Neymar ensina a gerenciar projetos

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Uma das habilidades que eu não sabia que tinha e hoje uso bastante é a observação.

Apesar de torcer para meu time, não sou aquele tipo de torcedor que sabe a escalação de cabeça, os jogadores lesionados e a posição na tabela dos campeonatos, bastando saber que meu time foi campeão de tudo em 1981!

Quando fui convidado para trabalhar em São Paulo, notei que os paulistas (e paulistanos) gostam muito de acompanhar o futebol. Eles acompanham tudo, desde as estatísticas até as probabilidades de um jogador brasileiro, que jogou no seu time do coração, viajar para jogar no exterior, e depois… voltar ao mesmo time!!!

Assim como todo esporte coletivo, o futebol é jogado por um grupo, com habilidades coletivas mas também individuais, que são justamente as que mais agradam ao torcedor. Neymar é um desses jogadores com ótimas habilidades individuais. Vamos fazer um comparativo de alguns episódios curiosos na vida do Neymar, que podem ser úteis para quem gerencia projetos:

Faça gols e comemore pra todo mundo ver!

Quando a galinha bota ovo, ela cacareja para o galinheiro inteiro ouvir. Após marcar um gol, Neymar comemora efusivamente, abraça os companheiros e aponta para o técnico.

Conclusão: Quando receber um elogio do cliente, compartilhe com toda sua equipe, subordinados e superiores.

Ser visto pra ser lembrado.

Ganso e Neymar começaram juntos nas divisões de base do Santos. O primeiro fazia lances bonitos e precisos, enquanto que o segundo fazia os belos gols. A vantagem de Neymar não é por causa dos gols, mas por causa da visibilidade. Ganso entrou em uma espiral de lesões e retornos, e não conseguiu ser lembrado como Neymar, culminando com sua troca de clube.

Conclusão: Procure estar presente em todos os momentos do projeto, tanto bons quanto ruins, e não apenas nos eventos e reuniões.

Seja autêntico.

Neymar posta fotos vestido com roupas engraçadas, corta e pinta seu cabelo como se fosse uma cacatua, já disse muita besteira e já foi flagrado em boates e baladas quando deveria estar concentrado com o colegas de time, porém, ele é autêntico! Diferente de outros astros do futebol que “amarelaram” diante das câmeras,  desmentiram ou desconversaram. A grande maioria dos brasileiros gosta de Neymar não apenas pelo seu talento com a bola, seus gols ou dribles, mas também por que ele é autêntico! Brasileiro gosta disso.

Conclusão: Não seja robótico quando lidar com o cliente. Fale a verdade e seja autêntico. Atualmente as empresas sabem bem o prazo médio de entrega de materiais e até mesmo as margens de lucro praticadas. De nada adianta ficar enrolando para ganhar mais tempo ou encobrir uma falha no processo. Seja franco e diga ao seu cliente:- Erramos! Mas aqui está o plano de recuperação! Alerte para o problema apenas quando já possuir o plano de correção. Se não quer “ficar na mão do cliente”, não jogue contra ele e não o derrube !

Seja ousado, mas identifique quem manda.

O episódio da suspensão do Neymar teve um desfecho inesperado. Ele enfrentou e ofendeu o capitão do time (Edu Dracena) e seu técnico (Dorival Júnior), que inclusive o descobriu e lançou ao futebol! O resultado disso foi a suspensão de Neymar e a polêmica na mídia, resultando na demissão do técnico e no retorno de Neymar ao time.

Conclusão: Ao inciar um novo projeto, procure identificar os centros de poder, porém, mesmo durante a execução do projeto, os centros de poder podem mudar, e é necessário identificá-los para conseguir apoio e decisões rápidas para aumentar as chances de sucesso do projeto.

Mesmo estando no positivo, não esbanje dinheiro.

A última polêmica em que Neymar se envolvou é a taxa de R$45.000,00 para o parto do seu filho. Ele foi à mídia e disse que era um absurdo pagar uma taxa onde o parto já estava com os custos previstos no plano de saúde. Uma das regras básicas da boa negociação é a discrição e a sonegação de informações. Não se sabe se o médico tinha conhecimento que estava fazendo o parto do filho de uma das estrelas atuais do futebol brasileiro, mas fato é, que após saber disso, não teve pudor em pedir um gordo bônus.

Conclusão: Seja fiel no pouco, para receber muito, e quando isso acontecer, seja fiel no muito também.

Não se esqueça das suas origens.

Se tem uma coisa que achamos muito feio em um relacionamento profissional é o nariz empinado. Estudamos e trabalhamos com aquele sujeito que comeu “pão-com epa!” na escola, “amassou barro” com você no estágio e penou nos primeiros meses como profissional, e agora que ele conseguiu uma boa colocação e um título legal, ele não fala mais com você nem pelas redes sociais.

Conclusão: Neymar não fez isso. Ao encontrar seu companheiro de início de carreira, o cumprimentou (mesmo jogando em times rivais) e fez inúmeros elogios ao seu amigo-oponente, afirmando inclusive que quando Ganso estiver recuperado, não vai ter pra ninguém !

Tenha um couch!

Mas Neymar não tem apenas boas qualidades. Ele já mostrou as debilidades e impetuosidades da juventude, se considerando superior aos outros. Ele pode até ser superior, mas logo logo perceberia que esse tipo de atitude não agrega, mas só afasta as pessoas. Se ele é humilde de verdade, não sabemos, mas fato é que ele tem sido acompanhado de perto pelo seu pai e tem sido assessorado em suas decisões, e o resultado é a potencialização dos lucros, da imagem e do futuro de Neymar como pessoa e jogador de futebol.

Conclusão: O mesmo devemos fazer como profissionais. Precisamos de um referencial, um assessor para decisões importantes e um líder em quem se inspirar. Pode ser um familiar, um professor da graduação, um ex-gerente ou até mesmo seu atual gerente. Tenha sempre contato com uma pessoa mais velha, mais experiente e mais sábia do que você. Prepare-se, pois um dia você pode ser o couch de alguém.

Tenho desejado a muitas pessoas uma coisa que tem feito a diferença na minha vida: Equilíbrio. Nesses tempos onde tudo é “over”, é bom saber equilibrar as vidas pessoal, profissional, acadêmica, emocional, familiar, etc. Desejo equilíbrio pra vocês. Observem os povos orientais, que praticam o equilíbrio há gerações. A grande maioria das disputas, conflitos, divórcios, falências e insucessos tem como causa principal a falta de equilíbrio. Busquem o equilíbrio e a natureza vai fazer a parte dela.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Marcelo Ribeiro de Almeida

Mais artigos deste autor »

Gerente de Projetos - Telemática.
Formado em Gestão de TI - UNIP;
MBA em Gerência de Projetos - UNIP;
Gestão de Pessoas - IBMEC;
Certificado ITIL V3 Foundation e estudando PMP;
Colaborador dos times de tradução do Linux Ubuntu e WhatsApp.


2 Comentários

Fabio Brand
1

Parabéns pelo post, de uma clareza impetuosa, e sua analogia com o futebol foi ótima e de grande proveito seu texto. Parabéns.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">