Como se preparar para certificação LPI

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Falando sobre certificação

Se você parou para ler este texto eu suponho que:

  • deseja obter a certificação LPI
  • está tentando entender por que se fala tanto em certificação (principalmente Linux)
  • já tem esta certificação e está tentando obter um nível mais elevado

Mesmo que você não se enquadre em nenhuma das situações acima, de alguma maneira veio parar aqui, então espero que tire proveito deste documento. O texto é longo mas realmente existem muitos assuntos a tratar. Boa leitura.

preparacao-prova-certificacao-lpi-linux

Antes de mais nada, preciso fazer alguns esclarecimentos.

O que vou expressar aqui são comentários, experiências pessoais, sugestões, conselhos, dicas e ideias que eu usei durante a minha preparação para LPI. São o resultado de um longo tempo de estudo e preparação que poderão abreviar seu caminho para o estudo, já indicando os materiais mais adequados e outros “macetes”. No entanto, nada do que eu digo aqui é “uma verdade incontestável”. Não existem receitas prontas para levá-lo à certificação. Nem nada que alguém disser poderá poupá-lo de muito estudo e prática dos assuntos aprendidos. Por isso, seja realista: se sua intenção é certificar-se, comece a estudar já! E saiba que terá de encarar o processo de preparação com seriedade e disciplina. Se não fizer isso não chegará a lugar algum.

Por que as certificações de TI são tão valorizadas?

Dizer que o mercado de TI é dinâmico, vasto e complexo já virou clichê. Já faz parte da cartilha de qualquer profissional da área. O que realmente tira o sono destas pessoas é uma pergunta simples: como posso provar que realmente tenho conhecimento na área onde estou ou pretendo trabalhar? Toda vez que uma empresa contrata alguém, independente do que está escrito no currículo ou da experiência que este alguém afirma ter, o empregador está assumindo um risco. É possível que tudo dê certo entre os envolvidos neste binômio. Mas pode não ser assim.

Certificação tem a ver com “aumentar a chance de que o profissional corresponda à expectativa técnica da empresa”. Sabemos que o sucesso na carreira depende também de muitos outros fatores pessoais, objetivos, da empresa, etc. A grande questão é que se somos capazes de provar que dominamos um assunto, diminuímos as variáveis ligadas ao insucesso.

E é justamente por isso que a esmagadora maioria de fabricantes de software ou instituições relacionadas criaram as certificações. O objetivo é permitir ao profissional provar o que realmente sabe.

Certificação não é garantia de emprego, fama e retorno financeiro. É um requisito muito desejável (para não dizer obrigatório) que pode diferenciá-lo de tantos outros que estejam competindo pela mesma vaga. É um forte apoio na hora da decisão de quem vai ser contratado. Considere que você é um empresário e está diante de um grupo de técnicos com currículos e experiências muito semelhantes. Mas um deles possui certificação técnica voltada para a atividade que ele irá desenvolver. Quem você contrataria?

O que é a LPI?

O texto do tópico a seguir foi extraído de: http://www.lpibrasil.com.br/empresa/o_que.php

O Linux Professional Institute – LPI – é uma organização sem fins lucrativos, sediada na Califórnia – USA e constituída em 1999 pela comunidade Linux, e, desde então, desenvolve de forma acessível um programa de certificação em sistemas GNU/Linux reconhecido internacionalmente por empresas, empregadores e profissionais de TI.

A certificação LPI está entre as 10 mais procuradas do mundo por profissionais da área de Tecnologia da Informação, segundo o site Certcities.com, especializado no assunto.

Certificar-se é uma forma de atestar conhecimentos profissionais, ou seja, validar a eficiência de alguém em determinado assunto.
A principal vantagem da LPI sobre outras certificações Linux é a neutralidade de distribuição, pois as provas do LPI são baseadas no Linux Standard Base, um conjunto de normas que mantém a compatibilidade entre as diferentes versões e distribuições do sistema operacional. A certificação LPI é, portanto, independente da distribuição.

O LPI é reconhecido como a primeira organização do mundo a defender e ajudar o uso profissional do Linux, Open Source e Free Software. Os exames de certificação do LPI são aplicados em milhares de lugares no mundo, em vários idiomas e com o apoio de empresários, fabricantes e instrutores.

O programa de exames do LPI é aplicado mundialmente por intermédio da Pearson VUE e da Thomson Prometric em seus centros de certificação e está também disponível na forma de exames tradicionais, aplicados em papel.

Por onde começar?

