Tecnologia da informação e a melhoraria de serviços públicos

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

O desenvolvimento de uma nação está diretamente ligado ao poder de melhoria de vários setores dentro da sociedade. Pode-se dizer que determinado país está desenvolvido ou em desenvolvimento com a mensuração de resultados (positivos e negativos) destas melhorias. Para isso, é necessário mensurar como um todo as áreas que são responsáveis pelo índice de crescimento e qualidade de vida, as áreas da saúde, educação e em nosso caso, o desenvolvimento da informação.

É notório que com o passar dos anos, diversos avanços na tecnologia impactaram em nosso cotidiano, ocasionando em benefícios práticos para toda a população e empresas, sejam eles econômicos ou operacionais.

Quando isso acontece, de forma positiva, podemos destacar que a tecnologia da informação teve um papel fundamental no desenvolvimento da sociedade, principalmente quando tratamos de serviços públicos que abrangem uma parcela considerável da população.

São vários os exemplos que poderemos citar ao longo do texto em que a tecnologia nos beneficiou de forma direta ou indireta. Em algumas situações, a nova geração (conhecida como “geração y”) nem teve a oportunidade de utilizar determinados serviços públicos na forma do seu funcionamento de antigamente, como enviar cartas pelos Correios.

Hoje, essa geração que já nasce em contato com a internet, nem sabe como postar uma carta nos correios. Eles aprenderam que a forma de se comunicar com os outros é através de e-mail, torpedos, mensagens instantâneas e redes sociais. Mas o desenvolvimento da tecnologia permite a você, hoje, rastrear encomendas postadas nos correios pelo próprio site dos Correios ou em “app” (aplicativos para smartphones). Antigamente, era quase que diária a “viagem” até uma agência postal para saber se chegou alguma encomenda para o destinatário.

Outro exemplo que demonstra como o desenvolvimento da tecnologia melhorou nossos cotidiano é a declaração de imposto de renda anual. Antigamente tínhamos que preencher um formulário no papel e torcer para não errar nenhum campo, pois rasuras inviabilizavam o envio do formulário. Para aqueles que tinham muitos bens, eram páginas e mais páginas de formulário para declarar o tão sofrido IR.

Atualmente, utilizando o programa específico para declarar o IRPF, tudo ficou mais fácil. A possibilidade de se importar os dados da declaração do ano anterior, a simulação dos tipos de declaração e a crítica que o próprio programa faz, diminuiu em muito as dores de cabeça aos contribuintes que passaram a correr menos risco de cair na “malha fina” do fisco.

O IPVA e o Licenciamento (para quem possui algum tipo de automóvel), também teve o seu benefício com a tecnologia da informação. Entrando no site do Detran de sua região, você pode consultar como anda a situação de seu veículo apenas pesquisando pela placa e o número do RENAVAM. Com a tecnologia, você imprime o documento de arrecadação na hora que for pagar. Após o vencimento, o site já calcula os juros e multa, emitindo o boleto no valor correspondente atualizado para que seja pago na rede bancária. Não há mais a necessidade de se deslocar até uma Ciretran ou Detran para requisitar novo boleto com valores atualizados.

E por último, a mais recente mudança que estamos observando nas últimas eleições é a utilização de urnas eletrônicas. Fico aqui imaginado a nova geração de não ter tido contato na forma de se votar utilizando as cédulas de votação (isso mesmo, papel!). O grande benefício dessa tecnologia é a agilidade no resultado da eleição, onde em apenas algumas horas já sabemos quem são os governantes eleitos. Na forma tradicional, o resultado levaria dias.

Enfim, estamos em um caminhar natural da humanidade: o desenvolvimento. Pode ser que esse tipo de desenvolvimento não agrade a todos, mas temos que ter a consciência que para sermos melhores, temos que evoluir. Essa teoria eu levo para dentro das empresas também. Se você não evoluir algo dentro da empresa ou no seu trabalho, ficará continuando a fazer a mesma coisa, e pior, pode ser que não saia da era do papel!

Até a próxima!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Roney Médice

Mais artigos deste autor »

Coordenador de Segurança da Informação do Terminal Retroportuário, no Porto de Vitória, com mais de 17 anos de experiência na área. Consultor de Segurança da Informação do Grupo Otto Andrade. Perito em Computação Forense. Membro Fundador do CSA - Cloud Security Alliance, Membro do Comitê ABNT/CB-21 em Segurança da Informação. Graduado em Ciência da Computação, Direito e MBA em Gestão de Segurança da Informação.


3 Comentários

Luiz Henrique
1

Excelente comentário, Roney. O Brasil precisa acordar pra nova realidade, o TI está carente de investimentos, e é super-importante para o desenvolvimento deste.

Fica com Deus,
Luiz.

Abrão
2

Excelente matéria,gostaria muito de trabalhar um artigo ou projeto desse por meu país que é Guiné-Bissau, ali a tecnologia ainda é mesmo que nada.Graduei no ano passado em ADS e quero muito ajudar o meu país em informatização do serviço publico é algo que não tem la. Se você tem como me indicar alguns livros,artigos ou sites etc… que posso consultar para ter ideia mais sobre o assunto ou se poder trabalhar isso comigo agradeço desde já. [email protected].

Muito obrigado Roney.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">