Home Office: sou favorável e você?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Atire a primeira pedra quem nunca sonhou em não ter que acordar as 6:00 horas para estar as 9:00 horas no trabalho depois de tomar banho, fazer café, acordar marido ou esposa, alimentar as crianças, verificar os e-mails pessoais, redes sociais, ufa… Corrido, não?

Certo, agora porque não poder fazer tudo isso sem a preocupação de trânsito, custos de locomoção e riscos de percurso? O sonho se torna perfeito, para ser assim um home office é uma boa pedida.

Claro, que essa não é a realidade de muitos, talvez para diversas áreas o home office é fora das possibilidades reais, porque sua função requer presença física no ambiente corporativo, portanto, creio que boa parte dos profissionais de TI podem ter suas peculiaridades e essa é uma delas, o trabalho remoto. Na verdade acho que a área de TI é a principal área a ser beneficiada pelo trabalho remoto.

O profissional de TI (a grande maioria) já tem um treinamento disciplinar apurado, ou seja, um perfil adequado – muito além de diversas áreas de trabalho, justamente por ser um ambiente que se modifica constantemente e exige desse profissional completa atenção, controle, organização, desenvolvimento pessoal, intelectual e muita disciplina. O profissional de TI tem essa vantagem de perfil natural, creio que ninguém entra nessa área para passear.

Para o profissional uma grande vantagem, o rendimento aumenta, pode investir o tempo que economiza entre locomover-se para o local de trabalho e outros percursos para se atualizar e fazer cursos, curtir a família e ter seu lazer garantido. Economiza tanto para empresa quanto para o profissional em termos de transporte, alimentação, mobiliário, reduz a possibilidade de acidente de trabalho, elimina custos extras de luz e água da empresa (normalmente essa paga o excesso no final do mês para o funcionário que trabalha remotamente – acho justo)… Enfim, as vantagens são para ambos, mas não somente na área financeira e em questão de economia de tempo.

Na verdade, com disciplina e organização o profissional trabalha mais confortavelmente, isso gera felicidade e prazer no que faz e por consequência um melhor trabalho realizado.

Minha experiência pessoal/profissional

Eu já trabalhei como supervisor de tecnologia e esse trabalho permitia ser realizado remotamente – em partes, portanto, minha base era tanto em casa como no escritório da empresa, mas 70% do trabalho administrativo e de desenvolvimento era realizado em Home Office, o restante era na empresa em reuniões, apresentações ou entregas de relatórios que necessitavam presença física.

Depois disso trabalhei por 3 anos em uma empresa que não permitia trabalho remoto, realmente a adaptação não foi fácil. Logo, iniciei meu investimento em carreira solo, empreendedor digital – e claro, preferi um home office ao invés de abrir um escritório. Os custos de aluguel, taxas de luz e água, telefone extra, internet extra e outros acabam em reduzir o caixa e em nada (na minha área) faria diferença no resultado final do meu trabalho e apresentação.

Sinceramente, estou muito feliz e não pretendo mudar o estilo de trabalho tão cedo. Claro, que a empresa crescendo e como gestor tenho que ter uma presença constante em um ambiente corporativo, mas até lá o home office vai ser meu fiel parceiro de horas e horas de trabalho e estudo.

E você, como é sua experiência com home office? Se não trabalha remotamente conte-nos se esse é seu desejo e porque, no seu caso valeria o esforço?

Sucesso, um forte abraço.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Luiz Castro Junior

Mais artigos deste autor »

Diretor da Alpis Consultoria.
Consultor Certificado 8 Ps - Marketing Digital, Planejamento Estratégico digital, Gestor de Projetos.


14 Comentários

Ricardo Romero
1

Isso já não é tão difícil assim de ocorrer, faz um ano que faço Home Office.

Como atendo clientes no exterior meu horário de trabalho é das 1PM-9PM.

