Negócios x Infraestrutura de TI: o crescimento é inevitável

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Ninguém cria um negócio sem pensar em crescimento, não é mesmo? Eu pelo menos não conheci alguém até hoje que decidiu abrir uma empresa sem pensar em dominar e ser referência dentro do nicho em que vai atuar.

Quando um produto ou serviço tem sua qualidade comprovada por seus consumidores, geralmente as empresas crescem e expandem seus horizontes, dando lugar a novas idéias, novas estratégias, novas unidades e novas equipes – tudo isso, na grande maioria das vezes, em um curto período de tempo para conseguir conquistar mercado antes dos concorrentes.

Neste momento, é que começa a surgir um “grande problema” para as equipes de TI: a expansão. Se os negócios mudam constantemente, a exigência por respostas rápidas começam a aparecer e a infraestrutura deve estar preparada para suportar dinamicamente estas mudanças, a fim de tornar o processo o mais transparente possível para usuários, clientes e fornecedores.

Os ambientes de TI devem ser planejados de tal forma a permitir que gestores possam facilmente aumentar ou adaptar sua capacidade diante das demandas exigidas. Não é aceitável nem viável, por exemplo, estar mudando radicalmente um ambiente de TI a cada etapa do crescimento de uma empresa, por isso, mesmo recebendo a menor fatia dos investimentos anuais das empresas, as equipes de TI devem estar atentas a diversos pontos importantes na hora de criar/expandir seus ambientes. Dentre eles, destaco:

  • Troca de equipamentos: se o ambiente possui equipamentos antigos, considere, sempre que possível, buscar alternativas de última geração com marcas renomadas. Vale a pena, por exemplo, conhecer a linha de servidores Proliant da HP, que permitem acelerar sua capacidade de expansão com segurança e baixo custo.
  • Virtualização: complementando o item anterior, se o ambiente de TI contar com servidores e aplicativos de última geração, torna-se fácil a criação e gestão de ambientes virtualizados. Estes ajudam a reduzir custos e número de máquinas, aumentando o aproveitamento de recursos que anteriormente poderiam estar sendo subutilizados em várias máquinas.
  • Escalabilidade: deve-se optar sempre por hardwares/softwares que permitam a expansão de recursos facilitada. Um exemplo claro para isso seria a adição de mais memória em um servidor sem a necessidade de paradas (máquinas antigas não dispõem de tal funcionalidade).
  • Suporte: Se o negócio perde o rumo na falta de sistemas informatizados, então a empresa precisa de um bom contrato de SLA. O departamento de TI nunca pode deixar um contrato de SLA passar batido. Deve-se ler, discutir e exigir condições que atendam as necessidades do negócio. De nada adianta ter uma baita estrutura se quando houver algum problema tiverem que esperar horas e horas para solução.

Bom, estes são apenas alguns pontos. Vamos deixar outros, não menos importantes, para outra oportunidade.

Lembre-se que a TI deve estar sempre alinhada às estratégias de negócio, crescendo dinamicamente e acompanhando as mudanças impostas.

Caso discorde ou queira complementar o assunto, deixe seu comentário!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

3 Comentários

Guilherme Cecilio
1

Concordo com cada palavra. Apesar do setor de TI geralmente receber a menor fatia de investimento em muitas vezes, temos que nos preparar para sempre estarmos alinhados ao negocio da empresa, já que TIC deixou de ser área de apoio a tempos. O planejamento é sem duvida essencial para que a TIC posso estar alinhada ao crescimento do negocio.

Marcelo Costa AlmeidaMarcelo Costa Almeida
2

Bom dia Jackson.

Parabéns pelo texto!
Realmente, toda expansão se traduz em grandes desafios para qualquer área de TI.
Creio que para amenizar ou eliminar alguns riscos, a palavra chave é “Planejamento”.
A expansão envolve muitos aspectos de TI, desde infraestrutura de redes até licenças adicionais de software.
Atualmente a empresa em que eu trabalho está passando por uma expansão e estamos na fase do planejamento. Estamos levantando informações de números de computadores e impressoras, infraestrutura de redes e upgrade de servidores.

Obrigado.

Noturno
3

Belo artigo e pensamento! porém como Gerente de Ti vejo que o principal desafio é corte de custos! Muitas vezes expressar a nossa visão do ambiente de Ti aos Diretores da empresa limita-se basicamente em descrever uma receita de pão para crianças… e aí eles querem expremer o máximo em gastos.
A virtualização é bem vinda para cortar custos, porém lembre-se que o Servidor responsável pela virtualização deve obrigatoriamente ter um contrário de SLA de prioridade maior, uma capacidade maior, e ainda assim, depende-se da utilização da aplicação e se ela permite virtualização. Neste caso eu penso em DIMENSIONAMENTO correto de servidores para aplicações, File Servers, BD´s, etc.
Hoje mesmo em workshop na Bovespa, os Gerentes e Diretores de Ti tinham a mesma reclamação: Custos!
Para uma empresa que esta funcionando perfeitamente bem é complicado perceber que deve gastar mais R$ em algo que já esta funcionando…

Abs!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">