Jogos sociais podem se tornar uma estratégia de marketing no e-commerce

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

A cada ano, surge um artifício, uma promessa, para aumentar o engajamento dos consumidores e também as vendas do comércio eletrônico. Para 2012, a aposta está na ‘gameficação’ das plataformas de e-commerce. Esse já é um mercado promissor no Brasil. Segundo a Superdata, em apenas três anos, o faturamento dos jogos sociais vai saltar para US$ 238 milhões, contra os US$ 136 milhões estimados para o ano que passou.

Jogos sociais funcionam atualmente como ferramentas de marketing para estimular a interação do público-alvo com a marca ou empresa e em breve devem começar a trajetória em lojas virtuais. “Games tornam a compra uma experiência mais divertida e, por isso, podem impactar diretamente no volume das vendas”, afirma o gerente de marketing da JET Tecnologia em Comércio Eletrônico, Marcelo F. Silva.

Com 35 milhões de usuários no mercado – de acordo com estudo divulgado pela NewZoo -, os games virtuais atraem também pela facilidade de uso, um dos conceitos que devem permanecer quando aplicados ao e-commerce. A expertise da empresa precisa ser contemplada para garantir o envolvimento do consumidor com o produto de interesse. “Integrar jogos ao processo de compra é ainda uma tendência, projetada para começar a se difundir neste novo ano. A expectativa é que ela dê muito certo quando relacionada ao gosto do público-alvo.”

Vida real

Grande parte dos jogos sociais é desenvolvida para ser uma extensão da vida real. Assim também funcionam as redes de relacionamento, onde os games poderão repercutir positivamente para a marca. Algumas empresas enxergaram longe e já garantiram presença no ambiente de jogos populares em plataformas sociais, como o Facebook.

Para Silva, iniciativas que visam o engajamento do consumidor são fundamentais no comércio eletrônico, principalmente por conta da concorrência acirrada vivida pelos empresários do setor. “Com certeza, é preciso estar à frente das necessidades do consumidor. Os jogos sociais não precisam estar implementados direto na plataforma de vendas. Eles podem ser disponibilizados nas fan pages, por exemplo. O ambiente é propício para aumentar a interação do público e facilita a inserção de aplicativos. O que está claro é que eles podem ser aliados na hora da venda”, finaliza.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">