Antes de mais nada, decidir por obter uma certificação significa decidir por adicionar um diferencial ao seu currículo. E Isso requer dedicação e responsabilidade. Sendo assim, estruturar e seguir um plano de estudos é fundamental. Dentro deste plano deve estar definido quando e onde estudar, horários, materiais que serão utilizados, etc. Vou falar em mais detalhes sobre o material mais a frente neste documento.

Considero necessário dizer neste momento que quando estamos nos preparando para um processo como este, estamos também nos aprimorando em nossa área de atuação e adquirindo um grande volume de conhecimento. O que quero dizer com isso é que obter um título de certificação é uma oportunidade de ampliar muito nosso horizonte e não só de passar em uma prova.

LPI-ID

Uma etapa importante da preparação para a LPI é a criação do LPI-ID. Esse número é que identificará o candidato todas as vezes que for necessário agendar uma prova ou acessar o site da LPI para verificar o status ou comprovar sua certificação. O LPI-ID pode ser criado aqui: https://cs.lpi.org/caf/Xamman/register.

Onde fazer as provas

Após isso é importante localizar um centro autorizado VUE ou Prometric na sua cidade ou arredores onde serão realizadas as provas. Nos endereços a seguir você pode pesquisar pelo melhor local: http://www.vue.com/ e http://www.prometric.com.

No Brasil, a LPI também oferece oportunidades especiais de realização da prova em eventos específicos, como é o caso do Forum Internacional do Software Livre em Porto Alegre (http://softwarelivre.org/fisl11).

O agendamento das provas se dá diretamente no site da VUE ou Prometric. Para fazer o pagamento é necessário possuir um cartão de crédito internacional.

Organização dos níveis

A LPI dispõe atualmente de 3 níveis de certificação, conforme abaixo. Para atingir o nível 2 é necessário possui o nível 1. O mesmo se aplica para o nível 3 que requer os 2 anteriores.

A certificação nível 1 é voltada para uso, configuração e manutenção de uma máquina local conectada à rede. Para obter o LPIC-1 é necessário realizar 2 provas (117-101 e 117-102). Cada prova custa US$ 160,00.

A certificação nível 2 é focada na manutenção e configuração de ambientes de servidor. Para obter o LPIC-2 também é preciso atingir os objetivos em 2 provas (117-201 e 117-202) de igual valor das anteriores.

A certificação de nível 3 é o topo da pirâmide, conhecida como Senior Level Linux Professional . Para obter o LPIC-3 é necessário realizar uma prova base (117-301 – Core, US$ 260,00) e uma ou mais provas de especialidade (LPI-302 – Mixed Environment, LPI-303 – Security, LPI 304 – Virtualization and High Availability), cada uma pelo mesmo valor da primeira deste nível. Em breve espera-se que seja divulgada a nova prova LPI 305 – Mail and Messaging Services. Também existe uma proposta de instituir a LPI-306 – Web Services, mas ainda não há nada definido para esta última.

Aplicação das provas

Para os candidatos que realizam as provas em centros autorizados VUE ou Prometric, as mesmas são realizadas no computador e o resultado é conhecido no momento da finalização do exame. As provas podem ter 60 questões para serem respondidas em 90 minutos ou (como ocorreu comigo na 117-201) 80 questões para 120 minutos. Ao responder cada questão é possível marcar para revisão no final da prova assim como é possível voltar para questões anteriores durante o andamento da prova.

Em situações especiais também são realizadas provas escritas (como no FISL). Mesmo para as pessoas que sentem-se mais à vontade com este tipo de avaliação, o tempo para se conhecer o resultado pode ser desestimulante. Pode levar de 15 a 45 dias para chegar o resultado.

As provas do nível 1 estão disponíveis em português ou inglês. Do nível 2 em diante, somente inglês está disponível.

Existem questões com uma única resposta certa, várias respostas certas, completar e digitar comandos. Sempre que existe mais de uma resposta certa, isso é indicado na questão.

O score mínimo necessário para ser aprovado é 500 pontos. O valor total da prova é 800. As questões tem diferentes pesos conforme o tópico a que se relacionam. Isso tudo pode ser consultado no link informado mais adiante.

Material de estudo

Muito bem, você já decidiu que vai se dedicar ao LPI-1 e trilhar este longo mas recompensador caminho da certificação. A próxima dúvida óbvia é por onde começar a estudar. É neste momento que é preciso ter em mente que não existe nenhum material que contenha absolutamente tudo que é preciso estudar para passar nas provas.

