Feedback – O que é e quando pedir?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Já pediu seu feedback ao seu gerente hoje? Se não, então asseguro que você vai ter vontade de pedir isso hoje após ler esse artigo!

Desde quando comecei minha carreira, aprendi inúmeras técnicas de operação de equipamentos, sistemas e softwares pelos manuais de instalação, operação e manutenção. A maioria absoluta das informações são fruto de observação e feedback (realimentação em Português – vamos entender melhor o que essa palavra significa mais a frente neste artigo).

feedback-gestao-equipe-lideranca

Imagem via Shutterstock

Não apenas isso, mas técnicas de gestão, administração do tempo e recursos, solução de crises, habilidades para apresentar uma ideia, defender um ponto de vista e até sugerir uma mudança, são aprendidos pela observação e treinamento. Antes de nós, milhares e até milhões de profissionais já experimentaram desafios e problemas, e suas soluções podem ser copiadas, mesmo nos dias atuais.

Assim acontece com o feedback. Não é uma exclusividade da geração Y (que utiliza o feedback constantemente). Eles simplesmente utilizam o feedback apenas em proveito próprio, corrigem seu comportamento, aprendem as técnicas e habilidades que seus gestores mais apreciam e precisam, e com isso crescem profissionalmente – muitas vezes mudando de empresa.

O feedback é bem mais do que isso. Trata-se de uma via de mão dupla, onde o gestor e o subordinado conversam sobre as condições de trabalho, ferramentas e informações úteis para atingir os objetivos do grupo, departamento e empresa como um todo. O gestor informa como o subordinado está seguindo as diretrizes da empresa no seu dia-a-dia e o subordinado devolve ao gestor qual o impacto de seu gerenciamento sobre o indivíduo e o grupo. Questões sobre inspiração, motivação e espírito de equipe sempre são mencionados nessas reuniões de feedback.

Melhorias também são propostas nas “reuniões de feedback”. Ela acontece nas duas direções e deve ser pautada pela honestidade e sinceridade, mas também pela moderação e ética, pois, praticamente nenhum gestor gosta de ser criticado ou permite que críticas sejam tecidas ao seu grupo, portanto, ao sugerir melhorias, sempre mostre quais os impactos positivos que ela vai gerar nos resultados gerais do grupo e da empresa, e não apenas do indivíduo ou de sua percepção sobre ela. Exemplo: – Para combater o calor, além do ar condicionado, um bebedouro poderia ser instalado em nossa sala. Um bom exemplo de feedback é assim: – Chefe, vamos promover uma rodada de treinamentos internos, pois temos especialistas de diversas tecnologias e isso vai agregar conhecimento com baixíssimos custo e prazo de implementação!

A grande maioria dos gestores não fazem uso do feedback, e quando o fazem, é para criticar e recriminar seus subordinados. Muitos nunca utilizaram essa ferramenta e ficam surpresos quando um subordinado a solicita. Se bem utilizada e registrada, a reunião de feedback pode trazer grandes benefícios para grupos e indivíduos. Eu recomendo uma reunião de feedback formal, solicitada e registrada em e-mail, com resultados também enviados por e-mail. Se desejar, pode fazer uma reunião mensal, porém, de menor duração.

O próximo nível dessa reunião é mais complexo e requer maior compreensão da palavra “crítica”. Este nível deve ser conduzido com grande controle emocional, sendo este chamado de “reunião de inventário”! Nela, os seus membros falam o que querem, para quem precisar, com extrema franqueza, sobre o que os incomoda ou suas deficiências. Se não for corretamente conduzida, pode levar a animosidades, picuinhas e até mesmo processos na justiça trabalhista! Os gestores mais cautelosos e conservadores trocam essa reunião por uma chamada “360 graus”, que é menos formal e sempre conduzida em ambientes fora da empresa, como almoços ou happy hours.

Quando um subordinado pede ao seu gestor uma reunião de feedback, geralmente este reage com surpresa. Não é comum no Brasil e, além disso, muitos carregam a cultura de achar que, pelo fato de ganharmos pouco, a empresa não merece nosso suor ou esforço, e acabamos por ver o tempo passar e torcer pelo fim do expediente! É claro que, quem age assim, dificilmente vejo pedir uma reunião de feedback…

Somente o pedido da reunião de feedback já vai fazer com que seu gestor te olhe com outros olhos. As empresas preferem e premiam os colaboradores engajados e preocupados com o sucesso individual e do grupo. A reunião de feedback mostra que o profissional quer mudar e se adaptar às necessidades da empresa. O prêmio por isso será mais responsabilidade e desafios, com consequentes aumentos salariais. É pagar pra ver!

O que discutir na reunião de feedback?

Do subordinado para o gestor, alguns itens a serem avaliados podem ser: Habilidades com ferramentas operacionais e de gestão, talento para administrar, técnicas de aquisição de informações, comunicação, etc.

O subordinado pode ainda combinar com o seu gestor sobre prazos para as próximas avaliações, percentuais de aumento salarial, perspectivas do setor e da empresa para seu futuro, cursos, habilidades e certificações que o grupo e departamento precisam, etc.

Do gestor para seu subordinado, alguns possíveis itens podem ser: Disponibilidade, velocidade de resposta, comprometimento com prazos, planejamento, trabalho em equipe, solicitude, confiabilidade, urgência, organização, paciência, prudência, etc. E até mesmo itens improváveis podem surgir na pauta, como asseio, comportamento, vícios de mercado, etiqueta, vestimentas, polidez, estado civil, progresso acadêmico, etc.

Seja criativo e peça hoje mesmo uma reunião de feedback ao seu gestor. Aprenda com as críticas e prepare-se melhor até a próxima reunião. Você vai ver o quanto cresceu!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Marcelo Ribeiro de Almeida

Mais artigos deste autor »

Gerente de Projetos - Telemática.
Formado em Gestão de TI - UNIP;
MBA em Gerência de Projetos - UNIP;
Gestão de Pessoas - IBMEC;
Certificado ITIL V3 Foundation e estudando PMP;
Colaborador dos times de tradução do Linux Ubuntu e WhatsApp.


2 Comentários

ROBERTO PEREIRA DA ROCHA
2

Muito bom! Bem sintetizado o conteúdo…Informação precisa sobre feedback!
Sou acadêmico em Processos Gerenciais e foi muito importante ler o texto, pois me deu uma grande base sobre o assunto>> Valeu!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">