Inovação é fundamental para crescer e ser reconhecida no mercado

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Vinícius de Moraes que me desculpe, mas inovação é fundamental – quando se trata de tecnologia. Sempre destaco em meus textos a importância de pelo menos acompanhar a evolução tecnológica e, se possível, se adiantar a ela. E volto a bater nesta tecla. Hoje, não é possível pensar em acompanhar o mercado tecnológico sem falar em mobilidade.

Um estudo realizado pela Capgemini Consulting, em parceria com o Centro de Negócios Digitais do Massachusetts Institute of Technology (MIT), denominado The Digital Advantage aponta que organizações com abordagem altamente desenvolvida em relação ao uso de tecnologias digitais conseguem uma lucratividade 26% superior às concorrentes, além de obter 9% a mais de receita e uma avaliação de mercado 12% mais expressiva que as rivais.

Quando li a matéria que fala mais detalhadamente sobre este estudo só pude pensar em como apesar de todos os estudos e pesquisas mostrarem a importância da tecnologia há organizações que ainda não se deram conta de que é preciso inovar para crescer e ser reconhecida no mercado. As boas ideias de novos dispositivos ou novas versões são esperadas e bem aceitas. Por que com empresas seria diferente?

Daí logo me veio à cabeça as lojas virtuais. Acho que elas ainda precisam evoluir muito para oferecerem aos seus clientes mais facilidades e novas experiências. Percebo uma preferência em comprar eletrodomésticos e eletroeletrônicos pela internet. Principalmente pelo preço, que em muitos casos é bem mais em conta do que nas lojas físicas. Mas roupas, por exemplo, acho que ainda há muito que melhorar.

Os aplicativos são cada vez mais utilizados pelas pessoas e existem para diversas finalidades. Seria interessante se uma loja virtual de roupas criasse uma aplicação que mostrasse qual a roupa que veste melhor naquela pessoa. Bastaria o usuário tirar uma foto e enviar para o aplicativo e poderia escolher entre as sugestões. Acredito que ideias assim possa ajudar o comércio eletrônico e o mobile commerce.

E não digo isto à toa. Uma matéria divulgada pela Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) aponta que o volume de transações no varejo on-line brasileiro em 2012 cresceu 46% em relação a 2011. Mas mesmo superando a expectativa, que era de 25%, este número ainda não é significativo, pois equivale a 1,5% do total do varejo.

Um levantamento da camara-e.net mostra que as compras on-line por meio de dispositivos móveis saltaram de 5% para 10% em 2012. Na América Latina, as vendas realizadas por meio de dispositivos móveis crescerão 35% até 2015 e as campanhas de marketing específicas para tablets e smartphones terão um aumento de 40% nos próximos três anos, de acordo com o estudo El Nuevo Consumidor Digital Móvil, encomendado pela Tata Consultancy Services.

Tecnologia é investimento. Uma empresa que investiu em uma loja virtual terá uma facilidade muito maior ao disponibilizar seus dados para um dispositivo móvel. E temos que lembrar que, quando os compradores estão navegando por um tablet ou smartphone para realizar uma compra, é certamente uma experiência mais agradável e prática fazer isso por um aplicativo mobile ao invés de entrar em um site comum.

Atualmente, não podemos pensar em tecnologia sem lembrar de mobilidade. A venda de dispositivos móveis só cresce, tanto de tablets como de smartphones, e já é maior que a venda de computadores de mesa e em breve deve ultrapassar a de notebooks. E novos dispositivos móveis estão sendo pensados para unir o conforto do uso de um notebook com a facilidade da tela touch screen de um tablet, por exemplo.

Este é apenas um exemplo de como é importante inovar e acompanhar as novidades que vão surgindo. Tecnologia é evolução. Por isso, vale a pena acompanhar e não ficar para trás.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">