Porque software proprietário não é bom pra ninguém

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Com essa onda anti-pirataria, quem tem perna de pau e um tapa-olho que se cuide.

Mas daí vem aquela pergunta: “Como usar um sistema operacional sem ter que pagar por ele?”

É claro que logo vem os xiitas de plantão dizer que a melhor opção é o Linux, que é gratuíto, atualiza normalmente, é seguro, é rápido, mas vale a pena deixar de lado todo um processo de adaptação dos sistemas da Microsoft para uma nova (quase sempre confusa) realidade?

Minha resposta é: Sim, vale!!!

Tanto Windows, MAC e Linux são proprietários, a diferença entre eles é que no Windows e no MAC o sistema está “atrelado” ao equipamento.

Software proprietário não é bom pra ninguém porque pra quem não sabe, a licença de sistema operacional morre com o equipamento. Se acontece um desastre do usuário ter que trocar o equipamento ou o mesmo é roubado, a sua licença não servirá para o novo equipamento.

Ah, mas isto não é novidade, não é? Mas quem pensa nessa possibilidade?

Órgãos públicos vivem na ilegalidade, pelo menos os que eu conheço. Os equipamentos rodam o famoso “XP” pirateado e há uma certa resistência em mudar essa realidade porque as pessoas parecem que tem preguiça de aprender, não querem se readaptar – embora o custo seja bem menor.

Outro dia um desses defensores de software proprietário me questionou se eu estava preparado para suportar a pressão no caso de uma mudança drástica de sistema operacional e migrar tudo para linux. Sim, se as pessoas se empenharem em aprender  (porque o maior entrave que eu vejo é no desejo pessoal de cada um) e quiserem realmente mudar. Onde está o espírito aventureiro?

Quando se opta pelo software proprietário o investimento para tornar legal 150 computadores fica dispendioso para uma empresa (ou órgão público), pois deve-se prever que a tecnologia melhora a cada dia, cada vez mais recursos são exigidos pelos sistemas e dispor de um capital comprar uma licença para em curto prazo ter que emigrar recursos para um novo sistema me parece um custo não muito econômico.

Tudo bem, o Windows XP tem suporte quase-garantido até 2014… o tempo passa muito rápido.

Alguns perguntam: Quem precisa de atualizar o XP? Todos! HTML5, CSS3 são uma realidade, ficar alheio às redes sociais é atirar no próprio pé… o XP vai conseguir sobreviver à essa realidade? É claro que não!

Como quem não quer nada, a Microsoft vai tornando a transposição do XP para Seven automaticamente. O Windows Live Messenger e o Explorer 9 são os maiores exemplos disso.

Apesar de muitas opções de navegadores, como Mozilla Firefox e Google Chrome, mesmo que surjam alternativas ao Windows Live Messenger, como é o caso do Emesene, é impossível ignorar as recentes inovações que vem surgindo.  De acordo com a MicroSoft  o Internet Explorer 9 necessita sistemas operacionais mais atualizados, pois exige novas tecnologias, como a aceleração por hardware, deixando o Windows XP de fora.

Por trás dessa “chantagem digital” há um marketing para alavancar as vendas do Windows 7 e tentar minimizar o rastro que a pirataria deixou com a geração XP, pois o novo sistema de autenticação do Seven, o WAT, é mais eficiente. A cada 90 dias o WAT automaticamente checa a autenticidade do sistema, ou seja, uma hora ou outra o Seven pirata será descoberto, dando dor de cabeça ao usuário.

É claro que isso não significa que o sistema WAT seja anti-pirataria, mas pelo menos aquele usuário que não sabe o que está sendo atualizado (que não tenha conhecimento técnico ou que não presta atenção nos detalhes) fatalmente será bloqueado.

O quê ficaria mais dispendioso para a empresa? Ter um sistema operacional que necessita ser autenticado e que em caso de uma troca de equipamentos tenha que adquirir uma nova licença ou usar um sistema operacional que é constantemente atualizado sem prejuízos, que pode ser transferido para outro equipamento sem custo adicional?

Gente se adapta! Equipamento se troca!

E para o usuário comum são as mesmas regras: se quiser aproveitar o que há de novo, melhor e eficiente sem ter que arcar com o “peso” de uma licença, o Linux é a melhor opção, pois mesmo sendo um sistema também proprietário pode ser livremente atualizado, customizado e adequado à sua nova realidade.

