Futuro corporativo: o melhor lazer fará a diferença

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Falar que o mundo muda tanto e tão rapidamente é ridículo. Pois acho que todas as palestras que se vão, artigos que lemos, e tudo mais só se fala disto. Então, para não perder tempo, não há necessidade nenhuma em começar falando desta questão, mas sim, diretamente da sua mudança, principalmente sobre a relação do lazer invadindo o ambiente trabalho.

Foi-se o tempo em que a pessoa chegava à empresa exatamente na hora marcada, tinha contados minutos para tomar o cafezinho, e cada processo havia várias regras e registros. Os assuntos eram restritos ao trabalho, tinha apenas o salário e o colaborador se virava com tudo. Ou seja, a saúde e a vida pessoal deste funcionário de nada tinham a ver com a empresa, apenas seus resultados e cumprimento de horário era o que importava, entre outras regras absurdamente ridículas.

Aposto que tem gente que ficou de cabelo em pé, e deu aquele arrepio na espinha – Nossa, que horror, parece um filme de terror! – Pois sim, há um tempo já foi assim, inclusive, em algumas empresas ainda existem vestígios destas atitudes da idade da industrialização.

O que aconteceu?

O óbvio! As empresas começaram a se dar conta, ou pelo menos algumas inteligentes, e com certeza por pensar assim, de sucesso, que iniciaram a atuação com o lazer do colaborador de forma diferenciada. Observe o mercado hoje, quais são as empresas mais mencionadas, com maior sucesso e rentabilidade, as marcas mais valiosas? Google, Facebook, Twitter, Apple, IBM, 3M etc, todas com esta visão moderna da qualidade de vida do colaborador. Não foi a América que elas descobriram, é um conhecimento tão simples, mas ao mesmo tempo tão complexo para ser aceito pelas organizações: quanto mais o colaborador se sente bem, maior é sua produtividade. Alguém duvida? Então volte aos exemplos citados acima.

A realidade moderna é esta, as empresas trazem o lazer para dentro do trabalho e fazem os colaboradores sentirem-se em casa, com prazer imenso de estarem no local de labuta. Querem cada vez mais que tragam seus familiares e amigos, pois firma ainda mais o relacionamento dele e das pessoas próximas, sendo que este apoio é fundamental para qualquer ser humano. Logo, o lazer no trabalho tornou-se fulcral e questão de tempo, afinal já dizia o famoso Jack Welch: mude ou morra. Portanto, ou a organização traz este lazer ao ambiente corporativo, ou logo irá perder os profissionais, pois as outras empresas irão se tornar cada vez melhores de se trabalhar.

Um ponto importante, após despertar para esta realidade é que tipo de lazer trazer e promover. Hoje apenas deixar o colaborador assistir um pouco de TV ou oferecer café é pouco. O normal são refeições, ou petiscos para matar a fome, proporcionar um lounge para descanso, não controlar horários de descanso e acesso às redes sociais, é ser flexível em horários etc. Portanto, o ideal é buscar sempre diferenciais, e dessa forma o que marcará? Experiências de vida.

O futuro estará em proporcionar momentos inesquecíveis, premiando, por exemplo, com um passeio de balão, andar de Ferrari, saltar de paraquedas, jantar multissensorial, dia no spa etc. É fazer uma reunião em que o setor jogará boliche e aproveitará uma deliciosa degustação de vinho. Tudo é válido para fugir do convencional e levar estes sonhos para os colaboradores, esse é o passo para chegar ao coração profissional e pessoal que está saturado com bens tangíveis e o convencional.

As organizações estão apenas acordando para esta nova realidade do universo capitalista, mas ele está chegando. E, nesse cenário, quem chegar primeiro estará em vantagem!

Autor: Jorge Nahas - CEO do O Melhor Da Vida, empresa pioneira no Brasil no mercado de experiências.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

5 Comentários

Carlos Eduardo Bier
1

Excelente artigo Jorge, é exatamente essa minha visão e minha tentativa de espalhar essa ideia ao mundo. Tenho um projeto chamado GoToAnt, da uma olhada no endereço:
http://www.facebook.com/gotoant

Acompanhe que pela qualidade e tema do assunto que escreveu, vou vai gostar! E ainda.. vou publicar seu texto lá.

Abraço! (Procuro pessoas como você, com essa visão para estreitar relacionamentos profissionais)

Bruno Vaz
2

Bom artigo mas, nunca vi tanto erro de português. Exemplos:

“seus resultados e cumprimento de horário era o que importava”
seus resultados e cumprimento de horário era o que importavam

“empresas começaram a se dar conta, ou pelo algumas inteligentes”
empresas começaram a se dar conta, ou pelo menos algumas inteligentes

“Alguém dúvida?”
Alguém duvida?

“fazem os colaboradores sentirem-se em casa, com prazer imenso de estar no local de labuta”
fazem os colaboradores sentirem-se em casa, com prazer imenso de estarem no local de labuta

Poderiam revisar antes de publicar.

JacksonJackson
3

Olá Bruno,

Suas observações são pertinentes.

No primeiro apontamento, acredito que a concordância esteja correta, porque o “importava” faz referência a empresa. Os outros foram corrigidos.

Confesso que a revisão foi feita superficialmente, mas há um motivo para isso: recebi o texto de uma assessoria de imprensa, logo, acreditei que o texto já havia sido revisado por um jornalista experiente.

Em todo caso, peço desculpas e prometo avaliar melhor os próximos textos.

Obrigado

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">