IPv6 – O que muda para o usuário?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Depois do anúncio da distribuição do último lote de endereços IPv4 no mundo e das previsões de que ele não durará muito tempo, o IPv6 tornou-se o assunto do momento. Mas o que realmente muda para o usuário?

Antes de responder a essa pergunta é preciso esclarecer o que é o IPv6. Ipv6 é um novo padrão de endereçamento de internet criado para substituir o padrão atual, o IPv4.

Essa mudança é apenas uma questão de infraestrutura, pois o IPv4 está saturado e em breve não conseguirá mais suprir o crescimento da internet.

A mudança para o IPv6 significa mais segurança para a internet, pois o novo padrão conta com um protocolo criptografado capaz de identificar todo o caminho percorrido por cada IP.

Para muitos usuários essa mudança nem será percebida, porém, se o internauta usa um modem ou roteador que não tem suporte para o novo padrão será necessário trocar o equipamento. Mas ainda é cedo para entrar em pânico, pois como o IPv6 ainda não foi implantado, você tem um tempo para pesquisar qual seria o melhor equipamento para a sua necessidade.

Para provar que o IPv6 não é um bicho papão, foi realizado um teste durante o Campus Party 2011. A telefônica disponibilizou o novo padrão para todos os participantes do evento, que acessaram a internet sem notar diferença.

Para quem quiser saber mais sobre o IPv6, o Núcleo de Informação e coordenação do Ponto BR (NIC BR) criou um site para o Projeto IPv6 no Brasil. No site você encontrará diversos cursos sobre o novo padrão além de outras informações.

Fonte: 72DPI

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Marcelo Alves

Mais artigos deste autor »

Marcelo Alves, graduado em Desenho Industrial com habilitação em Programação Visual pela Universidade do Estado de Minas Gerais. Atua como Webdesigner e Diretor de Criação desenvolvendo projetos de comunicação para web.


1 Comentários

Fernando Beraldo
1

Olá Marcelo,

Na verdade o IPv6 não é tão simples quanto parece. E quanto ao fato dos usuários da Campus Party terem usado IPv6, o método de acesso utilizado foi o de “pilha dupla” ou seja, os micros tinham um endereço IPv6 e um IPv4, já que poucos sites Brasil e no mundo usam IPv6 assim quando tentam acessar um site IPv4 o acesso saía pelo v4, se fosse IPv6 saía pelo v6. Nos casos em que um site tivesse IPv4 e IPv6 o último teria prioridade.
Para se ter uma idéia o Windows XP, Vista e 7 já tem um tunnel desse tipo habilitado por padrão (chamado Teredo). Assim, mesmo que você não tenha IPv6 no seu micro, é possível ter resposta de um, através deste túnel.
Faça um teste no prompt digite: “ping -6 ipv6.google.com” e você terá a resposta do IPv6 do google.

Para o usuário final a coisa tende a ser mais fácil, pois já estará tudo pronto ou quase, no entanto para o pessoal de TI que irá implementa-lo a o bicho vai pegar um pouco.

Abs

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">