Seja Windows, Linux ou MAC, entre todos estes a opção mais lucrativa é o Linux, com certeza.

Abraços


Gostou? Comente! Espalhe!

Não gostou? Critique educadamente.

Visite meu blog | Siga-me no Twitter.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

José Ferreira Netto

Mais artigos deste autor »

Bacharel em Sistemas de Informação pela ULBRA - CEULJI - CAMPUS DE JI-PARANÁ/RO, Usuário desde o MS-DOS 6.10 - Fã de Tecnologia e de Sistemas Windows e Linux - Gosto de compartilhar conhecimento, idéias - Atua como Administrador Técnico de Depto. Informática para Serviço Público.


33 Comentários

Marcelo de Souza
1

Apenas o licenciamento OEM microsoft é atrelado ao hardware. O FFP pode ser instalado em qualquer equipamento ( salvo os requisitos de instalação ). O uso do linux deve ser mais e melhor difundido. E a direção de seus projetos deve ser melhor definida para que ganhe realmente espaço por ser produtivo, confiável e simples, não apenas por ser “mais em conta”. Uso uma distro para trabalho específicos regularmente, mas, infelizmente, ainda não substitui o Windows no meu cotidiano. Quem sabe nos smarts…Who knows…

Daniel Bicalho
3

Bom, tenho que elogiar o seu artigo, muito bom.
Tem pontos que não concordo e vou ponderá-los. Deixo claro que sou apaixonado pelo Software Livre e suas vantagens e até mesmo pelas desvantagens.
Primeiro faça uma correção no quinto parágrafo, onde você afirma que Linux é proprietário.
Segundo, a licença do Windows hoje sai por um preço irrisório no caso de uma atualização do parque computacional. Através de licenças OEM e compra de máquinas da DELL, HP e IBM Lenovo, o custo é muito baixo, fora os incentivos que se têm para órgãos públicos, principalmente do segmento da educação.
Outra coisa é, migrar para o Linux é caro, pois tempo é dinheiro e a adaptação e estresse gerado pelas mudanças não é qualquer um que encara. Lembre-se, é preciso treinar todos os envolvidos para a nova adaptação do sistema e lidar com as dificuldades e acompanhar de perto. Já estudei projetos para a migração para soluções livres para desktop e cheguei a conclusão que o tempo é muito caro para muitos.
Ótimo artigo, vale a pena pensar no assunto.

netto
4

De acordo com o Marcelo de Souza e o Daniel Bicalho, a licença FFP (Full Package Product) não está atrelada ao equipamento só que em compensação o cliente sempre teria que optar pela mesma linha de produto, ou seja, uma vez Vista Ultimate, sempre Vista Ultimate podendo apenas trocar de 32bits para 64bits e o custo é bem mais alto que a OEM, embora seja compensador a curto prazo, já que os sistemas estão evoluindo muito rápido.
Quanto à questão de ser ou não proprietário eu inclui o Linux porque depende do ponto de vista de cada um, muitos acham que livre e opensource são as mesmas coisas, e não são. Uma distrô linux é opensource para quem deseja alterá-la, ou seja, ela é livre para os desenvolvedores e é livre para quem deseja distribui-la, mas o usuário comum continua se limitando aos recursos que a empresa mantenedora inclui no sistema.
Mesmo assim, com todo o desgaste com estresse, adaptação e treinamento que todo projeto tem que enfrentar ainda assim vale a pena investir na idéia, só assim surgirão boas idéias e soluções que podem servir para outros projetos, é um incentivo que vale a pena, mesmo a longo prazo.

Pedro
5

Eu sou Designer de Interfaces e uso Photoshop, Fireworks, Flash e Illustrator. Todo Mac que eu compro vem com uma licença do MacOSX, e se eu quiser atualizar para uma nova versão, sai em torno dos 450 reais. Acho bem mais viável que comprar um Sony Vaio e conforme for lançando um novo Windows, pagar 1000 reais para pegar a versão full dele.

A idéia de software livre é bem legal, apesar de não imaginar como seria o mundo da tecnologia sem softwares proprietários (imagina, tudo free). Acontece que o Linux não é apropriado pra todo mundo. Eu por exemplo não tenho como usar, imagina o tempo que vou gastar para aprender Gimp e Inkscape para ver se consigo fazer o mesmo que faço no Photoshop e Illustrator, fora o Flash que não conheço equivalente pro Linux.

