Programar por quê? Aposte na automatização

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Nem sempre as pessoas entendem o poder de uma inovação. Prova disso são algumas frases célebres sobre alguns itens que fazem parte do nosso cotidiano. Em 1903, o Presidente do Banco de Michigan falou a seguinte pérola “O cavalo está aqui para ficar, mas o automóvel é apenas uma novidade, uma moda”. Ou, voltando ainda mais no tempo, temos o que Erasmus Wilson – professor da Universidade de Oxford – disse em 1800 sobre a luz “Quando a Exposição de Paris fechar, ninguém mais vai ouvir falar em luz elétrica.”

programacao-automatizacao-programar-software

 

Analisando todo o contexto histórico da época, é perfeitamente plausível o pensamento destas pessoas. Eles, na verdade, apenas refletem a opinião que a maioria tinha a respeito destas invenções. Agora, imagine só o que teria acontecido se Henry Ford tivesse dado ouvidos para o banqueiro ou se Thomas Edison desistisse da eletricidade?

Pode parecer exagero, mas nunca temos certeza do quão importante será a mais nova invenção a dominar o mercado. Pode ser uma moda passageira, ou uma ferramenta sem a qual não viveremos depois. O computador, por exemplo, sem ele não teríamos Internet, smartphones ou tablets. Usamos suas teclas para conversar com parentes distantes, procurar ofertas tentadoras e até mesmo fazer entrevistas de emprego. Tanto no trabalho como na nossa vida particular, o computador se faz presente. Mas em 1977, Ken Olson – fundador da Digital Equipment Corporation – disse acreditar que as pessoas não teriam motivos para ter um computador em casa. Hoje sabemos que ele não poderia estar mais errado.

Acredito que quem trabalha com tecnologia precisa estar sempre aberto a novidades. Fazer as coisas sempre da mesma maneira é perder oportunidades valiosas para evoluir. Profissionais que trabalham com desenvolvimento de sistemas, por exemplo, por que não apostar em uma tecnologia que automatiza a programação?

Creio que a inteligência e a criatividade do ser humano nunca serão substituídas pelo trabalho das máquinas (espero sinceramente estar correto!), mas temos que aceitar que em determinados momentos poder contar com ajuda é essencial. Não é a toa que surgem cada vez mais facilidades que automatizam atividades do nosso dia a dia.

Voltando a falar sobre programação, já existem ferramentas que tornam este processo muito mais rápido e prático. Ao invés de precisar digitar linha por linha em código, o desenvolvedor pode simplesmente passar os parâmetros para o sistema que faz todo o trabalho. A qualidade técnica do profissional continua a ser primordial, mas ele pode economizar tempo e energia para implantar em outros projetos.

Usar a automatização na programação faz muito sentido principalmente quando colocamos a questão no âmbito das grandes empresas. Estas ferramentas permitem criar programas para linguagens e plataformas diversas de uma só vez. Para quem trabalha com desenvolvimentos de aplicativos móveis, por exemplo, isso representa uma grande economia de tempo e dinheiro, pois não será mais necessário desenvolver uma versão exclusiva para iOS, outra para Android, uma para Windows Phone, etc. Desta forma a organização economiza tempo e, principalmente, dinheiro.

Com isso todos saem ganhando: os desenvolvedores não precisam mais passar longas horas realizando um trabalho repetitivo e cansativo, os clientes ficam contentes pois suas soluções ficam prontas em menos tempo e a empresa pode aumentar sua margem de lucro.

Outra vantagem da automatização é o fato dela diminuir a necessidade de atualizações frequentes. Este é um mercado em expansão, que apresenta novidades constantemente. E a cada mudança na plataforma, surge a necessidade de atualização. Com a programação desenvolvida de forma automatizada, o app já é produzido para se adaptar as constantes mudanças do mercado. Mais uma vez, temos economia de tempo e dinheiro.

Não conseguimos imaginar nossas vidas sem automóveis ou energia elétrica. Mas um dia nós estávamos acostumados a montar cavalos e a viver a luz de velas. Não seria esse o momento de parar de viver no passado e apostar na automatização? Nunca temos certeza absoluta se determinada novidade é ou não a próxima invenção do século, mas garanto que um processo com tantas vantagens competitivas deve ser encarado com muito otimismo. Por que não experimentar?

Imagem computer keyboard with Gears icon on via Shutterstock 

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Gerardo Wisosky

Mais artigos deste autor »

Country Manager Brasil de GeneXus International – empresa que desenvolve GeneXus – ferramenta de desenvolvimento de sistemas que permite criar aplicativos para as linguagens e plataformas mais populares do mercado, sem necessidade de programar


3 Comentários

Eduardo Pires
1

Eu iria tecer outros tipos de comentários e iniciar uma discussão sadia sobre o tema, mas quando vi que o autor é “Country Manager Brasil de GeneXus International”, deixei de lado.

O cara só veio vender o “peixe” dele, se isso pode ser chamado de peixe, atualmente estou em um projeto qual a função é remover o legado desastroso de uma automação feita com Genexus.

CássioroX
2

O tema é realmente interessante… já vi uma palestra da ferramenta ScriptCase, onde é possível criar programas web de forma muito rápida, no entanto, essas ferramentas lhe deixa totalmente dependentes, e se o cliente pedir algo um pouco diferente que não consta na ferramenta, ai meu amigo… vai ser difícil criar.

Em muitos fóruns há grandes reclamações sobre as automatizações, no entanto, como diz o início do texto, é um processo ainda em evolução, a tendência é que melhore bastante e quem sabe num futuro não muito distante, a programação automatizada seja de grande valor.

Abraços.
[]’s

Sérgio Novelli
3

Concordo com quase tudo o que o autor disse. A automatização está em evolução e veio para ficar. É muito fácil encontrar gente pela web afora falando mal do GeneXus e de outras ferramentas RAD por causa dessa evolução.

Ao contrário do que comentou o amigo acima, não acho que o autor veio vender seu peixe. Eu tive uma breve experiência (seis meses) com a ferramenta GeneXus, a última versão, e gostei muito de trabalhar com a mesma. É muito mais rápido desenvolver um software com ela. Porém prevalece algumas regras para usar esse tipo de ferramenta. A principal delas é: se você pretende alterar na unha o código que ela gera, esquece! Desenvolva toda a sua aplicação na mão. E isso se aplica a qualquer ferramenta RAD. É o que vejo muita gente fazer: desenvolve a aplicação na ferramenta, depois vai lá, altera o código gerado na unha e depois sai falando mal da ferramenta.

Outra regra que deve ser considerada é: não existe ferramenta (IDE, RAD, CASE, etc) ruim de desenvolvimento. O que existe são programadores que não dominam as ferramentas que tentam usar.

E por último, não existe uma ferramenta que seja a melhor de todas. O que existe é a ferramenta ideal para cada tipo de projeto. Há um mês atrás, por exemplo, cogitei utilizar o GeneXus em um projeto novo aqui da empresa. Porém, depois de bastante análise e muita conversa com a equipe de desenvolvimento, concluímos que não é a melhor opção para esse projeto. Enfim, tudo é questão de análise e bom senso.

Creio que ferramentas como o GeneXus e outras do mesmo tipo tem muito a evoluir ainda, mas são como a lâmpada de Thomas Edson. Vieram para conquistar seu espaço e vão ficar.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">