Carência de profissionais na TI deve aumentar nos próximos anos

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

A falta de profissionais qualificados na área da Tecnologia da Informação (TI) já impede ou atrasa a expansão de empresas brasileiras. Em 2010 o segmento cresceu 15% e para 2011 é esperado índice de 13%. Não há profissionais suficientes e os que saem das universidades já possuem grande valorização, negociando salários e rapidamente trocando de empresa. A proximidade de eventos como a Copa do Mundo de Futebol e as Olimpíadas tornam a situação mais alarmante, com todos os setores da economia desenvolvendo e investindo em TI. A solução pode estar na qualificação do atual quadro de colaboradores e na seleção para contratações, como descreve a responsável pelo recursos humanos da Cigam. “Para manter a qualidade do grupo de colaboradores, hoje com cerca de 370 profissionais, a Rede Cigam investe na atualização, treinamento, valorização e satisfação dos funcionários e contratações de qualidade. Reconhecemos que investir no desenvolvimento de pessoas significa investir na qualidade dos serviços que a empresa oferece”, diz Linique Karling, responsável pela Gestão de Pessoas da CigamCorporativa aponta as ações da empresa para Recursos Humanos.

 

Copa movimenta todos os setores

 

A tendência para os próximos anos é ainda mais pessimista porque, além de não haver aumento no interesse pela área e crescer a procura com a necessidade de otimização dos serviços pela proximidade da Copa do Mundo de Futebol e das Olimpíadas. O déficit de profissionais de TI se acentuará na mesma proporção que a procura por soluções. No Seminário Temático promovido pelo Conselho do Desenvolvimento Econômico e Social do Rio Grande do Sul (CDES-RS) o presidente do Conselho das Entidades de Tecnologia da Informação (CETI) e a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da informação, regional do Rio Grande do Sul (Assespro-RS), Reges Bronzatti destacou a crise de mão de obra vivida pelo setor. “Dos seis milhões de estudantes que cursam graduação no Brasil, dois terços fazem apenas quatro cursos superiores: Direito, Administração, Pedagogia e Letras. Com esta distribuição teremos ou continuaremos a ter ainda muitos problemas nos próximos anos”, disse Bronzatti.

Os eventos, mesmo tornando mais evidentes as necessidades quanto mão de obra também são vistos como oportunidade. No momento em que todos os segmentos são obrigados a acelerarem os processos e melhorarem os serviços, o desenvolvimento de soluções voltadas aos jogos movimenta o setor. O ERP Cigam conta com o módulo de Gestão de Projetos “Empowered by”. O sistema gerencia os serviços internos e externos de projetos, consultoria, fiscalização, engenharia, obras e montagens. Também facilita o planejamento, distribuição e acompanhamento das atividades, orçamento, execução e faturamento. Com o Empowered by é possível comparar o orçado e o real tanto dos custos como dos tempos por atividade, por profissional envolvido e por fase do projeto.

Fonte: Redação Assecom

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">