Cloud Computing – uma realidade irreversível

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

O Cloud Computing, conjunto de serviços de computação oferecidos por meio da Internet, está se consolidando nas empresas com grande velocidade. Atualmente, quase todas as tecnologias (com as vantagens da virtualização, automatização, escalabilidade conforme a demanda, acessibilidade e gerenciamento remoto) podem funcionar em nuvem, proporcionando importantes benefícios às companhias, como a economia de custos e o foco em seu “core business”.

Os serviços de Cloud Computing podem ser prestados internamente, por meio de uma intranet que faça a conexão na chamada Nuvem Privada, ou externamente, por meio da conexão a uma extranet, na qual os dados, recursos e aplicações podem ser acessados desde qualquer ponto e por meio da Internet. A partir deste serviço de Web, a acessibilidade torna-se mais uma grande vantagem na denominada Nuvem Pública.

O foco em seu próprio negócio também representa uma economia de custos e de recursos, pois o fato de poder destinar todos os esforços e conhecimentos ao valor da empresa gera mais benefícios adicionais do que distribuir o foco em outras atividades secundárias.

Um dos inconvenientes a serem superados para uma implementação completa do Cloud Computing é a mudança de mentalidade associada à migração do modelo tradicional de serviços de TI para um modelo na nuvem, algo que, entretanto, gera custo. Além disso, deixar que as informações da empresa saiam da rede pode parecer inseguro ou pouco confiável. Também é necessário que haja uma conexão permanente à Internet para que se possa operar, já que o que antes era um benefício pode chegar a ser um problema se a rede cair ou se não estiver disponível em certos locais.

Outro dos principais questionamentos gerados pelo Cloud Computing é: onde estão meus dados visto que o Cloud Computing baseia seu conceito em armazenar as informações na “nuvem”, ou em servidores de Internet que, em princípio, não sabemos onde estão localizados?

Além disso, para prestar esses serviços, deve-se conectar e interrelacionar as aplicações e os sistemas existentes na empresa com uma plataforma, ou ferramenta, que forneça os serviços por meio do Cloud Computing, o que requer a revisão dos procedimentos e medidas de segurança já implementados nos sistemas da companhia. Em outros casos, para prestar serviços pode ser necessário que haja a intervenção e a participação de terceiros. Neste caso, o nível de serviço prestado aos usuários estará relacionado com os serviços contratados de terceiros, provedores de Cloud Computing. Também é fundamental adequar o serviço às normas legais (normatização vigente) relacionadas à proteção dos dados.

Apesar desses possíveis inconvenientes, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Gartner em 40 países, os orçamentos para serviços baseados em Cloud Computing estão aumentando, ao passo que os serviços tradicionais de TI devem se adaptar, ou desaparecerão. Durante 2010, cerca de 10,2% dos serviços externos de TI consumidos já foram em formato de Cloud Computing.

Para 2011, espera-se que a adoção do Cloud Computing seja geral e aumente consideravelmente, englobando desde pequenas empresas até companhias de grande porte.

Não há dúvida que o Cloud Computing já é uma realidade irreversível.

Autor: Susana Durán – CTO (Chief Technology Officer) da Spamina

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">