Acho o Linux também pouco intuitivo e tem muitos programas e drivers que não funcionam nele, logo as coisas não são tão simples quanto parece no texto…

Sobre o artigo, não é nada diferente do que já ouvi anteriormente de Linux xiitas.

Digital Side
7

Afirmar que software proprietário não é bom para ninguém essa eu concordo e é totalmente correto, mas comparar Windows, Mac e Linux como softwares proprietários, ai já é um equívoco.
Jogou todos no mesmo saco, a única coisa em comum entre eles é que são sistemas operacionais, o restos não se pode comparar.
Falar que Linux é proprietário é um equívoco, pois atualmente exisitem distribuições Linux 100% livres (não-proprietários).

Netto
8

Prezado Pedro, não sou xiita Linux, tanto que uso Linux e Windows Seven (original) mas a idéia do artigo não é obrigar ninguém usar o Linux nem falar mal de Windows, nem MAC OSX, afinal cada um tem sua particularidade, mas a idéia é fazer as pessoas pensar, abrir sua mente para novas idéias e deixar de lado o fácil, o intuitivo, o igual, isso causa preguiça… imagine que você consiga fazer as mesmas coisas que faz usando uma ferramenta proprietária numa free? Talvez você ganhasse mais dinheiro ou seria mais inteligente do quê quem usa as mesmas ferramentas. Tudo bem que o Inkscape não tenha os mesmos recursos que o Corel, que o Gimp não seja tão útil quanto o Photoshop/Fireworks mas o uso da ferramenta estimula o desenvolvedor à melhora-la, isso é fato! O que seria dos carros se não fossem os usuários, a inovação é natural, quem não inova fica obsoleto e o mesmo acontece com nosso conhecimento… conhece alguém que ainda usa MSDOS ou Windows 3.11 como sistema operacional? Essa é a questão, o conhecimento! Existem ferramentas para Flash no Linux, sim, como Flash4Linux, Spalah, entre outras basta pesquisar.
Eu nem vou falar do tempo, mas se você gosta de aprender o desafio é o combustível, é uma diferencial e quem se aplica em opensource e iniciativas livres tem um diferencial no mercado.
Quanto ao MAC eu acho que muitos quando compra um acha que alcançaram o Nirvana e não é bem assim… eu não tenho um, mas acho que muitos douram a pílula demais.
O artigo tem como objetivo aquele que usa o “pirata”, mas boas idéias sempre assustam no primeiro momento…

Netto
9

Ah, e esqueci de falar! Eu instalo o Ubuntu 10.10 32/64bits e nunca tive que instalar drivers adicionais, sem falar que ele pode ser instalado também num MAC… poderia ser ruim um sistema tão portável?

Robinson
10

Já sou usuário Linux a um bom tempo. No entanto, sempre fui forçado a utilizar o meu Windows (original) por causa do meu trabalho e com isso tudo girava em torno dele. Até que a quatro meses atrás, redimensionando uma partição eu o perdi completamente.
Como é bom ter backups nessa hora! Acontece que ao invés de eu restaurar os backups em uma nova instalação Windows decidi arriscar a ficar apenas com o Linux passando por uma adaptação que, admito, no início foi embaraçosa, mas que com o tempo foi gratificante. Tudo o que eu usava de desculpas, mesmo no trabalho, que me prendia ao Windows caiu por terra.
Hoje sou usuário Linux integral e concordo com o Netto, as pessoas precisam encarar a mudança e aprender coisas novas, se adaptar.

Netto
11

Tudo que tem dono tem um proprietário… o Kernel é livre para quem quiser desenvolver, não devemos confundir o gratis com o livre… tudo bem que eu deveria ter me referido à uma distribuição em particular e não “todo” linux em si, ou seja, generalizei… mas prometo escrever outro artigo me retratando.

Kleber
12

Artigo totalmente tendencioso e não demonstra nenhum motivo para convencer ninguem a migrar para o linux.
Alem de prestar informações erradas como as da licença do windows, indica para que as pessoas façam esforço para aprender a mexer com o linux. Só vai ter um feedback positivo pela comunidade linux aqui. Texto muito ruim na minha opinião.

Ricardo
13

“Gente se adapta! Equipamento se troca!” – excelente frase!! Na minha faculdade o uso do Linux está se difundindo aos poucos, bem de leve mas está.