Isso é muito bom, pois consigo fazer muitas coisas na parte da manhã e ainda trabalhar de bermuda todos os dias ……rsrsrsrs

Gustavo Amaral
2

Realmente é interessante a ideia de montar um home office, porém é necessário prestar atenção em alguns detalhes que podem tornar esse trabalho em algo ruim para a carreira.
Diversos profissionais preferem o home office pelos beneficios citados no artigo acima, porém existem fatores que podem influenciar negativamente na produção do conteudo, como por exemplo:

– Barulho dentro de casa
– Falta de atenção por conta de atender telefone, atender campainha etc

Trabalhei alguns meses em casa, porém é necessário lembrar que é preciso ter uma disciplina muito rigida para não se deixar ‘cair em tentação’ por conta de se estar em sua casa e saber que você pode levantar pra comer algo a qualquer hora, que você pode trabalhar de pijama (lembrando que muitas pessoas recomendam que não seja feito isso, que por mais que voce trabalhe em casa, que seja preciso voce usar uma roupa mais “formal” porem confortavel) que você ‘pode’ fazer uma pausa para relaxar em frente a tv a qualquer hora.

Para uma boa realização de trabalho e uma boa produtividade é interessante que seja levado em consideração alguns aspectos, um site bacana que sempre aborda esse tema é o http://www.efetividade.net vale a pena conferir :-)

Luiz Castro Jr
3

Olá Ricardo e Gustavo,

Ricardo, dependendo da área já estamos começando a ter uma evolução nessa nova (não tão nova) modalidade de fazer seu trabalho… Eu mesmo sou muito feliz com o meu, não posso me dar ao luxo de estar de bermuda e regata o dia todo, porque surgem reuniões via web e da-lhe webcam hehehe…

Mas que é bom é bom…

Gustavo, concordo, as vezes pode parecer uma ”festa”, mas no futuro ser um tormento – principalmente para quem trabalha registrado por uma empresa porém vive em home office, a mudança de empresa pode acabar trazendo complicações se a próxima não aceita esse tipo de trabalho… Certamente, o profissional estará um tanto desacostumado com a rotina mais rigida, que na verdade, deveria ter também no home office…

Sobre barulho ou atenção é questão do profissional se organizar, eu até certo tempo estava tranquilo quanto a isso, agora que comecei a ter uns problemas aqui e outro ali, porém é temporário, mas na empresa onde trabalhava, ao lado tinha uma construção, não tinha como fugir também – prever fatores externos é complicado, porém vale apena analisar.

Sobre disciplina, não discuto – Sem ela, não tem como trabalhar produtivamente em casa, no trabalho já vi muitos indisciplinados conseguirem produzir razoavelmente, justemente pelo fato de ter alguem de olho, agora em casa – certamente não faria nada de produtivo, então, é até mesmo uma questão de personalidade profissional e acho que cabe a empresa julgar se o profissional é competente e se sua área permite fazer esse trabalho remotamente…. São Ns questões a serem respondidas antes do primeiro passo – eu projetei meu home office durante 1 ano até assumir meu projeto e começar a trabalhar da minha forma…

Abraço a todos.

Gustavo Santos
4

Por ser um profissional de Segurança sempre respirei o conceito que lugar de trabalho é na empresa, mas hoje com mais experiência e com as atualizações tecnológicas que se desenvolveram acho que a melhor pedida realmente é o home office para a maioria dos profissionais. Apenas em casos muito específicos é que não vejo o home office como uma opção para a empresa. Os cuidados que o profissional deve ter nesta modalidade de trabalho, pra mim, são os que foram levantados anteriormente.

Ricardo Romero
5

Concordo com vc quanto ao barulho ser um impecilho.

Mas sejamos francos se você quer trabalhar de casa tem que ter no mínimo um “cômodo” só para isso, um quarto vazio por exemplo.
Foi o que fiz aqui em casa, tinha um quarto vazio e o transformei em escritório com mesa e tudo o mais necessário para atingir a meta de “home-office”.
Fui consultor praticamente minha vida inteira, somente a 4 anos estou em “terra firme” sem viajar.

