Motivos pelos quais profissionais de TI devem aprender inglês

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Não pretendo me alongar muito no assunto, até mesmo por que este já foi bastante comentado aqui no PTI. Mas, novamente, vou tocar neste ponto importante e que vem sendo ignorado por profissionais de TI brasileiros: o conhecimento da língua inglesa.

Antes de continuar, parafraseando a autora Loiane, não pense que “saber inglês técnico” te ajuda em algo. Inglês técnico não existe! Conhecer somente “palavras técnicas” e não saber formar e compreender frases não é diferencial.

aprender-ingles-profissional-tecnologia

Imagem via Shutterstock

Saber falar e compreender diálogos em inglês sem pensar em português deve ser o foco! Apesar de não ser algo simples de ser alcançado, passar um tempo fora do Brasil trabalhando, estudando e vivenciando o dia a dia dos gringos através de um intercâmbio dá um baita empurrão. Se você pensa em passar por esta experiência única, uma boa escola é a Kaplan, que foi eleita a melhor escola de inglês em 2012 pela Revista Viagem e Turismo.

E por que você deve “correr atrás” do inglês? Simples, por que o mercado te imporá isso mais cedo ou mais tarde! Vejamos abaixo 3 motivos implícitos na área de TI que reforçam esta afirmação:

1. Conhecimento: Já falei sobre isso em outro artigo, mas, volto a frisar: A grande maioria dos materiais relacionados à TI (documentações, livros, especificações, artigos, etc) estão em inglês, e o motivo é simples: basicamente todas as grandes empresas de TI são estrangeiras e a forte influência dos EUA no mundo faz do inglês uma das línguas mais utilizadas pelas mesmas.

Então devo esquecer os conteúdos em português e focar somente nos gringos? Lógico que não! Especificações, documentações, etc podem até vir lá de fora, mas as experiências profissionais descritas por profissionais conterrâneos são de suma importância para a formação de um conhecimento sólido.

Ah, mas é para traduzir textos que existe o Google Tradutor! Pra que preciso aprender inglês? Simples, você tem que entender contextos, saber aplicar palavras e verbos de forma adequada, gírias quando necessário, etc. Tradutores automatizados criam as chamadas traduções ao pé da letra, ou seja, não levam em consideração o contexto, interpretação de texto, etc. Até mesmo as traduções de livros gringos (feitas por profissionais tradutores), na sua grande maioria, ficam uma MER**.

2. Certificações: Neste ponto nem é preciso falar muito. Se a maioria das grandes empresas e entidades mundiais de TI que oferecem certificações são americanas (Microsoft, Oracle, Cisco, Google, EXIN, etc), nada mais lógico do que manterem materiais e provas certificadoras em uma língua de maior abrangência. Claro que existem empresas que oferecem materiais e provas oficiais em pt-BR, mas, dependendo da área desejada, o inglês é o default.

3. Crescimento: No mundo dos negócios não existem barreiras geográficas! O que impede uma empresa de TI expandir sua atuação para outros países? Se esta tiver um bom planejamento e recursos, nada! E se você fizer parte dos recursos chave desta empresa, o que te impede de receber uma oportunidade para atuar em outro país ou para manter contato com pessoas de outros países? Não conhecer inglês!

Ah, mas onde eu trabalho atualmente é uma pequena empresa, não ganho o que mereço, os caras não tem estrutura, blá, blá, blá. Oras, então você é um(a) baita acomodado(a) que vai ficar pelo resto da vida numa pequena empresa? E esta pequena empresa, será que não planeja crescer? Pense nisso!

Nenhum dos motivos acima são novidades (imagino eu), mas é sempre bom relembrar que uma segunda língua no currículo (de preferência o inglês) não é luxo, é obrigação! E não é só em TI, ainda mais considerando os grandes eventos esportivos que o país sediará nos próximos anos.

Ah, então quer dizer que se eu souber escrever e entender um “Hello World!” estou numa boa? Lógico… que não! Escrever e entender frases/textos é apenas o primeiro passo. O próximo é a fluência na língua! \o/

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

9 Comentários

Marcelo Almeida
1

Ótimo artigo !
Só um comentário: A língua Inglesa não se tornou universal apenas por causa do poder comercial dos EUA, mas é devido ao fato de ser uma língua muito fácil de ser aprendida, com poucas conjugações verbais, poucas flexões verbais, vocabulário pobre e muitas palavras mono ou dissílabas. Ela foi originada dos povos anglo-saxões, bárbaros, que acredito eu, não eram muito chegados a uma conversa…

Lucas Arruda
3

Só queria saber como conseguir fluencia aqui no Brasil, voltei agora de intercambio em toronto, todos , todos professores falaram a mesma coisa, fluencia no minimo 2 anos morando em um pais que seja nativamente ingles e olhe lá, a media é 4 anos.

