e-book VMware de A a Z – Capitulo 1 – Parte 3

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Antes de continuar, leia a parte 1 e parte 2!

monitoramento-proativo-servidores-datacenter

CPU Virtualization

A Virtualização da CPU enfatiza o desempenho rodando seus processos diretamente nas CPUs físicas. Os recursos físicos subjacentes são usados ​​sempre que possível. Na camada de virtualização são executadas instruções somente quando necessário para fazer com que as máquinas funcionem.

A virtualização da CPU não é uma emulação. Não confunda emulação com a virtualização. A diferença é que as emulações executam todas as operações via software por meio de um emulador de software. Um software emulador permite que os programas sejam executados em um ambiente para qual ele não foi originalmente escrito. O emulador faz isso reproduzindo o comportamento do computador original com a intenção de alcançar os mesmos resultados finais. Emulações oferecem portabilidade, pois executam um software, inicialmente projetado para uma determinada plataforma, em várias plataformas diferentes. Normalmente o desempenho é afetado de forma negativa.

Quando várias máquinas virtuais estão sendo executados em um host ESXi, as VMs podem competir por recursos da CPU. Quando a contenção de CPU ocorre, o host ESXi fatia os processadores físicos em todas as máquinas virtuais para que cada máquina rode como se tivesse um determinado número de processadores físicos.

Uso físico e virtual da memória

Em um ambiente não virtual, os sistemas operacionais assumem toda a memória física no sistema. A memória virtual é uma técnica bem conhecida e usada na maioria dos sistemas operacionais de propósito gerais, e quase todos os processadores modernos possuem hardware para apoiá-lo. A memória virtual cria um espaço de endereço virtual uniforme para aplicações e permite que o sistema operacional e o hardware lidem com a tradução de endereços entre o espaço de endereçamento virtual e o espaço de endereço físico. Esta técnica se adapta ao ambiente de execução para suportar grandes espaços de endereçamentos, proteção de processos, mapeamento de arquivos e troca de sistema de computador moderno.

Em um ambiente virtualizado, a camada de virtualização VMware cria um espaço de memória endereçável contínuo para cada máquina virtual quando é iniciada. O espaço de memória alocado é configurado quando a máquina virtual é criada e tem as mesmas propriedades que o espaço de endereço virtual. Esta configuração permite que o hypervisor execute várias máquinas virtuais simultaneamente, protegendo a memória de cada máquina virtual garantindo que elas possam ser acessadas por outras pessoas.

Rede Fisica e Virtual

Os componentes chave de uma rede na arquitetura virtual são os adaptadores Ethernet virtuais e switches virtuais. Uma máquina virtual pode ser configurada com um ou mais adaptadores Ethernet virtuais. Switches virtuais permitem que as VMs no mesmo host ESXi se comuniquem umas com as outras usando os mesmos protocolos que seriam utilizados nos switches físicos, sem a necessidade de hardware adicional. Switches virtuais também suportam VLANs, que são compatíveis com implementações padrão de VLAN de outros fornecedores, tal como a Cisco.

A tecnologia VMware permite conectar as máquinas virtuais de um local para o outro com a rede externa por meio de um swich virtual. Um switch virtual funciona como um switch Ethernet físico, sendo que um host ESXi pode conter múltiplos switches virtuais. O switch virtual é capaz de se conectar a múltiplas vmnics de um modo muito parecido com uma placa de rede de um servidor tradicional, oferecendo uma maior disponibilidade de largura de banda. Seu funcionamento é semelhante aos modernos switches físicos, sendo que também suportam segmentação de VLAN a nível da porta, de modo que cada porta pode ser configurada de forma diferenciada.

Múltiplos switches virtuais não podem se interligar com outros switches virtuais, pois um único switch virtual fornece todas as portas que você precisa.

Leia também a parte 1  e parte 2 deste capítulo

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Frederico Neves

Mais artigos deste autor »

Profissional graduado em Sistemas para internet, possui grande experiência em projetos de virtualização e cloud computing. Atualmente ocupa o cargo de Consultor de TI na PRODAMA atuando com a equipe de vendas dimensionando cenários e desenhando projetos. Atuo também em implementações de toda linha VMware, IBM System X, IBM System Storage, ARCSERVE Backup.
Profissional especialista IBM System X, IBM System Storage e VCP5 VMware.
Contato: (44) 8411-2684
email: [email protected]


3 Comentários

Giovanni
1

Parabéns Frederico pelos seus Posts.
Estou estudando para a certificação, e estou acompanhando seus relatos.

Estou no aguardo dos próximos.

Valeu

PAULO VICTOR
2

Frederico, tudo bom? Você ainda ve os comentarios aqui? Espero que sim!
Estou entrando nessa área de vmware agora, (leigo total) e to aprendendo do zero mesmo, o abc desse mundo de virtualização, e queria um conselho seu… to lendo todo seu ebook vmware de a a z mas gostaria de ouvir algo a mais de você, preciso tirar uma certificação técnica em 4 meses de vmware / veeam para ser efetivado na empresa onde estou.

O que você me aconselha? Eu meio que desisti as apresentações do site da VMware porque é muito áudio inglês, consigo ler, mas não entender o listen.

Obrigado, espero que me ajude.

Frederico
3

Paulo boa noite tudo bem! O primeiro passo é fazer o curso preparatório para a certificação, depois disso foca em um documento de configurações maximas do VMware, 85% das perguntas são retiradas de la rs! Você ja fez o curso?

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">