Fernando Angelieri
14

Gostei da resposta do Bicalho e de outros colegas, mas um ponto que não foi levantado é o processo de automatização do parque de computadores.
Estou falando de um parque gerenciado e administrado de forma centralizada. Políticas de segurança, deployment de SO e aplicativos, patches, etc.
Ainda discutimos baseados na experiência de TI de 15 anos atrás onde tudo tinha que ser feito estando na frente da máquina (usar VNC não é fazer gerenciamento centralizado).
Isto só encontro no Windows ou nas distribuições Linux pagas. Se tenho que pagar e o valor é basicamente o mesmo (estou falando aqui de contratos de longo prazo) minha escolha ainda é Windows.

Abraços a todos,

Frederico
15

O dia que o Linux rodar os jogos que tenho, mudo para ele. O MAC OS me atrai pela usabilidade e pela possibilidade de integração com meu iPhone, Já o XP, que tenho em em casa ( original ), não deixa nada a desejar, rápido e quase não dá problema. O segredo é não ficar instalando lixo nele. ( Ou se for extremamente necessário instalar vários programas, usar uma máquina virtual).

Netto
16

Kleber, somos tendenciosos mesmo, que não segue a tendência está na contramão da modernidade e caminhando para o fracasso.
Quem acha que o Linux ainda não está totalmente preparado para as grandes corporações deveria estudar e pesquisar um pouco mais, 3/4 dos servidores estão sob a tutela do Linux. É claro que há um preço à pagar, é um investimento à longo prazo, mas os fins justificam os meios. VNC, gambiarra e afins é coisa de Windows. O cara que usa linux e wine pra emular sistemas windows é porque ainda não aprendeu usar linux ou teve preguiça de aprender as alternativas.
Cada caso é um caso e quem aplica soluções sem fazer um projeto deveria ir (ou voltar) pra faculdade.
Para entender a intenção do artigo, antes de criticar, pergunte se você tem conhecimento técnico mínimo e sabe a diferença entre o Windows e o Linux.
Quando eu me referi às distribuições Linux proprietárias achei que muitos iriam entender que estava me referindo às algumas não ao Linux de modo geral, quem tem conhecimento técnico mínimo entendeu e deu feedback positvo, ao contrário daqueles que odeiam Linux porque vêem-no como um inimigo e as coisas não são bem assim.

Sérgio Michels
17

Analisando a possibilidade de portar uma empresa pública de Windows para Linux, esbarramos nas pessoas. Nem todas gostam de tecnologia e gostam de desafios. Para elas, aprender um novo sistema operacional, com novos programas é custoso e qual o retorno que elas ganham? Nem todas as pessoas são movidas pela vontade de adquirir conhecimento.

Além disso, não teríamos que mudar a cultura dos cursos de informática, que atualmente ensinam o básico Microsoft (Windows, Word, Power Point) e atualmente a maioria dos locais de trabalho utilizam este pacote.

Thiago Delgado
18

Olá amigo. Perdõe-me a franqueza, mas há vários pontos em seu texto que trazem informações infundadas ou erradas. Linux não é proprietário, nem todas licenças estão atreladas ao hardware, atualização de software pode não ser tão caro quanto exposto e o overhead pós-migração para sistema operacional Windows-Linux é pesado. Afirmo o último com experiência no assunto. No setor público então a coisa é ainda pior, pois há inúmeros dinossauros sentados e garantidos por seu concurso que nada farão para que este processo seja bem sucedido. Entendo que é um apaixonado por software livre, mas é preciso prudência na divulgação de opiniões. Exagerar um pouco é valido, mas mudar a realidade é desonesto.
Acredito que há casos e casos. Em alguns o uso de software livre é seguramente mais barato, mais rápido e menos estressante. Em inúmeros outros, não há como fugir dos proprietários. Tente convencer um designer gráfico que a suite Corel Draw ou aplicativos da Adobe Photoshop devem ser trocados por softwares livres. Isto sim seria um tiro no pé!
Abraços e boa sorte em sua empreitada!

Netto
19

Pois é, Sérgio Michels, que bom que você entendeu o objetivo do artigo… mudar cultura, costumes demanda compromisso, paixão e iniciativa e como retorno teríamos bons produtos pois o consumo estimula a concorrência, que estimula a inovação, a melhoria… simples questão de lógica.

