Pronto para aumentar a temperatura do CPD?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

A premissa de que a Sala de Servidores, também conhecida como CPD (Centro de Processamento de Dados), precisa ser mais fria possível já não tem tanta lógica se acompanharmos a evolução tecnológica dos equipamentos atuais. Esse pensamento faz com que os conceitos de Green IT sejam levados em consideração na hora de escolher qual temperatura a sala de servidores terá, reduzindo ao máximo os custos e emissão de poluentes causados pelo uso de ar-condicionados. Mas como fazer isso?

green-it-temperatura-cpd-data-center

Precisamos entender que a evolução dos computadores e dos seus componentes não está apenas ligada ao ganho de desempenho e capacidade de armazenamento, mas que existem outros fatores a serem observados. Um destes fatores é a necessidade de resfriamento ao qual profissionais de TI devem se atentar. Uma das primeiras coisas a aprendermos é que altas temperaturas de operação podem provocar danos permanentes nos componentes ou DownTime, momento em que o computador desliga sozinho para se proteger de danos sérios provocados por aquecimento excessivo.

Atualmente a preocupação das fabricantes em utilizar equipamentos que utilizem o mínimo de energia, mas que ainda assim apresente desempenho superior, é muito grande, principalmente para as que precisam se manter em conformidade com normas de Green IT. Apenas a nível de comparação, um computador em uso com Pentium 4 trabalha a  69ºC e um i3 fica em no máximo 65º com média de 40ºc, mesmo utilizando metade da energia do primeiro e ainda assim conseguindo maior poder de processamento.

Existem diversos fatores que influenciam a temperatura de funcionamento de eletrônicos e alguns deles são: potência de operação, se esta potência  é auto ajustável – quando existe o controle automático da intensidade de uso dos seus recursos-,  a parcela do projeto destinada ao uso de espaços e alternativas de resfriamento e os materiais utilizados no seu processo de fabricação. Esses e outros fatores irão influenciar na temperatura média em uso e o quão eficaz será a influência da temperatura externa para seu resfriamento.

Quando a sala é pensada desde o seu projeto para ser um CPD, é muito mais fácil, pois, geralmente, são criadas áreas destinadas à ventilação para controle de temperatura e umidade utilizando não só ar condicionados, mas também equipamentos específicos e até mesmo dissipadores. Já em salas comuns, sem esse tipo de estrutura, é necessário existir um controle adaptado ao espaço utilizado.

Atualmente, a maioria das salas de servidores são apenas deixadas à temperatura mais baixa possível, seguindo as primeiras teorias criadas. Facilmente encontramos salas com 6 m² e dois servidores à 17ºc. Isso é mais simples e funciona, porém, em contrapartida, cria contas exacerbadas de energia e aumento de orçamento com manutenção dos ar-condicionados.

Para entendermos o quanto essas antigas premissas ou costumes já estão começando a  se extinguir, crescendo cada vez mais a quantidade de empresas que utilizam fontes renováveis de energia e métodos de resfriamento naturais, vou deixar exemplos de empresas que já pensam nisso como alternativas de redução de custos e redução de poluentes:  Google, Facebook que já informou economia de mais de 200 mil dólares por ano com as modificações realizadas em métodos de resfriamento, DELL e a IBM. A Microsoft, segundo o site Computer World conseguiu economia de 250 mil dólares por ano, aumentando a temperatura apenas em dois a quatro graus, a depender a época do ano.

“Instalamos controles de temperatura inteligentes, usamos técnicas de “resfriamento gratuito”, como o uso de ar externo, ou água reutilizada para refrigeração, e reprojetamos a forma como a energia é distribuída para reduzir a perda de energia desnecessária” (Google)

Mas como escolher a temperatura de um Data Center que não foi projetado com corredores/dutos  de ventilação específicos?

Saindo um pouco do sonho de super estruturas em grande empresas, como devo proceder caso meu data center não tenha sido projetado, seja simples e não tenha controle moderado de temperatura? É muito simples mas, antes de alterarmos o ar-condicionado, precisaremos coletar algumas informações:

Seguindo pela teoria de pontos de temperatura extremas, precisamos definir 3 números:

  1. Temperatura da área mais fria da sala (geralmente onde não existem pessoas nem equipamentos em pontos baixos)
  2. Da área mais quente (geralmente próximo à saída de ar do rack e dos servidores e em pontos altos)
  3. E a do ponto máximo que é a interna dos servidores (processadores)

O que devemos levar em consideração para chegar a uma temperatura final adequada:

Precisaremos de um termômetro, encontrado facilmente no mercado, de preferência com indicador de umidade.

  • Manter controlada a umidade do ambiente, conforme descrito pelo fabricante de servidores (comumente de 40% a 50%)
  • A diferença entre a mais baixa e a mais alta não deve ser maior que 4º. Se isso acontecer, deverá  instalar um dissipador que deixe as temperaturas mais niveladas, ao aumentar a troca de ar entre os dois pontos.
  • A temperatura do processador deve estar na média indicada pelo fabricante e estar com recursos de auto balanceamento ativos. Outros recursos controlados pelo sistema operacional também devem ser ativos, como no Windows em Opções Avançadas de Energia. Para saber a temperatura do processador poderá contar com os seguintes softwares: RealTemp, Open HardwareMonitor e CoreTemp.
  • Levar em consideração a temperatura ideal para as baterias utilizadas pelos nobreaks e, caso tenha um gerenciador deles, consultar a temperatura ao longo dos testes.

