5 erros comuns em campanhas no Google AdWords

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Quem nunca abriu o canal de treinamentos do Google Adwords, viu os lindos vídeos educativos e disse – “Nossa, que coisa simples…”?

Isso é o que mais acontece, o problema é que toda a “simplicidade” aparente do Google AdWords para chamar atenção de investidores se torna uma grande armadilha para quem não tem conhecimento real quando o assunto é “Links Patrocinados”.

Um grande amigo e parceiro de trabalho teve a oportunidade de acessar uma conta administrada por uma equipe de AdWords dos EUA e a diferença do profissionalismo e a complexidade do trabalho era fora do comum. O Brasil ainda está caminhando e indo muito bem por sinal, mas ainda tem chão pela frente. Grande parte do amadorismo que temos hoje é por falta de investimento em conhecimento ou curiosidade na busca de aperfeiçoamento – infelizmente – é parte da cultura do “jeitinho”.

Tendo isso em mente, pensei em como dar pelo menos 5 dicas sobre erros mais comuns encontrados por quem ainda está aprendendo ou que nunca aprendeu a fazer o correto uso do programa Google AdWords.

Dica 1 – Inexistência ou falha na pesquisa

Qual a base de toda campanha de AdWords? Palavras-chave.

As palavras-chave são o gatilho do anúncio que já está programado, somente esperando para ser requisitado. Saber escolher a palavra-chave correta é uma arte, são milhares e milhares de opções, amplas ou não, tem muita diversidade e tudo depende do planejamento.

Pesquisa e planejamento sempre vão andar juntos. Qualquer um que lê meus artigos sabe que sempre toco nesse ponto, justamente porque creio que uma boa base torna todo o projeto muito mais promissor e essa base vem justamente de uma boa pesquisa e elaboração de um planejamento de Marketing Digital.

Cuidado na escolha da palavra-chave, ela pode tanto lhe render conversões como também te consumir verba de campanha.

Outra questão é que seu posicionamento depende do índice de qualidade, que é (não só) a comparação entre número de impressões, ou seja, quantas vezes teu anúncio foi publicado nos resultados do Google e quantos cliques teve ao ser publicado – quantas impressões resultaram em cliques. Com essa taxa, o Google compreende se teu anúncio tem sido relevante ou não para o consumidor final. Quanto mais cliques em comparação com a quantidade de impressões, mais relevante é teu anúncio e melhor posicionado ficará.

Dica 2 – Nem só de míseros centavos vive um anúncio

Não é porque uma palavra custa 30x menos do que outra que ela é sua melhor opção, muitas vezes nem sequer converte em uma única venda ou contato e também o número de cliques não resulta em um melhor posicionamento. Procure trabalhar o conceito de Cauda Longa (Long Tail), mas pesquise bastante e garimpe as palavras que realmente tem algum valor estratégico.

É importante saber que AdWords exige investimento!

Além do índice de qualidade, ou seja, da relevância que o Google compreende que tem seu anúncio, o valor que você paga pelo seu anúncio também interfere no posicionamento. Não adianta ter um ótimo anúncio, mas ter um péssimo lance sendo que teu concorrente está investindo mais. Não esqueça, isso é mercado, mercado é competitivo e se quiser crescer e estar à frente da concorrência vai ter que pagar também.

Dica 3 – Geolocalização

Normalmente quem não tem verba para pagar um profissional para realizar esse tipo de serviço tenta fazê-lo por conta e risco, e normalmente esses são representantes de empresas pequenas ou completamente locais, quase que na totalidade são prestadores de serviços.

Eles começam a investir em AdWords, tentam fazer uma boa campanha e muitas vezes até conseguem alguma coisa aumentando o número de visitas mas não tem conversão em vendas dos serviços ou produtos. Por quê?

Quando o serviço é local ou o produto é personalizado, que exige instalação ou manutenção específica, o público alvo não estará no estado vizinho, certo? É importante otimizar os recursos da campanha segmentando por localização geográfica, e o Google Adwords permite que isso seja feito. Apesar que no Brasil o mapeamento de IPs não é muito coerente, é possível fazer raios de atuação de seus anúncios e segmentar melhor do que simplesmente ampliar completamente para o país e perder verba atendendo a quem não lhe é interessante.

Já tive contato com clientes, atendidos por empresas que o fizeram pagar caro para reestruturação de site, mudanças administrativas e tudo mais, dizendo que a falta de conversão e a alta taxa de visitas era justamente pelo fato de que não havia segmentação por localização que o serviço conseguia atender. Cuidado, muitas pessoas podem acessar teu site, mas se não converte em vendas ou contatos, veja primeiro sua campanha, se as palavras chaves formam o público correto e se a localização geográfica está ativada para seu mercado. Isso pode te reduzir custos e melhorar suas conversões. Use também as extensões de anúncios, isso facilita e muito o acesso a informações para clientes.

Dica 4 – Não ter teste A/B

Não é nada difícil criar muitos anúncios em um grupo de anúncios. Por isso não há desculpas para não fazer alguns testes.

A falta de testar qual modelo de anúncio está convertendo mais é muito comum. Vale lembrar que quanto mais otimizada e estratégica sua campanha for, melhor serão as suas conversões ao longo do tempo.

Faça diferentes anúncios, títulos com alguma diferença, corpo do anúncio com texto e persuasão diferentes e outros… Faça testes, isso não custa nada, é fácil e só demanda um pouco de tempo.

Dica 5 – Falha administrativa

Essa é a mais comum de encontrar… Muitas pessoas ao assistirem o vídeo compreendem que a ferramenta é praticamente automática, muitas vezes somente efetuam o pagamento dos boletos e aguardam sentadas os resultados. Mas não é por ai…

Acompanhe suas campanhas, verifique suas métricas e dados, tente otimizar toda a campanha, afinal é dela que pode gerar novos clientes e recursos para você.

Administrar campanhas de AdWords é uma tarefa diária… Se você não consegue parar por 1 hora, então está na hora de levar mais a sério o seu projeto e contratar serviços especializados, porém, tente ao máximo manter organizada e administrável sua campanha. E claro, instale o código de acompanhamento de conversão em seu site, não adianta nada investir sem saber o que converte ou não.

Um forte abraço, sucesso a todos.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Luiz Castro Junior

Mais artigos deste autor »

Diretor da Alpis Consultoria.
Consultor Certificado 8 Ps - Marketing Digital, Planejamento Estratégico digital, Gestor de Projetos.


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">