Sinto falta sim de viajar e voltar para casa todo final de semana, mas faz parte pois com o home-office minha qualidade de vida melhorou uns 1000% ( mil por cento )

Luiz Castro Jr
6

Verdade Ricardo…

É bom ter um local específico… No meu caso, fica complicado porque não tive um cômodo vázio para isso, mas como sou solteiro, adaptei meu quarto a ele, meu quarto tem um tamanho bacana, medi o espaço restante, tirei a cama de casal e coloquei uma box solteiro, retirei parte do guarda-roupa, coloquei uma persiana para dar um ar de ambiente de trabalho, pintei o quarto, uma parede com o tom do azul que vai no nome da empresa para ambientar também, desenhei uma mesa para adaptar todo o equipamento de forma que eu ficasse submerço nele e confortável e que fosse adaptável para outras coisas também… Por fim fui atrás dos equipamentos necessários, e pouco a pouco vou dando um up nele…

As vezes, quem não tem cão, caça com gato – já dizia papai (risos)…

Luiz Castro Jr
8

Olá Tiago,

Obrigado por ler meu artigo, espero que tenhas lido também os comentários, de ponta a ponta, qualquer artigo no PTI rende um bom conhecimento ou troca de experiências…

Twitter @luizcastrojr – Abraço.

Thiago
9

Tenho muita vontade de trabalhar home office, não precisar pegar ônibus lotado, ou gastar dinheiro com combustível, mas nunca tiver oportunidade =/

Luiz Castro Jr
10

Thiago,

Como comento no Artigo, vale apena verificar se sua área permite isso… Se permite lute para aprender mais, fazer mais na empresa onde trabalha e depois sim, entre em contato com os ‘cabeça’ da empresa e comece a inserir esse pensamento de trabalho remoto, tente não falar de 7x por semana longe da empresa – isso dá um belo susto aos gestores menos flexíveis, mas que tal um dia sim e outro não, por ai vai…

Minhas duas oportunidades foram porque ou o meu trabalho já se tornava remoto pela necessidade de estar em campo atendendo clientes e dando suporte para a equipe que gerenciava, isso tudo inviabiliza idas e voltas em escritório e um home-office otimiza o processo, porém na minha atual posição foi feita com muito esforço, hoje estou trabalhando solo, porém o inicio do Home Office foi dado pelo meu principal cliente e que era meu empregador, para isso ralei bastante para mostrar serviço e isso acabou resultando em duas oportunidades, trabalhar remotamente e abrir minha empresa.

Existe também alguns ambientes que o trabalho até pode ser feito remotamente, porém os diretos não aceitam essa forma de trabalho – Vale então, estudar muito e quando se sentir seguro para prestar serviços para outros começar a criar sua carteira de clientes e usar o tempo livre para trabalhar como Freelancer (em alguns casos), depois que tiver certeza que você consegue se sustentar assim e que precisa de mais tempo para estudar e buscar novos clientes, porque não sair e criar vida própria? Conheço muitos que hoje são concorrentes das empresas que trabalhavam, normalmente isso acontece muito em Desenvolvimento Web.

Uma boa dica é: Sempre trabalhe como se fosse o dono da empresa, cuide ao máximo e detalhadamente do seu trabalho, tente aprender ao máximo sobre aquele mercado e aquela empresa, futuramente você poderá abrir a sua própria empresa, se for ou não do mesmo ramo, certamente muita coisa você levará como experiência para aproveitar na nova empreitada…

Abraço.