Kleber
20

Netto, Conheço bem dos dois mundos e prefiro o windows, é o sistema que me atende mais. Não li o seu artigo com intenção de criticar, mas apos realizar a leitura a unica opinião que ficou na minha cabeça é que o texto contem várias informações erradas e é totalmente tendencioso para o lado linux, nao expoe argumentos convincentes para nenhuma pessoa usar o linux, somente fala que é melhor e pronto. Baseio minha conclusão pelo titulo. o tempo de todos é curto e as solicitações dos clientes são cada vez mais “pra ontem”. Essa parte de feedback para empresas que desenvolvem os softwares cujo voce citou nos comentários (ex. gimp) demanda muito tempo e nos faz perder um tempo que pode ser precioso. O custo e o tempo que são gastos para aprender a utilizar uma ferramenta que já está no mercado pode ser alto e é o mesmo que reinventar a roda. Não vejo o linux como um inimigo para o windows e acredito que tem lugar para os dois. Se você ler bem o que você mesmo escreveu, vai ver q quem trata algo como inimigo é você (lixux x windows)

Marcus Eniack Ilipra
22

Caros,

Algumas ponderações, “quissá” extemporâneas com relação à publicação do texto, visto que já se passaram 6 meses de sua publicação e isto é muito tempo quando de fala em recursos de TIC.

1 – Vamos imaginar que a banda do SW Livre esteja com a razão (e eles sempre acham que estão), e que daqui por diante tudo fosse “free”. Até quando teríamos sw de qualidade ? Até quando as pessoas iriam investir em estrudo, pesquisa, capacitação, inovação sem ter o retorno financeiro que se espera ? Até quando ? Essa baboseira de que o código ‘free” serve para compartilhar conhecimento é pura bobagem ! as pessoas fazem isso até perceber que podem ganhar dinheiro (e essa é a lógica que vivemos. O mundo cor-de-rosa de Utopia do Thoams More não existe).

2 – Nunca se esqueçam que a TIC é uma ciência “meio” e o usuário final, para o qual todos vocês trabalham (ou pelo menos deveriam), estão se lixando para a tecnologia. O que eles querem mesmo é informação disponível, na hora certa, no formato desejado e acima de tudo, confiável.

3 – Enquanto se discute a baboseira do sw livre, Microsoft, Oracle, SAP, entre ojtros, continuam batendo records de faturamento. Por que será ? Alguém duvida disso ??

Abraços,

MArcus

Marcio Santos
23

Concordo com você que o grande problema da migração para o linux, são os usuários. Penso o seguinte: Se o dono da empresa determinar, TODOS terão que se adaptar.
Participei de um grande projeto de migração e de vários projetos de menor porte em linux e depois da adaptação, ficou 100%.

Adalberto
24

Eu sou usuario linux(Ubuntu, fedora, linux mint, slackware) ja testei varias distros mais sempre volto ao ubuntu mais a um bom tempo q estava utilizando o slackware e com isso so melhorei meu introsamento com o ubuntu pois consegui me adaptar a ficar até meia hora escrevendo shell scripts para deixar tudo no slackware mais facil pois como todos que mexem com linux o slackware é a ditro mais casca dura que existe e eu posso agirmar que ela não recebeu esse apelido vamos dizer assim atoa pois ela é muito complicada mais nada que uma adaptação não resolva e eu posso dizer que eu não preciso mais do RWINDOWS pois consigo fazer tudo meu linux e olha que eu trabalho com programação(web, Desktop) e com edição de imagens e sim ja ia esquecendo de falar eu tenho 16 anos e uso linux desdos 14.

Netto
25

Parabéns, Adalberto, é assim que começa… contagie seus amigos, mostre à eles que o Linux veio para ficar e que além da segurança, performance, gratuidade e outras opções, ele oferece as mesmas ferramentas que os outros sistemas que você normalmente pagaria para tê-lo

