A tecnologia está realmente evoluindo e tornando as nossas vidas mais simples?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Resumo

O mundo que conhecemos tem mudado muito nas últimas décadas, desde as enormes máquinas de cálculos até o nosso “Computador Pessoal”, e a internet então, tornou-se a mais popular e acessível biblioteca do mundo. Computadores estão em todos os lugares, e na maior parte do tempo processando sistemas críticos e indispensáveis. Novos sistemas e tecnologias chegam dia após dia, e nós frequentemente ouvimos a frase “Deixando sua vida mais fácil”. Mas pense por um segundo, e pergunte a si mesmo se o seu avô ou até mesmo sua mãe seriam capazes de fazer uma busca razoavelmente avançada no Google. Ou se o seu primo gosta de trabalhar com o sistema da empresa na qual ele trabalha. Desde que a nova era da tecnologia começou, nós é quem sempre que tivemos que nos adaptar todos os dias, e mesmo com tantas pesquisas e inovações a situação ainda não mudou. Nós temos que receber treinamentos, cursos, aulas para utilizar um único sistema corporativo. E com tantos avanços nas áreas de inteligência artificial, realidade aumentada, décadas de feedback sobre experiência de usuários, e por aí vai. Será que realmente somos incapazes de fazer um sistema ou aparelho realmente intuitivo e prático de utilizar?

Introdução

Hoje nós tiramos proveito dos mais poderosos sistemas que foram feitos para ajudar a vida de todos nós. Mas toda essa tecnologia não consegue me convencer de que estamos vivendo dias mais fáceis e simples. Eu sou um profissional de TI e ainda assim há vezes em que passo trabalho para usar determinadas funções de um simples aplicativo doméstico, como um editor de texto por exemplo. E este é o grande objetivo; acima de tudo, usuários comuns não deveriam ter que sofrer para realizar suas necessidades computacionais cotidianas. Todas essas ações deveriam ser simples e práticas. O sistema deveria ser genuinamente intuitivo, além disto, deveria ajudar o usuário, interagir com ele, analisar suas necessidades, as nossas necessidades. Por que uma firma contábil precisa de 4 a 6 sistemas diferentes, sistemas incapazes de se comunicarem entre si, sistemas que acabam empurrando os funcionários a gastarem horas e horas procurando por uma função específica. Sem mencionar o treinamento praticamente obrigatório que a firma precisa pagar para cada sistema. Não poderia existir um único e excelente sistema que fizesse tudo que os outros 3 ou 4 fazem? Se não, não poderia então existir a capacidade de todos os sistemas seguirem padrões que os permitissem comunicar-se entre si? Se não, então não poderia ser desenvolvido um ‘sistema mestre’, capaz de unir e gerenciar sistemas relacionados a ele? Será que não temos a tecnologia e o conhecimento para fazer alguma dessas hipóteses virarem realidade? Bom, na verdade a maioria das respostas são: “Sim, poderia”, e “Sim, temos”. Mas uma única pergunta permanece sem esclarecimentos, “Por que é que nada disso acontece?”.

Um ponto de vista mais a fundo

Quando o título lhe fez a pergunta “A tecnologia está realmente evoluindo e tornando as nossas vidas mais simples?”, você deve ter percebido que não é uma questão tão simples. De fato, a tecnologia está evoluindo, mas em um ritmo muito lento. Abra os seus olhos e talvez você perceba.

Aparentemente sistemas não conseguem se comunicar

A IBM foi pioneira no desenvolvimento de um sistema de reconhecimento de voz multilíngue, há quase 8 anos atrás. Alguns anos depois tal sistema foi comprado pela Nuance, a qual fez vários aperfeiçoamentos no sistema. De forma que ele consegue reconhecer praticamente qualquer sotaque inglês de qualquer parte do mundo com uma precisão e fidelidade de 99%. Você pode ler um livro em voz alta e o sistema iria copiar perfeitamente o que você está lendo. Em suma, nós já temos esta maravilhosa -e provavelmente desconhecida- tecnologia por quase 4 anos. Agora, A Apple, Google, e muitas outras empresas estão batalhando na tentativa de desenvolver basicamente a mesma coisa, com a única diferença de ter um ‘app’ que além de fazer o reconhecimento de voz, também seria capaz de alguma forma lhe responder determinadas perguntas.