Agora que já sabe as temperaturas, basta ajustar o seu ar para que tudo esteja de acordo e nivelado como os padrões ideais. Para chegar a este valor, deverá fazer avaliação periódica durante dois ou três dias e diversas vezes. Quando encontrar todos os valores estabilizados em número ideal, aumente de 1  até 2 graus para que tenha folga em momentos de processamento crítico quando as temperaturas aumentam.

Recentemente aumentei em 6 graus o ar do CPD, trabalhando ainda com a sala bem fria e todos os números em modo ideal.

Talvez você deixe o seu chefe bem feliz com uma boa redução na conta de energia e sem prejudicar os seus equipamentos.

Participem deixando suas experiências e outros métodos que podem auxiliar na tomada desta decisão.

Grande Abraço.

Lembrem-se: Este artigo deve ser considerado como um estudo específico, pois não existe um número ideal para ser utilizado em qualquer CPD. Não esqueçam de levar em consideração as baterias, pois alguns estudos dizem que o seu funcionamento e durabilidade pode ser alterada com a temperatura.

Imagem via Shutterstock

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Lucas Alcântara

Mais artigos deste autor »

Profissional formado em Gestão de Redes de Computadores, MCP ( Microsoft Certified Professional), ITIL V3 2011 Foundation, Green IT Citizen - EXIN Certification, Certificado HDI Support Center Analyst e Especialista em Gestão da Segurança da Informação. Interessado e se aperfeiçoando na área de Segurança e Soluções de Infra.
"Levo o conhecimento muito a sério e com o pensamento de que o compartilhamento deve ser feito sempre que possível, pois sempre terá algo a aprender tanto quanto a ensinar."


8 Comentários

Diego
1

Tenho uma duvida. Sou leigo e novo no quesito TI. Trabalho em uma instituição onde por falta de espaço tiveram que colocar a minha sala no CPD. A sala contém Ar Condicionado ligado 24h, porem as vezes reparo que os cooler dos esquipamentos liga automática, creio que por falta de resfriamento. A sala também contem cadeiras e equipamentos de informática, mas tudo de forma organizada. Tem algum problema, sobre o que eu falei, qual analisa você poderia estar fazendo, ou seja, qual seu ponto de vista sobre isso que falei. Reparei também que a sala contem um estabilizador, mas o Rack da CPD não tem um no-break, é preciso ter? Fico no aguardo.

Rafael
3

Boa tarde, Lucas, eu gostaria de ajuda com um projeto, uma pessoa tem um pequeno comercio e solicitou um projeto de cpd com um file server, eu gostaria de um auxilio para formulular uma proposta e até uma apresentação. Abraço

Vitor Reis
4

Olá Lucas, estou com uma dúvida. Temos um CPD com 2 servidores físicos, um PABX e um nobreak de 5Kva. Nosso ar condicionado não é lá essas coisas (http://www.extra.com.br/areventilacao/ArCondicionado/ArCondicionadoPortatil/Ar-Condicionado-Olimpia-Splendid-Issimo-Portatil-Frio-13-000-BTUs-39029.html) e tem como temperatura média 25 °C o que não é muito ideal. E pra piorar a situação estamos com um projeto e NECESSITAMOS colocar um banco de baterias no nosso nobreak mas estou preocupado com a temperatura do ambiente. O que posso fazer ?

Lucas Alcântara Autor do Post
5

Olá, Vitor Reis.

Pelo que percebi, você já tem tudo que precisa saber. A temperatura média do seu CPD é de 25º e tem no-break com intenção de comprar baterias extras. O ideal é que você procure informações com o fabricante do no-break e das baterias, saber neste caso qual a temperatura ideal para uso delas. Alguns testes confirmaram que altas temperaturas podem diminuir consideravelmente a vida útil das baterias. Lembre-se de que a temperatura medida na sala, muito provavelmente, é ainda menor que a temperatura interna ao seu equipamento.

Se a temperatura não estiver de acordo com as especificações de uso ideal do seu equipamento, você não terá muitas alternativas além de investir em resfriamento.

Espero ter ajudado. Grande abraço e boa sorte

Débora
6

Lucas,

Em um datacenter que possui um corredor de ar frio e um corredor de ar quente, qual eu devo medir e controlar, o de ar frio ou o de ar quente? Qual a melhor maneira de distribuir os sensores de temperatura e umidade nessa sala?

Leandro
7

Olá lucas, minha dúvida é o seguinte: Estou montando uma sala 2×2 para colocar um rack.
nesse rack vai conter: 3 server / 2 switch / 1 dvr / 1 central telefônica.
tem uma sala de câmara fria ao lado quero reutilizar o ar dessa câmara fria para economizar e não deixar ar condicionado ligado.
quais os problemas vou ter com essa umidade ou consigo controlar isso?
e como?
desde já muito obrigado
t+

wanessa celys
8

Lucas como vai? Muito interessante as questões que aborda aqui.
Sou acadêmica de Arquitetura e Urbanismo e estou projetando no momento meu projeto de graduação,que será um Museu com área equivalente a 2.000 m². Estou com muitas dúvidas a respeito do dimensionamento da sala para CPD. Todo o conceito do Museu, materiais e tecnologias aplicadas estão voltadas a sustentabilidade. Então queria se possível primeiro que me ajudasse na questão do dimensionamento,tendo em vista que o museu contará com muitas exposições virtuais e a outra questão é quanto ao sistema de ar condicionado escolhido para sessa área,se poderá ser o mesmo adotado no restante do edifício, eu estou usando VRF Volume de Refrigerante Variável.
Agradeço imensamente se obter resposta e o mais breve possível!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">