Elimine a necessidade de um storage com o vSphere VSA

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Sempre tenho defendido em meus artigos os benefícios da virtualização e de tudo que a aplicação desta tecnologia pode ajudar para seu negócio estar preparado para um crescimento e provisionamento rápido de recursos.

Porém, quando uma pequena empresa começar a realizar um levantamento de custos para que seja possível implementar uma solução de virtualização, ela se depara com um fator que muitas vezes inviabiliza o projeto: O custo. Isso porque para uma empresa que esta iniciando na tecnologia exige-se a aquisição de alguns itens que acaba deixando o valor final longe da realidade de uma pequena empresa. Um dos itens que é fundamental para o sucesso de um projeto de virtualização é um storage, pois com só ele é possível ativar algumas features da virtualização, tal como o HA “Alta Disponibilidade” e o DRS “Balanceamento de Carga”, features como estas são importantíssimas e cruciais para um ambiente virtualizado.

Para ambientes pequenos que não dispõe de recursos para a aquisição de toda uma estrutura, eu gostaria de lhes apresentar o VSA da VMware. Esta feature tem como objetivo simular um storage usando o armazenamento interno dos hosts, com isso o VMware passa a reconhecer os discos dos hosts como se fossem um storage, e assim é possível habilitar e usar as features de HA e DRS.

Mas como funciona o VSA?

O uso do vSphere 5 + Vsphere Storage Appliance (VSA) permite a criação de um storage virtual usando o armazenamento local. Isso permite que seja usado recursos como o vMotion, que é a base para as principais features da Vmware sem a necessidade de uma SAN.

O VSA usa o armazenamento local de 2 ou 3 hosts vSphere 5 para criar um cluster VSA. Este cluster fornece um datastore compartilhado NFS que pode ser usado para armazenar as maquinas virtuais. Além disso, este cluster fornece redundância  Raid e replicação dos dados, garantindo que o ambiente se mantenha em pé mesmo que haja a falha de um disco ou até mesmo de um host.

O desempenho do VSA depende basicamente do hardware do servidor. Tamanho dos discos, velocidade e tecnologia dos discos influenciam diretamente no desempenho de um cluster VSA. Vale lembrar que esta solução é indicada para clientes de pequeno porte que estão iniciando no cenário de virtualização. Para empresas que demandam um grande I/O em suas aplicações esta implementação não é recomendada.

Detalhes que precisam ser levados em conta com o VSA

A grande maioria dos aspectos sobre desempenho no VSA são determinados pelos mesmo fatores que qualquer storage comum. Porém, existem alguns aspectos que precisam de um olhar especial, entender estes aspectos vai garantir e auxiliar o sucesso no planejamento da tecnologia, confira:

Fatores de desempenho comuns para um storage

  • Número de discos
  • Velocidades de rotação dos discos
  • Tamanho dos discos
  • Tipo de RAID
  • I / O
  • Controladora RAID
  • Replicação de dados entre hosts VSA
  • Mix de leituras e escritas

Considerações fundamentais sobre armazenamento

Cada disco é capaz de obter um certo desempenho sobre uma determinada carga de trabalho, dependendo do tipo de disco este desempenho pode variar. Para muitas empresas o fator chave que é levado em consideração é o I/O que o disco pode executar. O I/O nada mais que é input e output, ou seja, entrada e saída. Em outras palavras, quanto mais dados um disco conseguir ler e escrever por segundo melhor é o desempenho deste disco, este processo é chamado de IOPS. As estimativas de IOPS variam muito de acordo com a velocidade dos discos. Um disco de 10.000 RPM tem uma estimativa de 120 a 150 IOPS, já um disco de 15.000 RPM seu IOPS varia de 170 a 200 IOPS.

Em um storage estes discos são combinados em uma unidade lógica chamada de LUN, onde todos os dados passam a ser distribuídos por todos os discos e o seu desempenho agora vai depender basicamente do nível de RAID escolhido, no caso de um cluster VSA o RAID 1/0 é o nível usado.

Controladora RAID

A controladora RAID dos hosts locais é uma peça fundamental para se obter sucesso em uma implementação de cluster VSA. É importante obter uma controladora RAID com uma grande quantidade de cache não volátil e garantir que estas configurações de cache estejam habilitadas. Se o cache estiver desabilitado pode afetar diretamente o desempenho do cluster VSA.

VSA Data Replication

A replicação de dados usando o VSA é feito de forma automática sem a necessidade de intervenção por parte da equipe de TI. É importante realizar uma análise sobre o impacto que uma replicação pode causar em um ambiente, levando em consideração os IOPS de cada disco.

VSA apresenta para cada host um datastore NFS e é nele que o vSphere vai hospedar as máquinas virtuais. Além disso, todos os dados são replicados de forma síncrona para um espelho localizado em um segundo host do cluster. Isso permite que o os dados continuem acessíveis mesmo que um dos hosts venha a falhar por qualquer motivo. Para que esta replicação seja feita o VSA divide o disco local pela metade: uma metade é usada para armazenamento das VMs e a outra metade para replicação.

Mix de leituras e escritas

A mistura de leitura e escrita é outro fator fundamental que também precisa ser levado em consideração em um projeto de cluster VSA. O nível de RAID escolhido pode impactar diretamente no desempenho de um storage. Em um cluster VSA o RAID utilizado é o 1/0, neste RAID cada leitura lógica resulta em uma leitura física no disco, porém, cada escrita lógica resulta em 2 escritas no disco, toda a replicação de dados no cluster VSA é feita via software, isso quer dizer que para cada gravação feita na LUN se transforma em 4 escritas no disco – 2 para a unidade de armazenamento e 2 para a unidade de replicação.

Bom pessoal é isso, neste artigo tentei mostrar que é possível virtualizar investindo menos que se imagina, e que escolhendo uma ferramenta mais completa como o vSphere da VMware você pode usufruir de features que possibilitam uma economia no investimento.

Reitero que o cluster VSA é uma ótima pedida para pequenas empresas que estão iniciando no mundo da virtualização.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Frederico Neves

Mais artigos deste autor »

Profissional graduado em Sistemas para internet, possui grande experiência em projetos de virtualização e cloud computing. Atualmente ocupa o cargo de Consultor de TI na PRODAMA atuando com a equipe de vendas dimensionando cenários e desenhando projetos. Atuo também em implementações de toda linha VMware, IBM System X, IBM System Storage, ARCSERVE Backup.
Profissional especialista IBM System X, IBM System Storage e VCP5 VMware.
Contato: (44) 8411-2684
email: [email protected]


2 Comentários

Tuchaua Tellier Ferreira
1

Muito interessante realmente esse recurso, e como você ressaltou, é para clientes pequenos mesmo, mais uma solução atraente em um projeto onde o $$ é importante para o fechamento. Ou seja, quase sempre! hehehhehe

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">