Um papo sobre certificações: dicas, mitos e dificuldades – Parte 1

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Olá amigos do PTI,

Muitos alunos constantemente me perguntam sobre dicas, ciladas e dificuldades de diversas certificações do mercado.

Visando dar uma diretriz não só para eles, mas para os diversos interessados n o assunto, vou dedicar o artigo de hoje a falar um pouco sobre algumas certificações em ordem de dificuldade/complexidade e minhas impressões sobre elas.

certificacao-estudo-profissao-mercado

Claro que não vou abordar aqui todas as certificações existentes e este artigo estará longe de ser algo como um “guia definitivo” sobre o assunto certificação. É apenas minha visão sobre algumas certificações.

1) PMP – Project Management Professional

A mais difícil das certificações.
O exame em si não é tão difícil assim, mas tem muito conteúdo teórico para ser assimilado e exige um preparo de 2 a 3 meses para encarar o exame.

Dicas:

  • Dedicar-se de 2 a 3 meses para estudar p/ valer p/ o exame
  • Ser bem seletivo com relação ao curso preparatório. Tem opções aos montes por aí, mas verifique o CV e histórico do instrutor no meio de gerenciamento de projetos e como certificador.
  • Leia este artigo dedicado somente à dicas para esta certificação
  • Que tal dar uma espiada no curso preparatório online oferecido através da parceria entre Hiflex Consultoria e PTI?

Mitos:

  • “Preciso ser gerente de projeto experiente para fazer a prova?”. Não. Claro que contribui e torna a prova mais fácil. Quanto menor sua experiência em projetos, maior será seu tempo de estudo.
  • “A prova é difícil demais. Quase ninguém passa”. A prova exige um longo tempo de estudo. Se você seguir o roteiro indicado acima, metade do seu caminho está trilhado. Agora prepare-se fisicamente e psicologicamente para o exame, pois é um verdadeiro tour-de-force. Você gasta quase 4 horas de exame para responder 200 perguntas.

Dificuldade: Alta. É um exame que exige muito estudo e dedicação!

2) PSM – Professional Scrum Master

Na minha opinião é a mais difícil das certificações em Agile/Scrum. Provinha bem traiçoeira, alto % de acerto exigido para certificação (85% de 80 perguntas) e tempo curtíssimo (60 minutos, ou seja, 45 segundos por questão).

Dicas:

  • Ler bastante o Scrum Guide e o livro Agile Project Management With Scrum do Ken Schwaber para que você entenda o Scrum na ótica do órgão certificador Scrum.Org.
  • São raríssimos os cursos preparatórios (oficiais da Scrum.Org e não-oficiais) para esta certificação. Caso encontre algum, certifique-se do histórico do instrutor e faça!
  • Dá para encarar a prova com auto-estudo também. Neste caso, tente contatar um amigo ou conhecido que seja PSM para orientá-lo e te fornecer um bom coaching.

Mitos:

  • “É uma prova de fundamentos. Se eu decorar o Scrum Guide eu passo”. Negativo, quanto mais você tiver experiência em Agile/Scrum, maior será sua facilidade na prova.
  • “Fiz o curso preparatório e não passei! Que porcaria de curso”. Cuidado, um bom curso dá dicas e explica as armadilhas na prova, além de preparar o aluno através de simulados, mas não ensina o aluno a responder questões em 45 segundos e nem ensina o aluno e ler/escrever em Inglês. Digo isso, pois tempo e o idioma têm sido as maiores causas de reprova de alunos meus.

Dificuldade: Alta

3) PMI-ACP (Agile Certified Practitioner)

É a certificação em métodos ágeis aplicada pelo PMI (Project Management Institute). Atualmente é a certificação com maior índice de crescimento no mundo, mais até que a certificação PMP.

Dicas:

  • Entender os grupos de processos e áreas de conhecimento do PMBOK ajuda a fazer o “de-para” da abordagem tradicional de projetos para a abordagem ágil.
  • Ler um bom livro preparatório. Neste caso, gostaria de indicar o meu livro Gerenciamento Ágil de Projetos, primeiro livro preparatório para a certificação em Português.
  • Fazer um bom curso preparatório. São poucos os existentes no Brasil, mais raros ainda aqueles que adotam conteúdo próprio.

Mitos:

  • “Puxa, é uma prova do PMI. Deve ser tão difícil ou até mais difícil que o PMP”. Por incrível que pareça, é uma prova absurdamente mais fácil que o PMP. O foco maior é em questões de conceito do que questões situacionais. Além disso, você não irá se deparar com longas questões cheias de pegadinhas, com cálculos de caminho crítico ou cálculos complexos de Earned Value.
  • “PMI falando de gerenciamento ágil?? Faz-me rir!!” Sim, e é perfeitamente possível você entender como cada prática ágil é aderente a cada processo do PMBOK. Deixe o preconceito de lado!

Dificuldade: Média

To be continued…

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Vitor Massari

Mais artigos deste autor »

Profissional com mais de 15 anos de experiência em projetos de software. Sócio-proprietário da Hiflex Consultoria, profissional PMP e agilista, acredita no equilíbrio entre as várias metodologias e frameworks voltados para gerenciamento de projetos.
Lema: "Agilista convicto sempre, agilista obcecado jamais"


4 Comentários

Leonardo Ortiz
1

Sugestão, envolva mais pessoas! Assim você pode montar um “banco de dados” bem completinho, sei que tem gente aqui com várias certificações tanto na parte de projeto quanto na parte operacional (técnica), então da para montar um material bem interessante.

Abraços!

Vagner
3

Vitor, qual delas considera mais importante e que vai agregar mais valor ao profissional no cenário que estamos vivendo atualmente?

Vitor MassariVitor Massari Autor do Post
4

Olá Vagner !

Depende da área que você está trabalhando.

Se você trabalha voltado em gestão de serviços, recomendo partir p/ ITIL e COBIT.

Se trabalha com projetos de TI ou projetos de inovação recomendo partir p/ PMI-ACP e EXIN ASF.

Se trabalha com outros tipos de projeto (construção civil, engenharia) recomendo partir para o PMP.

E se a verba permitir, tire todas ! :-)

Abraços,
Vitor Massari

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">