Adalberto Olegario
26

Bom lendo esse post bastante interessante de nosso amigo Netto, porém me chamou atenção um ponto “opção mais lucrativa é o Linux”, será que realmente é?
No meu ponto de vista tanto software e Hardware, tem prazo de validade pois assim como novos hardwares são desenvolvidos também novos softwares são desenvolvidos afim de garantir esta mudança de tecnologia, por isso talvez alguém tenha pensado em que a licença de um software esta vinculado ao hardware no qual o mesmo opera.
Quando se falamos em linux por não ter que pagar pela licença do mesmo, por outro lado teremos que investir em treinamento dos usuários, e ainda em uma grande equipe de desenvolvimento afim de realizar todas as customizações a serem implementadas.
Se levar em conta tudo isso acredito com muita certeza que sairá mais caro do que a compra de um software proprietário.
Do lado do hardware até para poder utilizar tudo o que o linux tem a oferecer é necessário também trocar o mesmo de tempo em tempo.
Ja utilizei muito o linux, varias versões comecei com o Slackware e tive a oportunidades de utilizar vários, quanto a qualidade do sistema não se discute porém na minha opinião o linux ainda não é um sistema operacional para usuários comuns, que sentem dificuldade até em utilizar o windows.
Ai o X da questão grandes instituições do governo brasileiro adotaram nos últimos anos software Open-Source como platorformas oficiais porém ninguém divulga quanto foi o custo disso tudo.
Acredito que se fosse lucrativo por N motivos o setor privado já teria aderido em grande escala, mas não é isso que aconteceu.
Hoje é muito comum o linux em servidores, pois acredito ser verdadeiramente a melhor opção, além de toda robustez do S.O, tem a questão da segurança e claro a Licença.
Mas para Desktop, ainda não vejo um concorrente a frente do windows tamanha o numero de usuários deste sistema.

Netto
27

Então você não usou o Linux… eu usei Windows quando ainda era via comando (MSDOS 6.20) até o Windows 7 e, apesar de prestar suporte para clientes Windows, não pretendo usar Windows e o Linux me oferece tudo que o Windows me ofereceu, o Linux para Desktop é até mais recomendado para o usuário comum, que geralmente faz coisa errada e põe a culpa no sistema… Linux domina nos servidores… recentemente o site Olhar Digital fez um teste com MAC, Linux e Windows 8, o Linux ganhou em todos os quesitos e olha que eles são parceiros da Intel, um dos maiores incentivadores dos produtos da Microsoft… se eu fosse você usaria o Linux de novo, mas como usuário comum e não como crítico.

Adalberto
28

Netto me desculpe amigo mas você fala com tanta certeza “Então você não usou o Linux”, quanto a certeza que você tem sobre a versão do MS-DOS que você começou a trabalhar 6.10 ou 6.20?
Não vou debater com você, a qualidade de cada sistema operacional pois sobre isso já tenho minha opinião formada.
Um profissional de T.I deve estar pronto para trabalhar com a demanda, seja Windows , IOS, UNIX, ou Linux, e hoje a demanda é por aplicações e sistemas desenvolvidos para Windows, quando o assunto é desktop, tenho certeza que em sua carreira 99.9% da sua renda veio através do seu trabalho com S.O windows.
Quanto ao futuro não consigo ver a menor tendencia de utilização do linux para usuários comuns seja para trabalho ou diversão aqui mesmo no brasil já existiram varias frentes para o famoso PC popular esse no qual é vendido com sistema operacional Linux, duvido que dos PC’s vendidos neste modelo 20% ainda tenha o linux instalado no mesmo. Uma coisa é o profissional de T.I achar que é melhor e outra é o consumidor querer utilizar!
Agora se você acha que um upgrade do windows por R$ 70.00 segundo o vídeo que você citou é caro?
Então é mais barato instalar o ubuntu, contratar uma boa equipe de desenvolvedores (para migrar todas as aplicações hoje utilizadas no windows para linux) e pronto resolvido?
Só não sei se isso vai custar menos que 70,00 reais por PC. talvez os 70.00 reais pague uma hora de trabalho de um desenvolvedor Sênior em Java SE.
Quanto ao seu comentário “Desktop é até mais recomendado para o usuário comum, que geralmente faz coisa errada ” De uma permissão de Root a um usuário no Linux e pronto virou um Windows!
Retire as permissões de Admin do Usuário no windows e pronto virou um linux !

Bom ironia ou não a microsoft figura entre as 20 empresas que mais contribuíram com o linux
Empresa foi responsável por incluir 20 mil linhas no novo código do kernel do sistema.

