Chegou o CobiT 5.0! Conheça algumas das mudanças do framework

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Olá Caros leitores!

Conforme havíamos adiantado no final de 2011, foi lançado o CobiT 5 em abril deste ano. O ISACA disponibiliza a documentação através de um simples cadastro no link http://www.isaca.org/COBIT/Pages/default.aspx. Os documentos liberados foram:

  • COBIT 5 framework (disponível)
  • COBIT 5 Enabler guides
    • Enabling Process (disponível)
    • Enabling Information (em desenvolvimento)
    • Other enabler guides
  • COBIT 5 Professional Guides
    • COBIT 5 Implementation (disponível)
    • COBIT 5 for Information Secury (segundo semestre 2012)
    • COBIT 5 for Assurance (2013)
    • COBIT for Risk (2013)

Para quem estava acostumado com o livro do CobiT 4.1, estranha algumas mudanças, porém, a versão 5.0 tem algumas melhorias. Por enquanto está disponível para download somente a versão em inglês.

Primeiro a parte do framework na versão 5.0 vem separada da parte dos processos (enabling process). No CobiT 4.1 vem tudo em um livro só. Uma grande mudança (a parte ruim) da versão 5.0 é que a parte dos processos é paga. Você consegue fazer o download da documentação por U$ 135 caso não seja membro da ISACA.

A publicação “Enabling Process” fala dos processos, entradas e saídas, suas atividades e metas vêm mais organizadas, na forma de “tabela”. Outro ponto que achei muito bacana é que ao final de cada processo tem uma sessão chamada “Related Guidance” que associa cada processo do CobIT com outros frameworks que podem ser usados para implementar o processo: como ITIL, Togaf, ISO20K entre outros.

Os 37 processos do CobIT estão organizadas em 5 domínios (antes eram 4) que se relacionam de forma primária ou secundária com as 4 dimensões do balanced scorecard para objetivos de negócio descritos no CobIT, que são:

  • Avaliar, dirigir e monitorar
  • Alinhar, planejar e organizar
  • Costruir, adquirir e Implementar
  • Entregar suporte e serviço
  • Monitorar, verificar e avaliar

O CobiT 5 está baseado em 5 princípios, que são:

  • Satisfazer as expectativas dos stakeholders
  • Separar governança de gestão
  • Habilitar uma visão holística
  • Framework integrador
  • Cobrir o negócio como um todo.

E descreve 7 categorias de habilitadores da governança de TI, que são:

  • Princípios, políticas e framework
  • Processos
  • Estruturas organizacionais
  • Cultura, ética e comportamento
  • Informação
  • Serviços, infraestrutura e aplicações
  • Pessoas, habilidades e compentências

Outra mudança significativa é avaliação de maturidade. Na versão 4.1 o CobiT trazia para cada processo um modelo de maturidade entre os nível “0 – não existente” até o “5- otimizado”. A versão 5 utiliza como base a ISO-15504 e traz uma proposta chamada de Modelo de Capacidade de Processo, onde existem 6 níveis de maturidade, que são:

  • 0 – Processo Incompleto: O processo não existe ou não atende seu objetivo.
  • 1 – Processo Executado: O processo está implementado e atinge seu objetivo.
  • 2 – Processo Gerenciado: Possui os atributos “Gerenciamento de Performance e Gerenciamento de Produto”. O processo está implementado de um modo gerenciado e seus produtos estão estabelecidos e controlados.
  • 3 – Processo estabelecido: Possui os atributos “Definição de Processo e Implementação de Processo” é um processo definido capaz de atingir  os seus resultados.
  • 4 – Processo Previsível: Possui os atributos “Gerenciamento do Processo e Controle do Processo”, e agora opera dentro de limites para atingir seu resultado.
  • 5 – Processo Otimizado: Possui os atributos “Inovação de Processo e Otimização de Processo”. O processo previsível é melhorado continuamente para atender as necessidades atuais e planejadas no negócio.

Abaixo o mapa dos domínios e processos da versão 5.0:

É isso aí pessoal. Para quem estudou o CobiT 4.1, a versão 5.0 tem muitas mudanças que exigem um bom estudo para entendimento. Eu mesmo estou me acostumando ainda. Já é possível observar uma evolução deste framework, que está cada vez mais integrado as necessidades do negócio.

Esperam que tenham gostado. Até a próxima!!

Fontes: CobiT Enabling Process / CobiT Framework

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Emerson Dorow

Mais artigos deste autor »

Experiência de 10 anos na área de TI. Coordenador de suporte de serviços de infraestrutura e cloud computing. Mantenedor do site http://www.governancadeti.com.

Certificado em ITILv3 Intermediate, Cobit v4.1 Foundation, HDI-SCM, Linux Professional Institute (LPI) Nível 1 e IBM Tivoli Monitoring Deployment V6.2 Professional. É graduado em Sistemas de Informação pela Uniasselvi Blumenau e pós-graduando em Governança de TI pelo Senac Florianópolis e MBA em gestão de TI pelo INPG.

Entusiasta de assuntos relacionados a gestão de serviços em TI, governança de TI, Gestão de Projetos, liderança, gestão de equipes e negócios.


4 Comentários

Luciane
1

Boa tarde! Gostei do artigo!!
Será que ainda é possível fazer a prova de certificação da versão 4.1? ou já devo me preparar pra prova com a versão 5?!
Um abraço!

Danniel
2

Boa noite!

Estou pesquisando alguns assuntos para TCC.
Gostaria de saber quais as oportunidades para se trabalhar com Cobit 5.0, onde pode ser aplicado, quais os desafios de pesquisa, e possíveis temas.

No caso não conheço muito sobre o framework, seria difícil algum trabalho acadêmico para eu entregar esse ano relacionado ao Cobit 5.0 ?

Agradeço desde já

Atenciosamente,

Emerson Dorow
3

Olá Danniel,
O CobiT 5.0 ainda é muito recente. Não acredito que existam cases sobre ele. Sugiro fazer seu trabalho sobre o CobiT 4.1. Tem muito mais material.

Abs,

Emerson.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">