e-book VMware de A a Z – Capitulo 1 – Parte 4

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Antes de continuar, leia a parte 1parte 2 e parte 3!

monitoramento-proativo-servidores-datacenter

Sistemas de Arquivo Físico x VMware vSphere VMFS

Os sistemas de arquivos convencionais permitem que apenas um servidor por vez tenha acesso a leitura e a escrita para o mesmo arquivo. Por outro lado, o VMware vSphere VMFS permite uma arquitetura de armazenamento distribuída, que permite que vários ESXi possam ler e escrever ao mesmo momento em um determinado datastore. VMFS é projetado, construído e otimizado para um ambiente virtualizado, sendo um sistema de arquivos em cluster de alto desempenho que aumenta o uso dos recursos, fornecendo às várias máquinas virtuais acesso compartilhado a um conjunto consolidado de armazenamento em cluster. O VMFS é a base para serviços de infraestrutura distribuída, como a migração a quente de máquinas virtuais, equilíbrio dinâmico de cargas de trabalho, restart automático de máquinas virtuais e tolerância a falhas .

VMFS fornece compatibilidade com os diversos protocolos do mercado, tais como Fibre Channel over Ethernet , iSCSI e NAS. Também oferece um crescimento dinâmico em seus datastores através de agregações de recursos de armazenamento ao sistema operacional, como também proporciona um possibilidade de se expandir dinamicamente uma LUN (Logical Unit Number) sem a necessidade de parada – nenhum outro sistema de arquivo é tão poderoso quanto o VMFS.

Encapsulamento

VMFS armazena todos os arquivos que compõem a máquina virtual em um único diretório, fornecendo o encapsulamento de toda a máquina virtual e possibilitando que sejam aplicadas políticas de disaster recovery.

Layouts do sistema de arquivos

Um sistema de arquivo VMFS emprega uma estrutura de arquivo semelhante a de um sistema operacional Linux ou Unix. Cada LUN é montada em uma pasta e contém vários subdiretórios contendo os arquivos que compõe uma máquina virtual. VMFS é otimizado para suportar grandes arquivos e executar muitas operações simultâneas.

Arquivos da máquina virtual

O arquivo de configuração de uma maquina virtual é identificado por uma extensão .vmx, que contém todas as definições de configurações e informação de hardware das máquinas virtuais. Os .vmx são armazenados em formato de texto. Esse arquivo inclui uma grande variedade de informações sobre a máquina virtual como, por exemplo, o tamanho da RAM, interfaces de rede, disco, portas serial/paralela e configurações de recursos e opções de gerenciamento de energia.

O arquivo de swap é identificado por uma extensão .vswp, que é criado para cada máquina virtual, mas usado apenas se um host esgotar toda a sua memória alocada. O tamanho do arquivo é igual em tamanho à quantidade de memória RAM atribuída a uma máquina virtual.

O arquivo da BIOS, identificado por uma extensão .NVRAM, é utilizado pela máquina virtual para emular uma BIOS semelhante a de um servidor físico. Com ele você pode definir as opções de configurações de hardware e as alterações são armazenadas neste arquivo. O arquivo de BIOS é em formato binário e se for removido é automaticamente recriado quando a máquina virtual for reiniciada.

Os arquivos de log são identificados pela extenção .log e são criados para registrar informações sobre a máquina virtual. Normalmente são utilizados na solução de problemas relacionados às máquinas virtuais. Haverá vários desses arquivos presentes no diretório da máquina virtual. O arquivo de log atual é sempre chamado vmware.log, sendo que novos arquivos de log são criados quando uma máquina virtual é desligada e ligada novamente .

Todos os discos virtuais são compostos de dois arquivos, um arquivo grande com tamanho igual ao tamanho do disco virtual e um pequeno arquivo de texto. O arquivo de texto é identificado pela extensão .vmdk e nele estão contidos os detalhes do tamanho e da geometria do disco virtual. Temos também outros tipos de arquivo para o disco que são:

  • flat.vmdk é o arquivo de disco virtual padrão criado para máquinas virtuais.
  • delta.vmdk é criado quando um snapshot é criado
  • rdm.vmdk é criada uma quando atribuímos um mapeamento direto do storage para uma determinada VM

Leia também a parte 1parte 2 e parte 3 deste capítulo

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Frederico Neves

Mais artigos deste autor »

Profissional graduado em Sistemas para internet, possui grande experiência em projetos de virtualização e cloud computing. Atualmente ocupa o cargo de Consultor de TI na PRODAMA atuando com a equipe de vendas dimensionando cenários e desenhando projetos. Atuo também em implementações de toda linha VMware, IBM System X, IBM System Storage, ARCSERVE Backup.
Profissional especialista IBM System X, IBM System Storage e VCP5 VMware.
Contato: (44) 8411-2684
email: [email protected]


1 Comentários

Bruno Torres
1

Gostaria de saber qual arquivo do VMware guarda o conteúdo da memória RAM da VM quando ela for suspensa ou criado um snapshot da VM ligada.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">