Carlos Eduardo
11

Infelizmente não trabalho home office mas minha esposa sim. Acompanho a rotina dela e a minha e apesar de meu trabalho ser próximo de casa (vou a pé), sinto uma “inveja” considerável.
Apesar dos itens que alguns citaram anteriormente ao meu comentário, sobre telefone, “tentações” para parar e comer, assistir tv entre outras, posso relacionar aqui inúmeros pontos de distração dentro da empresa: telefones tocam a toda hora e em volume alto, inclusive celulares que possuem o vibra call, conversas paralelas, “rodinhas” no café, reuniões, que por estarmos fisicamente na empresa, ocorrem desnecessariamente e muitas delas sem resultado algum quando terminam.
Ainda não temos filhos e nossa casa é o escritório de minha esposa durante o dia todo.. Ela também é de TI e a coisa que ela MENOS quer é deixar o home office.
Dificuldades e caprichos a parte, como nada nessa vida é 100% perfeito, acredito que o home office seja o inicio da “sacada” do ser humano para a sobrevivencia do mundo. Nosso transporte público não é nada agradável e com isso cresce a quantidade de pessoas se locomovendo sozinhas em seus carros, e muitas dessas, se deslocando de suas casas para o trabalho. Com isso, a violência no trãnsito, a poluição, o consumo de combustível, o álcool em alta atualmente, que por consequencia, gera plantações incontáveis de cana, queimadas… já dá pra imaginar onde vamos parar.

Luiz Castro Jr
12

Carlos,

Concordo com você, como falei, coisas externas não tem como controlar, e isso tem muito em empresas, bem lembrado sobre reuniões – Ahhh como eu perdia tempo com reuniões sem rendimento algum, ou aquelas que deixam qualquer um de cabelo em pé que é só para alimentar o ego, tempos que não tenho saudades…

Mas, realmente é questão de sobrevivência, você tocou em um ponto muito importante e acho que mereçe atenção….

Veja que temos muitas váriaveis nessa novo mundo, os que temem a violência, os que temem o tempo gasto no transito, os que temem os gastos extras, a falta de oportunidade no mercado de trabalho e tantas outras coisas que sempre estão atreladas a mais coisas e mais coisas….. De fato, vale lembrar que antigamente você trabalhar em uma empresa por 40 anos era questão de qualidade de vida, status, era um grande orgulho, hoje pode ainda ser orgulho porém não te sustentará na aposentadoria se teu emprego não lhe fornecer uma boa renda, creio que mais de 70% dos brasileiros vivem assim, por isso sou afavor da migração de funcionários para o empreendedorismo ou carreira solo, acho que o profissional que se garante precisa também garantir sua vida futura, porque no final vai acabar trabalhando até não poder mais, o que é injusto para quem contribui com o crescimento sustentável do país como é nossa classe, seja aquele menino que está aprendendo alguma área de TI agora ou aquele Senior super best de longa data, não importa, creio que todos mereçam valor e é o que menos se recebe hoje em dia – até mesmo faço um alerta, se sua empresa prioriza a qualidade de vida de funcionário, fique nela, mesmo que não seja mais desafiador para você atuar nela, as vezes mais vale o seguro do que a emoção, pense no seu futuro – agora, se é uma empresa que não valoriza o funcionário – amigo, o que estás fazendo ainda ai? Vá em busca de algo para teu futuro, nem que seja carreira solo e seu home office de companhia…

Existem muitas questões, chega a dar dor de cabeça em pensar nas variáveis de cada passo a ser tomado, tudo pode ser positivo como ao mesmo tempo negativo… Ser brasileiro não é fácil heim… Mas, parabéns Carlos por tocar em um assunto que dá mais profundidade ao tema…

Abraço,

Laudicéia
13

abri empresa para trabalhar home-office, já organizei o espaço, mas não sei por onde começar para encontrar trabalho/cliente/empregador, tem alguma dica?

Luiz Castro Junior
14

Olá Laudicéia, tudo certinho?

Bacana! Você já tomou a iniciativa… Porém você deixou escapar um pequeno detalhe – Formar clientes (pelo menos 1 ou 2) durante o tempo que ainda és empregada em uma outra empresa.