O investimento para isto, as empresas brasileiras recomepensam isso? duvido e muito, então se quizer ser fluente, vá embora do brasil e volte só na aposentadoria.

Sei falar, escrever, ouço muito bem(minha melhor area de ingles), leio muito bem tambem.Consigo ler um livro em ingles facilmente, filmes e dialogos entendo realmente facil, penso em ingles(o que é a primeira coisa para ser fluente) mas mesmo isso tudo não quer dizer que sou fluente. E olha que o investimento para o intercambio não foi pouco.

Mas longe, muito longe de ser fluente, fluencia é saber mais de 5 formas de falar a mesma coisa. E isso não se aprende em escolinhas de ingles aqui no brasil, que poucos professores realmente são fluentes ou são fluentes e viraram professores por que é o trabalho mais facil pra quem volta fluente para o brasil e não por que realmente gostam de ensinar.

Ter fluencia como diferencial é abusivo, uma empresa que realmente quer pessoas fluentes, tem que dar oportunidade do seus funcionarios irem para cursos ou tempos de experiencia fora do pais e não pedir fluencia e dizer se vira para continuar fluente, é muito dificil se manter bom em ingles estando no brasil, aulas de ingles? pessoas fazem aula de ingles 2 vezes por semana 1-2h por vez, são as unicas horas que eles realmente falam ingles.

Lingua é algo facil de aprender no papel, agora vá entender um chines falando em ingles, sendo que o ingles dele é pior que o seu, se voce é fluente voce deveria entender qualquer tipo de ingles.

Desculpa o texto grande, mais é revoltante pessoas que fazem escolinhas de ingles por 10 anos, sabem conjugar o verbo to be e acham que são fluentes, ai voce vai conversar o cara ainda traduz mentalmente pro portugues e parece um gago falando.

Lucas Alcântara
4

Bom tema para um artigo. parabéns, Jackson Caset.
Lucas Arruda, meu querido. Não seja tão rígido! O seu comentário já demonstra que o seu nível em inglês é considerado por qualquer escola e qualquer empresa como fluente. Isso porquê existe uma fronteira entre o ser fluente e uma língua nativa. O que você acha ser o real fluente é uma coisa muito complexa pois são característica do domínio de um idioma nativo.
Hoje já podemos ver escolas ensinando em duas línguas desde os 2 aninhos das crianças mas o que acontece é que na casa dela não vão falar inglês e na rua idem. Então ela terá uma facilidade incrível e será considerada fluente se der seguimento aos estudos, mas ainda assim não será seu idioma nativo. É complicado, mas o principal é você conseguir o que disse, falar, escrever e ouvir bem o suficiente para ter um bom diálogo contínuo e possa utilizar isto na sua carreira profissional.

Jaques
6

Concordo contigo, sem inglês não adianta, o profissional estará limitado a obter informações, certificações, oportunidades sempre como se fosse em segunda mão. Alguns profissionais acham que apenas domínio de áreas específicas de TI asseguram um lugar ao sol, ledo engano, estarão fadados a um vida profissional instável. Morei por dois anos no exterior atualmente sou professor de inglês estudo a lingua a 12 anos e ainda assim o tempo para me considerar seguro em inglês supera o tempo que levei para me considerar seguro em TI.

Bia
7

Amigo Lucas Arruda, “fluencia é saber mais de 5 formas de falar a mesma coisa”? Nao sei de onde vc tirou isso, mas me parece um pouco exagerado. Nao me considero fluente em ingles, pois falar nem sempre é facil, pois nao tem muito como praticar, mas acho que avançado já é uma boa definição do meu conhecimento. Já li varios livros em ingles, mas demoro um pouco.
Acho que para manter uma lingua estrangeira tem que praticar. No mínimo o ouvido e de preferencia a leitura também. Escutar ingles é super facil. Tem filme adoidado por aí. O problema da maioria das pessoas é que assistem dublado, por nao entender nada ou pouco e preguiça de ler.
Eu treinei muito o ouvido na epoca em que eu assistia NBA e nao tinha narração em português. Agora assisto filme sem legente tranquilamente, perco pouquissimas coisas.
Se voce tem facilidade para falar, acredito que vc poderia se considerar fluente sim. E concordo que exigir fluencia é abusivo.

Anderson Martins
8

O que acho mais difícil é achar oportunidades para ir pra fora por empresas daqui, sempre procuro essas oportunidades e não acho.
Quanto ao ser fluente não precisa ser tão rígido, se vc pensa em inglês e conversa sem travar qualquer empresa vai te considerar fluente, e o resto vem naturalmente.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">