Se você espera comprar um livro de 500 ou 1000 páginas que será seu único material de estudo, recomendo rever seus conceitos. É comum encontrarmos em fóruns discussões sem fim sobre este ou aquele título. Críticas muito positivas ou terrivelmente negativas sobre este ou aquele autor. Esqueça isso! O programa de estudo para a LPI pode ser consultado aqui: http://www.lpi.org/eng/certification.

Existem ótimos autores que publicaram livros que representam excelentes roteiros de estudo. Alguns mais completos, outros menos. Mas nenhum deles é definitivo e deve ser acompanhado de outras fontes e muita prática dos tópicos aprendidos.

Possui um computador com Linux para testar os comandos é muito importante. A maioria de nós aprende e fixa muito mais rapidamente aquilo que executa. Também existem aqueles (como eu) que precisam escrever, fazer resumos, desenhos, etc., para gravar melhor. A escolha do método de estudo varia de pessoa para pessoa. O imprescindível é identificar o seu método e praticá-lo.

Quando você for utilizar material disponível na Internet é preciso ter cuidado se o mesmo está atualizado de acordo com as provas. Por exemplo, as provas atuais são focadas no kernel 2.6.

O mesmo cuidado acima se aplica aos livros. Como o programa da LPI foi reformulado em 2009, é preciso observar a data de publicação dos livros para que atendam este novo programa.

Sugestão de material

Levando em consideração o que foi dito acima, segue uma breve lista de sugestões de material para estudo. Lembre-se: escolha o que lhe for mais interessante e complemente com outras fontes de material alternativo e atualizado.

Livros específicos para certificação

Outros títulos complementares e recomendados

  • Linux: o Guia Essencial – Siever, Weber, Figgins, Love & Robbins – 5º Edição
  • Linux – Guia do Administrador do Sistema – Rubem Ferreira – 2ª Edição
  • Manual Completo do Linux – Guia do Administrador – Evi Nemeth e outros – 2ª Edição

Simulados

Sites recomendados

Considerações finais

A intenção deste documento é auxiliar àqueles que pretendem se certificar em Linux. Tenho certeza que muitos terão sugestões e inúmeras perguntas vão surgir. Fique à vontade para perguntar e sugerir. Com isso poderei tornar as informações aqui contidas mais úteis e eficazes para todos. Participe e auxilie no aprimoramento deste artigo.

Para finalizar, agradeço a todos os alunos e amigos que já me perguntaram alguma coisa sobre LPI. Foram as perguntas de vocês que me levaram a escrever este texto.

Bons estudos e boa prova!
Marta Vuelma – @MartaVuelma

Artigo publicado em: Meu Blog (martavuelma.wordpress.com) e Viva o Linux

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Marta Vuelma

Mais artigos deste autor »

Marta Vuelma é Analista de Projetos e sócia da Alfasys Tecnologia em Porto Alegre, RS. Atua principalmente com projetos de Linux, Redes e Segurança além de ministrar treinamentos e palestras nestas áreas em eventos como Linuxcon e FISL. Participa ativamente das comunidades do Ubuntu-br e Viva o Linux. Foi professora do Centro de Treinamento Tecnológico Maxwell por 10 anos. Possui certificação Linux LPIC-3 e Novell Certified Linux Administrator, está se graduando em Segurança da Informação e é membro da Associação de Software Livre.


3 Comentários

Tuchaua Tellier Ferreira
1

Ótimas dicas Marta! Vale lembrar também que a revista espírito livre edição 30, aborda o assunto das certificações e o mercado de trabalho, leitura bem interessante.

Julio Cesar
2

Olá amigo,
Muito bem explicado as informações aqui.
Mas você só esqueceu de mencionar esses dois livros aqui:

> 01) Linux: Fundamentos, Prática e Certificação LPI – Exame 117-101
> http://www.altabooks.com.br/product_info.php?manufacturers_id=191&products_id=471

> 02) Linux: Fundamentos, Prática e Certificação LPI – Exame 117-102
> http://www.altabooks.com.br/product_info.php?manufacturers_id=191&products_id=472

São ÓTIMOS livros… eu comprei e estudei por eles, e PASSEI nas duas provas SEM dificuldade.
Talvez você conhece esses dois… eles são muito bons e a maioria do pessoal que conheço que passou, usou esses livros.

Os outros também são bons e também tenho todos os outros, mas gostei mais desses aqui.

Obrigado.

Eduardo Henrik
3

Olá Marta como vai?

Parabéns pelo belo artigo.

Bom, eu tenho uma pequena dúvida em relação a reformulação da prova LPI 101 e 102. Na qual foi feita no último dia 2 de julho.

Qual ou quais os materiais que você, recomendaria nesse momento?

Fico grato pelo apoio e, no aguardo pela sua resposta.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">