux em Desktops.

E você, concorda comigo a respeito da utilização em Linux para Desktops ? Discorda ? Dê sua opinião.

Um grande abraço!!!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Emerson Dorow

Mais artigos deste autor »

Experiência de 10 anos na área de TI. Coordenador de suporte de serviços de infraestrutura e cloud computing. Mantenedor do site http://www.governancadeti.com.

Certificado em ITILv3 Intermediate, Cobit v4.1 Foundation, HDI-SCM, Linux Professional Institute (LPI) Nível 1 e IBM Tivoli Monitoring Deployment V6.2 Professional. É graduado em Sistemas de Informação pela Uniasselvi Blumenau e pós-graduando em Governança de TI pelo Senac Florianópolis e MBA em gestão de TI pelo INPG.

Entusiasta de assuntos relacionados a gestão de serviços em TI, governança de TI, Gestão de Projetos, liderança, gestão de equipes e negócios.


22 Comentários

Cleiton Domazak
2

Excelente texto, concordo com o seu ponto de vista e acrescento mais, a grande massa das comunidades Linux não tem a minima intenção que isso ocorra, pois assim eles estariam deixando de ser a “Nata” dos usuários de computadores, tenho fascilidade em uitlizar linux como estação, mas mesmo assim por algumas restrições me sinto obrigado a voltar ao Windows, então este é outro problema das distros Linux, não há uma migração definitiva, sempre nos deparamos com funcionalidades mal feitas, ou inesistentes que nos forçam a voltar para “o lado negro da força” :D, falta o pensamento “sou profisional de TI e uso o que me melhor atende”, assim pode ter certeza que grande parte dos problemas estariam resolvidos, mas enquanto os avanços forem freados pelo ego dos entusiastas Linux o cenario dificilmente mudará. Não defendo nenhuma tecnologia, só uso o que for melhor pra mim, gratis ou não.

Emerson Dorow
3

Obrigado pelos comentários André e Cleiton!
Eu também acho que devemos entregar o que é melhor para o usuário e para a organização, o que melhor atende….e caso a comunidade Linux desejar ser mais utilizada nos desktops, preciso de fato atender os requisitos básicos de um usuário leigo, assim como as distros para servidores já atendem e muito bem hoje uma série de serviços de TI para suportar as empresas.

André Richartz
4

Olá Senhores, sou usuário Windows e Linux e de tempos em tempos formato a máquina, quando lançam uma versão nova do Ubuntu eu instalo, faço testes, mas em 2 ou 3 meses o sistema nao tem mais nenhum atrativo ou acabo precisando formatar devido à necessidade de usar algum software Windows. Por muito tempo utilizei o dual-boot, assim não precisafva formatar tanto o pc. Hoje tenho 2 partições com windows e uma virtual box com Ubuntu server que uso pra estudar, de fato a interfaçe Desktop do Linux melhorou bastante em relação a anos anteriores, porém, pra quem foi criado usando Windows ainda é dificil se adaptar ao linux, bem como pra quem nasceu falando português o… Espanhol acaba sendo um problema. Saudações a todos!

Marcinha
6

É necessário que as escolas e centros de treinamento tenham cursos de linux básico (desktops e funcionalidades básicas) para os leigos, porque cursos de windows tem em todo lugar. Assim fica dificil também.!

Felix Costa
8

Olá Pessoal,

Também trabalho com service desk e sou administrador de redes Linux/Windows. Instalei linux a primeira vez em 1997 era uma distribuição Slackware que comprei em uma revista, até então estava curioso para saber o que era o tal de de \Linux\, comecei mesmo a trabalhar com Linux em 2000/2001 . Já tive experincia em utilizar linux em desktop em duas empresas e fiquei muito desapontado com o nível de problemas que encontrei. Sou usuário de Dsktop Linux desde quando comecei a trabalhar com ele e confesso que atende perfeitamente as minhas necessidades, tenho dual boot aqui em casa debian/Windows XP e somente acesso o XP para diversão mesmo (Flight Simulator/Half-Life 2/FAR CRY e outros jogos ). Para tarefas básicas como acessar um site que so abra no IE ao acessar um vídeo que necessita do Media Playes, utilizo o VirtualBox com uma instalação de XP e então fico praticamnete 90% utilizando Sistema Linux.

Minha experiencia em informática foi praticamente moldada em cima do Linux , mas não me considero um usuário da \NATA\ do Linux como um amigo acima copmentou, mas acredito que a \facilidade\ na utilização do Windows tras também alguns problemas como a segurança e desempenho do mesmo, não vou entrar nesta discussão sobre quem é mais seguro ou não.

