O IPv4 está acabando. E agora?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Com o iminente esgotamento do protocolo IPv4, a PromonLogicalis, maior integradora independente de soluções em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) da América Latina, preparou um estudo com informações a respeito da implementação do IPv6. O documento, que está sendo divulgado hoje em homenagem ao Dia Mundial do IPV6, aborda vários aspectos técnicos e mercadológicos da migração, além de apontar as melhores práticas na transição dos endereços de internet no Brasil.

De acordo com uma pesquisa divulgada no site IPv6.br, 95% das empresas brasileiras com dez ou mais funcionários têm computadores. Dessas, 97% acessam a internet. O levantamento aponta também que a internet é parte das atividades diárias de 92% das empresas brasileiras com dez ou mais funcionários. Em poucos anos serão mais de 15 bilhões de dispositivos conectados à internet, acessando remotamente aplicações e grandes bancos de dados, enquanto  o IPv4 suporta apenas pouco mais de 4 bilhões de endereços.

Essas informações representam grande impacto para todos os níveis de usuários da rede mundial de computadores, incluindo grandes e médias corporações, que utilizam a internet como ferramenta principal de comunicação. “É fundamental estar preparado para a adoção do IPv6 em curto prazo. Isso requer planejamento técnico e financeiro, uma vez que demandará atualização das aplicações, servidores, sistemas operacionais, roteadores e demais equipamentos de infraestrutura de TI.”, afirma Lucas Pinz, gerente de tecnologia da PromonLogicalis. Ele destaca, entretanto, que a maior parte dos investimentos realizados em equipamentos de rede ao longo dos últimos anos já foi dedicada a componentes compatíveis com a nova versão do protocolo IP.

Além disso, a migração para o IPv6 permitirá às operadoras a expandir sua base de clientes e criará oportunidades para novos negócios, uma vez que a conexão fim a fim possibilitará que os usuários sejam também provedores de conteúdo. “Com a massiva adoção do IPv6 pelos provedores de conteúdo, o usuário final precisará ter acesso ao novo protocolo no seu modem. Se a operadora não oferecer esta modalidade de acesso perderá um número considerável de clientes.”, complementa Pinz.

O executivo explica, ainda, que para o governo brasileiro, a adoção do IPv6 é uma questão de segurança nacional, pois a internet no País pode entrar em colapso caso não haja um plano concreto para a migração do protocolo. “O sucesso do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) também depende disso. E, hoje em dia, a maioria dos órgãos públicos municipais, estaduais e federais utiliza a internet como principal meio para troca de informações. Por isso, é enorme a importância de medidas imediatas para a implantação do IPv6 no Brasil”, conclui Pinz.

No dia 8 de junho, diversas empresas de internet, como Google, Facebook, Yahoo!, Terra, Campus Party e IG, ofereceram os seus conteúdos também em IPv6 para um teste de 24 horas. O objetivo desse dia de testes foi motivar as organizações de todos os setores – fornecedores de serviços de internet, fabricantes de hardware, fornecedores de sistemas operacionais e empresas de Internet – a preparar os seus serviços para o IPv6 e assegurar uma transição bem sucedida.

O levantamento completo pode ser acessado pelo link http://br.promonlogicalis.com/conhecimento/advisors/ipv6.aspx.

Fonte: A4 COMUNICAçÃO

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Profissionais TI

Mais artigos deste autor »

Eventos, cursos, livros, certificações, empregos, notícias e muito mais do mundo da TI (Tecnologia da Informação).


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">