Fonte: http://www.tecmundo.com.br/microsoft/21760-microsoft-esta-na-lista-dos-maiores-colaboradores-do-linux.htm#ixzz2CjWo89i1

Netto
29

Nem tem como eu responder pra você, porque você já tem opinião formada, que argumento você quer?
Você acha uma estimativa de 20 à 100 milhões de usuários, que é o que o Linux tem hoje, pouco? Você acha que é obra do acaso as maiores desenvolvedoras de games do mundo, como a Valve e a Steam, estarem desenvolvendo games para Linux?
Você acha que é pouca coisa a M$ ter assassinado o MSN e adotado o Skype que funciona no Linux?
Existem 2 níveis de segurança no Linux: usuário padrão, e o super-usuário, assim como no RW, porém o sistema Linux é bem mais forte em termos de segurança, tem melhor performance, melhor aproveitamento de hardware, mais economia de energia…
Eu não sou fanboy, muito menos linuxiíta, até porque meus clientes, a maioria, usam Windows, mas eu sempre recomendo e sempre vou recomendar Linux, principalmente para o usuário comum….
O fato da M$ ter contribuído com os míseros 1% de código, contribuição esta que não foi feita totalmente de boa vontade, pois o trabalho da Microsoft no núcleo é voltado para drivers da plataforma Hyper-V, programa oficial de virtualização da empresa. O objetivo era melhorar a comunicação entre o Linux e os produtos Windows. Porém, identificou-se que os softwares continham códigos de programação de domínio público e fechado. Essa situação configura quebra de licença e, portanto, a empresa de Bill Gates foi obrigada a liberar os códigos da pesquisa, gerando benefícios para o núcleo Linux, isto A deixa ENTRE as 20ª, está beeeemmmm atrás, pra ser uma das que mais vende softwares está contribuindo quase nada, é como se ela desse o “ízimo” para os usuários…
Talvez não seja ideal para empresas que ainda “usuárias” do sistema da M$, mas para o usuário comum, aquele que usa o computador para acessar internet, fazer trabalhos, realizar tarefas comuns, editar imagens/audio/vídeo, o Linux é bem melhor que o Windows, pois além dos benefícios que cite, tem ainda a questão da segurança…
O Windows 8 só não vai ser pior porque a M$ investiu nos móveis, comprou tecnologia para competir mas o fato de poder emigrar os piratas para o original, caindo o preço que era do Windows 7 de R$ 650,00 para 89,00, isto, pra mim, profissional de TI desde 1993, é indício de “arrego”
E tem um agravante… os zumbis são sempre em maior número…

Adalberto
30

Netto aprecio muito um debate de auto nível e te dou os parabéns por este Post, que ajuda a mostrar justamente a diversidade de opiniões.
Eu acredito que sim o linux hoje é o melhor sistema operacional em muitos requisitos, porém o melhor nem sempre é o mais indicado.
Também existe a questão de que a ocasião faz o ladrão um exemplo disso é o windows. sempre sofreu criticas de segurança etc.(Simplesmente por ser o Mais Popular) agora veja outra exemplo.
Ja existe milhares de pragas que tornam o Android um S.O baseado no kernel do Linux tão frágil quanto o windows (Simplesmente por ser o Mais Popular para Dispositivos Moveis).
E sim você esta correto os desenvolvedores de Games estão sim de olho no Linux, Mais somente por causa do Android da Google os interesses deles são desenvolver games voltados para o Android.
Hoje eu sei qual é a verdadeira função dos Software-Open Source ou de código Livre:
– Desenvolver novas tecnologias praticamente de graça, em uma velocidade enorme a custo zero. utilizando mão de obra de apaixonados por tecnologia como nós.
– Para depois ganharem bilhões vendendo estas tecnologias encorporadas em seus produtos.
ai posso citar varias empresas que fazem isso .Google, IBM, Oracle, Microsoft etc… e por ai vai.
Por isso que eu falo que é muito difícil o linux tomar o lugar do windows no uso em Desktop, Assim como é muito difícil o Windows-Phone tomar o Lugar do Android.
Eu não vejo a posição da microsoft como arrego mas na verdade sim como uma jogada para tornar o windows ainda mais popular no mercado oferecendo toda integração entre desktop e Mobile para forçar o usuário quando for comprar um Smartphone comprar um que tenha o S.O windows.

Cândido
31

Eu uso Windows 7 Ultimate original e OpenSuSe.
Trabalho profissionalmente tanto com Windows quanto com Linux, HP-UX, AIX, dentre outros.

Não colocarei a minha opinião aqui sobre os sistemas, pois é inútil tentar argumetar contra fundamentalistas Linuxiitas.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">