E aqui entra a minha indignação, “por que reinventar a roda?”. Uma indústria competitiva é algo saudável e necessário, mas não há porque gastar milhões de dólares fazendo pesquisas que já foram feitas. Parece que cada uma destas empresas quer poder segurar seu próprio pedaço de tecnologia. Não importa se é melhor, igual ou até mesmo pior. O que importa é que eles a possuem.

E por que devo me importar?

Agora a tecnologia está evoluindo tão lentamente, pois todos querem ter sua própria tecnologia. E você pode estar perguntando a si mesmo: “Por que eu iria me importar? Deixe-os gastar seu próprio dinheiro se quiserem”.

O fato é que nós definitivamente devemos nos importar. Quantos modelos celulares a Samsung possui? Você consegue ao menos imaginar um número? Provavelmente não. Quantos modelos celulares a Nokia possui? Quantas pesquisas e informações você teve que adquirir antes de comprar um único aparelho?

Estamos vivendo em uma era em que há tanta tecnologia repetida com tantos nomes diferentes, que nós precisaríamos de outra rede neural apenas para memorizar todos esses nomes e modelos! Pergunte a si mesmo, ao seu filho, seu irmão, quanto tempo já não foi gasto procurando pelo melhor aparelho celular, pela melhor TV, pelo melhor computador. Nós temos que aprender tantas coisas, tantos termos técnicos, tantos ‘recursos’ que só complicam nossa vida, quando na realidade deveriam estar ajudando a torná-la mais simples e prática.

Fecho

A tecnologia definitivamente deveria ser quem se adapta a nós, e não ao contrário. Mas infelizmente não é o que acontece hoje. Não importa o quanto as grandes companhias como Microsoft, Apple, Google, Samsung, Sony tentem melhorar seus produtos, eles estão apenas batendo cabeça e adiando a nossa tão merecida realidade.

IBM, Nuance, Apple e Google são apenas alguns dos grandes exemplos, leia novamente a introdução e você provavelmente irá entender o porquê de os 4 a 6 sistemas contábeis não se comunicam um com o outro e porque eles provavelmente nem irão. A roda está firme para eles, o lucro continua vindo.

No meu ponto de vista de um mundo perfeito, uma empresa somente deveria se preocupar com o que a torna única, deveria apenas gastar seu tempo em inovações. Todo o resto deveria ser reutilizado e até mesmo encorajado pela concorrência. Então, e somente então, a roda da tecnologia iria começar a correr como nunca antes visto.

Conclusão

Após fazer várias pesquisas, leituras e ter presenciado muito disso por conta própria, eu ouso dizer: Nós vivemos em uma época abençoada, mas nós como um todo não temos a habilidade para gerenciá-la apropriadamente. Nós temos a tecnologia, temos os recursos, e temos o conhecimento. Mas simplesmente não possuímos a capacidade de gerenciamento, pois isto não depende somente de mim ou de você. A tecnologia é um diamante despedaçado, e cada um de nós agarra fortemente um pedaço.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

2 Comentários

Luan
1

Parabéns, muito bem colocado e apoiado a ideia, creio que não ha necessidade de reinventar a roda.
O texto foi muito bem desenvolvido e apresentado.
Creio que uma avaliação e conscientização do assunto, seria de grande
mudança positiva na área de TI.
Muito bom!
=D

André Ramon flenik
2

Muito bom o texto.
A tecnologia da informação está sendo essencial para a evolução da economia.
Podemos dizer que hoje em dia o Capitalismo não sobrevive sem os sistemas, porém não houve uma facilitação dos trabalhos e sim um aumento proporcional entre o crescimento tecnológico.
As empresas cresceram junto aos sistemas, que se tornaram cada vez mais complexos e muitas vezes exigem uma grande capacitação do profissional. Muitas vezes um só sistema não comporta a necessidade da empresa. Precisa-se fazer cruzamento de dados e facilitar de fato o funcionamento.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">