Minimum Marketable Feature – A arte de pensar simples e entregar valor

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Participo de muitos projetos onde reinam incertezas e riscos, muitas reuniões feitas, muitas coletas de requisitos efetuadas, muitas tentativas de se estabelecer um plano detalhado e imutável.

A pergunta que costumo fazer é: “Qual é o MMF deste projeto ?”.

Ok, você vai me perguntar: “Mas Vitor, o que quer dizer MMF ?”

MMF significa Minimum Marketable Feature. Traduzindo: mínima funcionalidade comercializável. MMF também é conhecido por alguns como MVP (Minimum Viable Product), mínimo produto viável.

projeto-ideias-funcionalidades-pensar-simples

Exemplo: Qual o MMF de um aparelho de telefone celular? Um aparelho que ligue, desligue, faça e receba chamadas, permita falar e escutar. As funcionalidades adicionais como Wi-Fi, Internet 4G, joguinhos, bluetooth, TV digital são consideradas como “Exciters” (conceito da Análise de Kano, leia mais em http://en.wikipedia.org/wiki/Kano_model).

Levando esse conceito para o universo dos projetos: qual é a menor funcionalidade que o produto do meu projeto precisa ter para que já obtenha retorno financeiro mesmo sendo lançado sem todas as suas funcionalidades previstas? É a famosa regra de Pareto em prática, onde 20% do esforço produz 80% do valor.

Depois de identificado o Minimum Marketable Feature do projeto, fica bem mais fácil traçar a estratégia para identificar e determinar os demais entregáveis do projeto.

Muito se fala sobre os métodos e frameworks ágeis, sobre seus conceitos de entregas incrementais e adaptativas, Sprints, Scrum Master, cerimônias, Daily Scrum, time auto-organizado. Tudo é muitíssimo válido, porém, de nada resolverá se houver dificuldade em identificar o MMF ou mesmo identificar o MMF errado, senão você corre o risco de cair neste sempre clássico e atual modelo:

scope

É fácil identificar o MMF de um projeto? Sim, desde que você pratique a arte do “pensar simples”. Porém, cuidado: “pensar simples” não significa “pensar pouco”, ter “preguiça de pensar” ou simplesmente “não pensar”. Se você cair nessa cilada, vai deixar de entregar valor ao seu cliente e comprometer o andamento do projeto!

Por isso, mais do que nunca você precisa ter um bom Product Owner para filtrar os desejos de todos os stakeholders envolvidos, pensar simples, identificar o MMF e traçar a estratégia para as demais entregas de valor.

Abraços e até o próximo artigo

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Vitor Massari

Mais artigos deste autor »

Profissional com mais de 15 anos de experiência em projetos de software. Sócio-proprietário da Hiflex Consultoria, profissional PMP e agilista, acredita no equilíbrio entre as várias metodologias e frameworks voltados para gerenciamento de projetos.
Lema: "Agilista convicto sempre, agilista obcecado jamais"


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">