Um outro fator que acho muito importante e a principio ninguém comentou aqui é que o ensino empregado em escolas de computação, faculdades, etc.. é muito vago e fraco. Hoje é ensinado a utilizar o Microsoft Excel ao invés de ensinar o conceito de Planilhas Eletrônicas, faço faculdade e toda a minha grade curricular é baseada em cima do produtos microsoft, estou no ultimo semestre e muitas pessoas qu e esttudam comido ainda não sabe programar e não conseguem identificar as estruturas de uma determinada linguagem de programação, aprendi em dois semestres a utilizar Java e não a Programar Orientado a Objetos.

Por mais que um curso deva ser objetivos e preparar um profissional para uma determinada ferramenta da atualizadade, acho que a questão é começar a preparar os usuários e profissionais para lidarem com TI no geral, é muito importante aprender o conceito aliado a utilização de ferramentas que aplicam este conceito.

Um abraço a todos,

Emerson Dorow
9

Olá Felix….como você comentou, você utiliza uma máquina virtual Windows XP dentro do Linux para poder ver certos vídeos….é nesse ponto que digo que o Linux para Desktop precisa melhorar muito…vc com certeza é um usuário avançado, e um usuário leigo ? …. essa discussão é muito interessante …

Cleiton Domazak
10

Todos em seus comentários estão corretos, creio que todos têm o interesse que o Linux cada dia seja mais difundido, não para que a empresa X ou Y seja prejudicada e isso é muito importante. Nestas discussões que se observa o nível do seu publico, e o Profissionais TI esta mostrando que tem um publico realmente profissional e que se preocupa com a evolução da tecnologia e não com brigas ideológicas, como diariamente acompanhamos em outros sites, em que eu nunca tive coragem de postar, mas aqui me sinto totalmente avontade para expor o meu pensamento.

Parabéns!

Felix Costa
11

Oi Emerson,
Mas neste caso o problema não é específico do Linux e sim o formato de arquivo do Windows Media Player que não possui um player ou plugin para o Linux (Provavelmente nunca vai existir). A mesma coisa relacionado a instalação de scanners e algumas impressoras, o Linux possui suporte para estes dispositivos, a dificuldade maior é que os fabricantes não liberam drivers para utilização destes equipamentos no linux.

Abraço,

Emerson Dorow
12

É isso mesmo Felix, neste caso do windows media player e dos drivers para dispositivos, é um “sistema” todo……digo os fabricantes que teriam que se “mobilizar”…..mais aí involve $$$ e é outra história…..cleiton….o ProfissionaisTI é isso mesmo….todo mundo é livre pra pensar e expor suas idéias….eu mesmo não imaginava qual seria a reação dos leitores, achei que muitos iriam se “queimar”…mas pelo contrário…..o pessoal está se envolvendo e discutindo em alto nível este assunto polêmico…

Fred Chevitarese
13

Eu acho que realmente, o Linux ainda pode melhorar em alguns aspectos voltados a usuários “leigos” … Acho que a oferta é maior de cursos voltados para Windows pois a demanda é realmente maior. Eu trabalho com informática a um bom tempo também e nunca, nunca ninguém me perguntou quanto eu cobraria para instalar o Ubuntu na máquina dele… É sempre Windows!
Como você disse, isso é cultural. Não adianta as “escolas” oferecerem cursos de Linux, se o camarada chega na empresa e as máquinas são todas Windows.
Em casa, eu sempre tinha dualboot, pois minha esposa não conseguia utilizar o Linux. Depois que meu pc queimou e tive que arrumar um mais “lentinho”, instalei o Ubuntu e mostrei a ela alguns “passos” de utilização. Hoje, apesar dela não dominar instalação de aplicativos e afins, ela consegue se virar e utilizar as ferramentas disponíveis. O ponto positivo é que muitas coisas ela achou melhor no Linux… Mas algumas coisas realmente não funcionam como gostariamos no Linux, ou funcionam de forma diferente e por algumas vezes mais complicadas.
Mas é isto… Acho que é uma questão cultural e de vontade de aprender também … ;)

Abraços!

Wiliams
15

Buenas!

Acredito que a dificuldade seja cultural mesmo, no sentido de que se é gratuito (livre) não presta, ao analisar o uso do computador tanto com windows e linux percebo que muitos usuários nem sabem o que fazem e tão pouco prestam a atenção no que aparece na tela, ler as mensagens… É coisa prá técnico, linux é simples, porém organizado de forma diferente, basta saber ler que é possivel utiliza-lo, um pouco de boa vontade e logo se tornará um usuário gnu/linux, quanto a compatibilidade de alguns software MS, a culpa é da empresa que desenvolve e dificulta, nem ela mantém padrão, como é que o OpenOffice(BrOffice) vai conseguir interpretar de forma correta. Uma pergunta, aposto que com a confusão do menu do win7 e novo layout do MsOffice ela se achou? se está usando garanto que exigiu adaptação..
Abraços

Wiliams
16

Uma pergunta ao Fred Chevitarese,

Quantas vezes tu ofereceste a instalação do Ubuntu, ou parou para explicar a filosofia que envolve o mundo livre?
Eu já instalei o Ubuntu (cobrando) e advinhe, fui chamado para instalá-lo em um notebook, pois ele foi aprovado pelo cliente, não adianta largar na mão do usuário e dizer “te vira”.

