Software como Serviço: a nova tendência do segmento de TI

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

A busca pelas redução de custos em diversas áreas operacionais das grandes empresas transformou-se numa ação habitual no mundo corporativo. O setor de TI precisou se adaptar a essa nova realidade. A mudança na filosofia das empresas forçou os gestores a buscarem opções como a virtualização de servidores e o cloud computing. No entanto, dentro do orçamento de TI, a medida mais usual acaba sendo a redução dos investimentos em novas aquisições de software e hardware.

A principal alternativa encontrada pelas empresas para manter as estruturas de TI sem comprometer os serviços foi a utilização do modelo Software as a Service (SaaS). Nesse sistema de trabalho, o custo total de aquisição (TCO) é reduzido devido à terceirização de alguns serviços de TI da empresa contratante para o fornecedor SaaS. A maior prova de que esse modelo está ganhando força no mercado e consequentemente atraindo resultados positivos está nas estatísticas do IDC e Gartner. De acordo com os dados, em 2011, o mercado de Software as a Service vai representar 30% do volume de novas vendas das licenças de softwares no mundo. A razão para tamanho sucesso consiste no fato do cliente não ter a obrigatoriedade de adquirir a licença de uso. Basta realizar o pagamento de uma taxa mensal baseada no número de funcionários ou funcionalidades que acessam o serviço.

Outra vantagem está em não haver mais a necessidade de contratos de manutenção, pois este fica a cargo do provedor e não da empresa. O usuário passa a usar o software sem se preocupar com as atividades de instalação, manutenção, upgrades, entre outros.??O modelo SaaS é fruto da convergência de diversas tecnologias (networking, ferramentas de programação e capacidade computacional) que vem apresentando custos decrescentes. Estudos mostram que o TCO (Custo Total de Propriedade) reduz em até 30% em relação ao modelo convencional de compra de licenças de software. Mas, sem dúvida, o principal aliado desse modelo é o fator ambiental. Ecologicamente correto (TI verde), a redução de energia é avaliada em mais de 60% com servidores, no breaks, climatização e sistemas anti-incêndio, não mobilizando a estrutura tecnológica do cliente.

Atenta a este modelo de serviço, a Guardian Tecnologia da Informação passou a incorporá-lo num dos seus produtos. O PrintScout, serviço de monitoramento e gestão on-line de impressoras, ganhou uma versão totalmente web (SaaS). O produto é destinado para serviços de outsourcing de impressão, comodato de impressoras ou gerenciamento de parques de impressão. O PrintScout proporciona o monitoramento de impressoras instaladas em diversas empresas globalmente distribuídas, permitindo assim um acompanhamento em tempo real do parque de impressão. Além de monitorar status e falhas em equipamentos de impressão para um gerenciamento proativo, a solução permite o acompanhamento da evolução do volume impresso através da coleta dos contadores internos dos equipamentos. Esta ação é uma forma simples e ágil de otimizar o processo de coleta de contadores, processo esse que ocupa grande parte do tempo das empresas de outsourcing de impressão.

Sem dúvida, o SaaS já é realidade e em breve estará dividindo o mercado igualmente com a compra de novas licenças. Isso graças ao fato da modalidade proporcionar às empresas a redução de custos no setor de TI. É apenas uma questão de tempo. E quando o tempo está relacionado à Tecnologia da Informação significa que a mudança pode acontecer antes do que muita gente imagina.

Fonte: Ditta Pubblicità

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Profissionais TI

Mais artigos deste autor »

Eventos, cursos, livros, certificações, empregos, notícias e muito mais do mundo da TI (Tecnologia da Informação).


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">