Apex-Brasil adota IBM SPSS Statistics para aprimorar seus estudos estratégicos

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Apoiar a exportação nacional. Essa é a missão da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), um serviço do governo federal criado há mais de 10 anos que contribui para a internacionalização das empresas brasileiras. Essa colaboração é feita por meio de análises aprofundadas de dados que apresentam conhecimentos capazes de orientar as empresas e torná-las competitivas no mercado mundial.

As pesquisas da Apex-Brasil estão se tornando cada vez mais precisas com a utilização do software de análise estatística IBM SPSS Statistics. Segundo Marcos Lélis, coordenador da Unidade de Inteligência Comercial e Competitiva da Apex-Brasil, anteriormente, sua equipe trabalhava somente com o software Excel. Agora, a unidade está vivenciando uma nova fase, onde são permitidas análises mais complexas. “O primeiro ganho que sentimos ao trabalhar com o IBM SPSS Statistics foi a redução drástica de tempo para concluir uma pesquisa. Antigamente, precisávamos de semanas para concluí-la em Excel. Hoje, finalizamos em uma manhã”, conta o coordenador. “Dois anos após o início da utilização do IBM SPSS Statistics, percebemos que o software contribui imensamente na busca de melhores oportunidades para o Brasil”, avalia Clara Santos, analista de gestão e negócios da Apex-Brasil.

Ferramenta de estatística suporta volume de informações

A unidade de Inteligência Comercial produz relatórios com base no cruzamento de dados estatísticos da pauta exportadora nacional com as importações internacionais. Através desse cruzamento de informações é possível identificar as oportunidades disponíveis para os setores e produtos brasileiros em outros mercados. Alguns dos relatórios gerados por essas pesquisas são o “Estudo de Oportunidades Setoriais” e o “Perfil de Estados e Países”.

Para essas pesquisas, é necessária a busca de informações sobre o comércio exterior de diversos países que não ficam armazenadas em um só local. “Pesquisamos em diversos sites oficiais. Utilizamos várias bases de dados internacionais sobre países exportadores que disputam mercado com o Brasil, preços praticados pelas empresas, logística de transporte, clientes potenciais, entre muitas outras variantes”, comenta.

Lélis conta que, para cada uma dessas pesquisas, era necessário unir todos os arquivos e depois inseri-los, um a um, no Excel. “A ferramenta já não correspondia, porque o volume de dados que precisávamos processar era muito grande. Além disso, tínhamos dificuldade para inserir novas informações e não conseguíamos realizar testes estatísticos mais sofisticados”, conta o coordenador, explicando que foi nesse momento, que a unidade adotou a ferramenta de estatística.

Segundo Clara Santos, agora a quantidade de novas informações que são cruzadas é maior e mais selecionada e, dessa forma, é possível apurar resultados mais interessantes e efetivos, como ofertas brasileiras para o mundo, importações de mercados alvos, importações dos países concorrentes, entre outros. “Com esta visão transparente de como o Brasil está no ranking de cada setor e de posse das informações sobre oportunidades ao redor do mundo, temos munição suficiente para ajudar as empresas brasileiras a se posicionarem no cenário do comércio mundial”, explica.

Automação das rotinas e informações

“Contratamos os serviços de consultoria da DMSS para automatizar esse trabalho”, conta. A equipe da DMSS, empresa especializada em sistemas preditivos e estatísticos, trabalhou para compreender as necessidades da agência e, com base na metodologia da Apex-Brasil para pesquisas, criou modelos de relatórios que foram internalizados na ferramenta IBM SPSS Statistics. “Nossa equipe colhe as informações, armazena em nosso banco de dados e o SPSS busca automaticamente todos os dados necessários para cada tipo de pesquisa”, explica.

A unidade adquiriu oito licenças do software e treinou inicialmente 18 profissionais que fizeram o curso básico para utilizá-lo. Atualmente, 25 analistas de inteligência manuseiam o software e avaliam o sistema como o mais aderente às necessidades da agência, além de ser o mais amigável também.

Software permite novos tipos de análises estatísticas

A Apex-Brasil trabalha com 80 entidades setoriais que demandam pesquisas para o departamento e também oferece pesquisas internas para o Ministério do Desenvolvimento e Comércio. “A ferramenta de análise estatística tem nos ajudado a apresentar às empresas brasileiras os índices que antes eram muito complexos de se mensurar”, explica. Em um relatório sobre o perfil de um país, por exemplo, já está sendo possível apontar com rapidez o “Índice de Preço e Quantum”, estudos que medem, respectivamente, quanto o preço e a quantidade dos produtos exportados influenciam no aumento ou diminuição do valor das exportações brasileiras para o mercado de algum país.

Outros indicadores de comércio exterior como o “Índice de Comércio Intra-setor industrial” – que aponta a dinâmica do comércio exterior entre países dentro de um mesmo setor produtivo — e o “Índice de Herfindhal-Hirschman” — indica se o valor das exportações de um país está concentrado em poucos produtos — também estão sendo medidos, depois da chegada do IBM SPSS Statistics.

O investimento nessa ferramenta trouxe benefícios de curto e longo prazos para o departamento de inteligência e para as empresas brasileiras. “Com mais tempo disponível, podemos preparar estudos ainda mais elaborados e com precisão. Também aproveitamos ao máximo todos os recursos para novos cruzamentos de dados que a ferramenta oferece”, comemora Clara. “Com todo esse poder de medição, não é para menos que a agência tenha se destacado e recebido o prêmio “Melhor Agência de Promoção Comercial”, cedido pelo ITC – International Trade Centre, órgão ligado à OMC – Organização Mundial de Comércio”, acrescenta.

Fonte: Gad Comunicação

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">