Isso facilitaria o teu processo – Eu mesmo demorei um tempo montando a estrutura, vou ser bem descritivo no que eu fiz, e também sobre onde errei…

1 – Comecei a estudar com afinco sobre gestão de projetos (o que tornou-se uma característica profissional) e gestão de tempo. Isso foi um ponto positivo, por que além de me dar entrada em uma nova área profissional eu acabei aprendendo coisas bem interessantes – quanto a gestão de tempo, nada mais do que bom senso, não preciso técnica XPTO, um tomatinho ou qualquer coisa do gênero – o que precisa é bom senso. Hora de trabalho é trabalho e ponto final – eu acabei perdendo tempo estudando muitas técnicas, mas no final fiz do limão, limonada, pois isso também acrescentou na gestão de projetos para liderar pessoas.

2- Depois de alguns meses e decidido que iria empreender e que precisava do meu espaço eu procurei em casa qual era o melhor espaço para isso – o complicado é que a casa é grande, mas minha família mora comigo (pai e mãe) e tenho um filho de 5 anos – ou seja, não ia ser nada fácil encontrar um local totalmente isolado para mim.
Resolvi então que meu quarto era meu canto – e ele se tornou um ambiente corporativo, que no fim do dia se torna meu cantinho de repor energias – mas quem entra não vê um quarto, tive todo cuidado de trocar a cortina por persianas, uma mesa em L para ocupar espaço central do ambiente – um armário pra minha biblioteca pessoal, algumas coisas embuti, uma cama box solteiro (perde a cama de casal foi realmente triste) devidamente arrumada para simular um sofá, a unica coisa que dedaria que isso foi um quarto é o guarda-roupas, porém como é quadradão e sem quase nenhum detalhe parece um armário geral. Isso não só para quando tivesse que fazer reuniões online, mas para eu mesmo me sentir em local de trabalho.

3 – Depois dos móveis, eu comecei a investir em equipamento – como sou viciado em produtividade eu precisava de uma boa máquina e pelo menos 2 monitores + Note + Tablet + qualquer outra frescura tecnológica minha – Não esperei comprar tudo para começar, mas comecei com o suficiente em ferramental.

4 – Quando sai da empresa que trabalhava, eu fui demitido para ser contratado como prestador de serviços – ou seja, um caso bem diferenciado do normal, eu também não entendi no momento, mas as fofocas de corredor chegaram na diretoria da empresa, informando que eu estava montando um Home-Office, rapidamente fui chamado para reunião e demitido – porém para surpresa de muitos o bom trabalho falou mais alto e a demissão foi para recontratação – porém agora como fornecedor e não mais como colaborador, então – acaba que comecei meu home-office forçado e com meu primeiro cliente sendo parceiro.

Sorte – Não! Competência – Por 3 anos trabalhei muito, com rendimento muito além dos demais, isso foi o diferencial na tomada de decisão da empresa para qual eu trabalhava.

Mas a questão é – se eu tivesse saído de lá sem clientes eu teria um grande problema – que é seu caso agora. Por isso a dica é – Trabalhe fora do teu horário, deixe de lado qualquer outra coisa e tente alguns jobs em freela até conseguir ter dinheiro para suportar perda de clientes ou pelo menos ter clientes para iniciar. Não inicie sem clientes – você pode se desgastar muito em um momento bastante delicado que é o início…

Mas como você já disse que começou e não tem cliente… Tem algumas possibilidades:

1 – Faça alguns trabalhos próprios, de demonstração da tua capacidade profissional (não sei tua área) – Monte seu portfólio para poder ir atrás de clientes.

2 – Tente encontrar entre amigos ou família alguém que precise do teu trabalho -faça um preço bacana em troca de recomendações.

3 – Faça alguns cartões de visita, uma boa id visual e saia na rua batendo de empresa e empresa oferecendo seus serviços – se não quiser ser tão agressiva, tente a lista telefônica… Quer resultado mais rápido – vai ter que ser assim… Fazer um bom site, montar uma base de e-mail, enfim, isso ajuda – sim, claro – mas para quem está sem nada, o negócio é correr na vizinhança.

Comece por baixo e vá crescendo – eu comecei assim, no meio quis dar um salto e não aguentei o peso – quebrei e comecei novamente, – Um passo de cada vez.

Espero ter ajudado – Abraço

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">