Carreira: reconhecimento nem sempre precede uma recompensa

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

“Feitos especiais demandam – igualmente – mecanismos especiais de reconhecimento…” —  Marcelino Tadeu de Assis – Gestão de Programas de Remuneração.

Um projeto, iniciativa ou atividade realizada que contribua para o negócio e agregue valor ao cliente (seja ele interno ou externo), merecem por parte da liderança, reconhecimento1.  Nesse momento é importante entender de que forma a pessoa alvo desse reconhecimento percebe que o está recebendo.  Benjamin Franklin2 disse que “dentre todas as dívidas a mais sagrada é a do reconhecimento”, então reforçar esse momento é importante para qualquer gestor, senão a conta nunca sairá do vermelho.

Destaco aqui a relevância do reconhecimento, pois muitas vezes, as pessoas não entendem que reconhecer um feito não necessariamente envolve remuneração ou bônus.  Muitas vezes o reconhecimento trata-se da emissão de simples palavras de agradecimento em uma reunião de equipe, ou ainda do envio de um e-mail com simples mensagens como: “Obrigado pela sua contribuição no projeto!”, “Parabéns pela iniciativa de consolidar as atividades!”, “Excelente apresentação dos resultados de venda na reunião!”.  E como é bom receber palavras como essas quando seu trabalho foi bem feito.

Quando esse trabalho vai além do escopo inicial, encantando o cliente, excedendo as expectativas dos envolvidos, então mais enfático deve ser o reconhecimento por parte da liderança.  Conversando com a equipe, que hoje lidero, pude identificar que para alguns esse reconhecimento precisa ser público, um e-mail de parabéns ou um cumprimento em sua mesa não basta.  Então estabelecer um espaço na pauta da reunião de equipe para reconhecimentos é uma iniciativa que dá certo.  E não apenas no nível técnico, no nível gerencial esses momentos passaram a ser significativos.

Quando resolvi estabelecer esse processo de maneira mais formal no final do ano passado, um colega até me disse que as pessoas poderiam se sentir inibidas, mas eu decidi arriscar e apresentei na última reunião e foi muito bom ver que todos que foram reconhecidos publicamente se sentiram motivados.  Esse mês em nossa reunião mensal houve mais uma sessão de reconhecimentos e para a próxima o volume dobrou, pois todos começaram a buscar resultados adicionais em suas tarefas e entregas que excedessem ao “simples” fazer o que me pediram.

Por outro lado se estamos falando em algo ainda maior em termos de retorno ao negócio, nada melhor do que um cartão ou ainda um certificado, que mesmo sendo um papel é algo tangível e pode ser exposto na estação de trabalho.  Isso faz toda a diferença na moral de um time.  A recompensa financeira deve ser utilizada nas grandes realizações, em que o envolvimento do funcionário foi muito maior do que o esperado e o impacto significativo à reputação da empresa.

Deve ficar claro que cada realização tem um peso e o reconhecimento deve refletir esse mesmo peso.  Acordar a mensuração desse feito (pode ser pelo impacto no resultado da empresa) não deixará margem a questionamentos ou pior a sensação de que não houve reconhecimento por parte do gestor.   Reconhecer as realizações  do time como líder, sem dúvida resulta em uma equipe mais realizada e comprometida.

1 Reconhecer significa mostrar-se agradecido a alguém por algo. Reconhecimento então é o ato de reconhecer esse alguém. Site michaelis.uol.com.br

2 Site fraseamentos.com

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Renata Lopes

Mais artigos deste autor »

Renata Valéria Lopes. Profissional com mais de 20 anos na área de Tecnologia da Informação. Graduada em Processamento de Dados, Pós-graduada em Gestão Empresarial e Gestão de Pessoas com Coaching. Leitora compulsiva, blogueira, apaixonada por redes sociais e estudante em constante desenvolvimento, acredita na cooperação, colaboração e compartilhamento do conhecimento como forma de aprendizado.


12 Comentários

Wellington
1

Interessante a utopia (sic) descrita no texto acima.

No mundo real de desenvolvimento de softwares não vejo este tipo de coisa acontecer e pode acreditar que falta de competência não é um dos requisitos a serem levados em consideração.

Vejo que bons profissionais dedicam-se, se doam a empresa, dão o melhor de sí em troca de que?

De nada! Essa é realidade.

Gestores hoje só enxergam redução de custo e não o valor real que os profissionais de T.I. realmente podem oferecer ao negócio.

Desculpe, mas acho que a realidade sobre o texto acima, no atual mercado brasileiro de desenvolvimento de software, é muito dificil (não impossível) de acontecer.

Abraços

Renata Lopes
2

Wellington, infelizmente nem todos entendem que o capital humano faz a diferença. Mas existem empresas que respeitam seus profissionais e eu tive o privilégio de conhecer algumas. Pode ter certeza elas existem.
Abraços e obrigado por seus comentários.

Marcelino Tadeu de Assis
3

Renata, suas reflexões são importantes, particularmente em função de o dia a dia nem sempre favorecer um espaço para o reconhecimento. Como diz o amigo André Bezerra – citado em meu último livro – o “reconhecimento é muito simples para ser negligenciado”. Abraços em todos. Marcelino Tadeu de Assis

Tallitha Campos
4

A recompensa material pode ser, talvez, a coisa mais antiga e natural que as pessoas esperam quando fazem um bom trabalho. Isso se refleto no salário, por exemplo. Mas de que adianta você ter uma quantidade considerável de $$ que sua empresa paga, se aquele que se diz seu líder nem ao menos te conhece, sabe dos teus interesses ou te elogia em particular e em público quando fez um bom trabalho?! Uma coisa complementa outra, mas com certeza o nosso ego precisa de elogios e incentivos morais. Isso tem um valor imenso que poucas pessoas conseguem ver e assimilar.

Enfim, gostei das tuas palavras, Renata.

Um abraço.

Renata Lopes
7

Obrigado Tallitha e Guilherme pelos comentários de vocês, espero que apliquem com as equipes e colegas de vocês.
Abraços

Luciano Piccoli
8

O MacDonald´s utiliza este tipo de estratégia há muito tempo. Quem nunca viu os quadros “Funcionários do Mês” (ou semana, não lembro) contendo a foto dos funcionários? Quer algo mais “público” do que isto. Abraços.

Álvaro Nunes
10

Caro Wellington, fazendo minhas as palavras da Renata,acredite que existem empresas assim.
Também tive o privilégio (e até a honra) de trabalhar numa delas e ao fim de 25 anos de trabalho, como soube bem a plaquinha de prata que me deram. Guardo-a até hoje, claro. É o meu nome que está gravado nela!

Renata Lopes
11

Ola Alvaro obrigado pela visita e comentário. Tivemos o prazer de trabalhar numa dessas empresas juntos.
Abrs

Marcos Habib Bistene
12

Renata, quando completei 3 anos (2008) em uma empresa em Jundiaí, recebi uma placa com os seguintes dizeres:

Marcos Habib Bistene
“Pelos 3 anos de dedicação em que mostrou-se digno do nosso reconhecimento e gratidão e por engajar-se conosco pelo ideal dessa Empresa.
Nossa singela homenagem a você que ajudou a construir a história da Japi Aeronaves.”

Senti-me muito Feliz e agradecido, e, acredito que uma homenagem, um reconhecimento por um trabalho bem feito, simplesmente vem acrescentar valores ao seu profissionalismo.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">