Eduardo Rocha
17

Conheço o Emerson a muito tempo e ele sabe o quanto sou avesso ao Linux. Sou um soldado fiel a Microsoft em todos os sentidos, mas preciso reconhecer que o Linux vem desbancando a toda poderosa em algumas questões relacionadas a servidores, principalmente na solução de firewall. Mas o real motivo pelo qual nunca gostei da distribuição “free”, é que nunca consegui utilizar a mesma de forma prática e fácil nas atividades corriqueiras do dia-a-dia. Talvez pela cultura que nos é imposta desde sempre pela Microsoft ou por pura falta de boa vontade da minha parte em tentar conhecer a mesma um pouco mais a fundo. Mas que falta a cereja do bolo nas distribuições Linux, isso é inegável.

Celio
18

Postei algo parecido a pouco tempo atras em um grupo “[email protected]” … Entreguei 1 CD do Ubuntu para 1 colega de trabalho, disse q se o Windows falhar algum dia… esse CD o salvaria para que ele continue acessando a Internet/Gmail… dito e feito!!!

Porém, qdo. ele desejou ouvir MP3 e Filmes… aí ferrô… o Ubuntu não rodava os arquivos… e o cara ficou louco!!! e começou a criticar o Ubuntu, Linux e Cia…

Entendo a questão dos direitos qto. aos plugins, mas para os leigos, a primeira impressão é a que fica…

Emerson Dorow
19

Olá Célio,

Os usuários estão tão acostumados a utilização livre de qualquer recurso(seja legal ou não), que o caso do Linux ser “contra” a pirataria parece ser um crime. Isto faz parte do nosso dia-a-dia, e parece ser difícil de mudar, virou cultura….o que você pode fazer neste caso é explicar o porque….não muito mais que isso….

Um abraço!!

Emerson

Carlos Alberto Teixeira
20

Olá pessoal. Eu sou técnico em informática desde 2002 e uso Linux desde 2005. A questão da resistência ao Linux é mais VISUAL do que cultural. É a mesma resistência que as pessoas tiveram quando o XP surgiu, quando o Vista surgiu. Com o tempo, elas foram se acostumando.
O que eu estou fazendo já a algum tempo é sempre sugerindo um dual-boot em todas as máquinas (usuários domésticos) que eu estou pegando, com a justificativa de que quando o Windows bugar (questao de tempo), a pessoa não ficará com a máquina inutilizada.
Fora isso, claro, eu explico um pouco sobre a utilização do Ubuntu, suas vantagens (livre de virus, não trava, etc), mostro que é mais seguro acessar um site de banco por ele (este argumento já ganhou alguns clientes meus), mostro como acessar os arquivos na partição do Windows e mostro um básico de como instalar programas. Claro, qualquer duvida a pessoa vai me ligar. Mas o certo é que enquanto ela tem uma máquina funcional (mesmo que seja soh o Linux) ela nao vai pagar a minha visita. Ou seja, na pratica, ela soh vai me chamar se ela precisar realmente do Windows, para alguma tarefa específica.

Finalizando, alguns clientes meus estão usando só Linux porque seus Windows estao bugados, ou foram pegos pelo WGA, e como eles estão se acostumando com o Ubuntu, eles estão adiando a minha visita, hehehe. Mas não acho ruim não. É melhor dar manutenção no Ubuntu do que no Windows. É isso aí.

netto
21

Dificil mesmo a adaptação, nem é uma questão de adequação até porque Linux com cara de Windows é patologia, é uma questão de cultura mesmo, de iniciativa, do desapego, porque o Windows é viciante (por isso são chamados usuários : trocadilho infeliz!!) e como todo vício (ops, droga não!) a abstenção é uma tortura. Para não chover no molhado a comunidade Linux começa criando ambiente diferente para o usuário, mas o usuário tem que ficar ciente do lucro por optar por um sistema livre, pois como o Bil Gates disse à IBM na época do lançamento do MS-DOS, os usuário tem apenas uma licença pra usar, mas os donos são eles (A M$).

Andrezão
22

E difícil sair do Windows para Linux, mas o Ubuntu esta facilitando muito esta migração.
Hoje a maior dificuldade no Linux deve ser instalar programas mas o Ubuntu já ajuda bastante.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">