Os obstáculos às startups no Brasil

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Somos o País das startups e um dos países que mais atraem investimentos estrangeiros. Mas, junto à inovação e ao potencial de mercado, temos grandes carências para a implementação de novos negócios.

O número de empresas que iniciam suas operações no Brasil e o de companhias nacionais com aporte estrangeiro (para comprar participação acionária ou controle) cresce vertiginosamente.

O aumento do poder de compra das classes sociais brasileiras menos abastadas fez surgir uma população ávida pelo consumo, e os grandes problemas econômicos enfrentados por Europa e Estados Unidos incentivaram ainda mais o investimento mundial em novos mercados como o Brasil.

O cenário que vemos hoje no País é o das oportunidades, em todas as áreas da economia. O problema são os obstáculos – ou melhor, uma série deles – que as empresas estrangeiras enfrentam ao chegar por aqui, que vão desde a infraestrutura à legislação local, passando pelos aspectos mercadológicos.

Uma vez que se inicia a implementação dos primeiros projetos, o peso das nossas ineficiências, a falta de estrutura e a burocracia provocam gastos não planejados e causam grande frustração aos gestores e investidores que aqui desembarcam e não entendem o que está acontecendo.

Muitas vezes temos que investir um bom tempo explicando aos recém-chegados como funcionamos. Quem já passou por isso sabe exatamente do que estou falando.

Não é fácil entender e muito menos explicar para investidores estrangeiros, por exemplo, nossa complicada legislação trabalhista e tributária.

O Brasil tem ótimas opções de investimento e se mantém promissor aos novos negócios. Mas ingressar em qualquer mercado novo, principalmente em países complexos como o nosso, requer suporte de uma empresa local e de profissionais experientes que pavimentem esta iniciativa. Estudar o mercado-alvo, entender seus mecanismos, as particularidades destes e a cultura local são pontos importantíssimos que devem ser analisados e considerados em qualquer iniciativa deste tipo, seja para startup ou compra de participação de mercado.

Para quem inicia uma startup ou investe em uma delas, é importante ter em mente que as dificuldades poderão ser significativas, dada a pouca exposição destas empresas.  Portanto, é preciso ser muito bem equacionadas para se obter o retorno esperado. Acredite, nem todas as empresas ou investidores fazem isso de forma estruturada.

por Vladimir Ranevsky: fundador da T-PYX Assessoria Empresarial, com foco em gestão empresarial

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">