TI: Entre sobrinhos crescidos e garagens oportunistas [PARTE 02]

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Se você continuar a guardar seu carro na garagem para protegê-lo da chuva, quem irá ficar no mal tempo será você e sua empresa.

Leia a parte 1 aqui.

Não pense que comprar 20 novos notebooks para sua equipe ser mais produtiva gera um gasto enorme. Primeiro por que, segundo a Teoria dos Custos, o custo é todo gasto envolvido no processo produtivo, sem ele você não produz seu produto. E não contrate um diretor financeiro com o objetivo de reduzir custos. Mantenha o foco no ponto de equilíbrio, que é justamente a faixa onde se maximiza o lucro da empresa mas mantendo o pé no freio para não gastar demais. Você simplesmente não deve vetar os investimentos sob a alegação de cortar custos.

O ponto principal não é o quanto você injeta de dinheiro, e sim se você está colocando no lugar certo. O importante para seu negócio é quanto sai de caixa ou o quanto você quer que entre? Se você continuar contratando mais operacional e menos estratégico você precisará construir um prédio para abrigar todo mundo.

Já passei por empresa que começou há 4 anos com apenas 1 funcionário, hoje tem em torno de 700 e o faturamento na casa do Bilhão. Sorte? O diferencial está na mentalidade dos tomadores de decisão que criaram o ambiente para isso. Chamo isso de resultado. 15% dos funcionários estão só no setor de TI.

Há alguns anos atrás o símbolo da boa ideia era uma lâmpada acessa, hoje é sinal de desperdício.

Se você não está preparado para estar enganado e perceber que o mundo muda e continua mudando a cada instante, você continuará sendo o dono da razão e afastará ainda mais as pessoas talentosas e os clientes de você.

“Seis décadas desde a revolução do computador, quatro décadas desde a invenção do microprocessador e duas décadas para a ascensão da Internet moderna, toda a tecnologia necessária para transformar as indústrias através de software finalmente funciona e pode ser amplamente entregue em escala global.” – Marc Andreessen (investidor do Facebook, Groupon, Skype, Twitter, Zynga, FourSquare e Linkedin).

Invista em software! Tenha sua própria equipe de TI!

Nada de contratar estas fábricas de software que alegam ter uma incrível expertise em tecnologia e dizem que seu custo com pessoal será reduzido. Isso é modelo fordista! Você estará contratando uma bela equipe comercial para te vender algo feito por analistas de desenvolvimento em sua maioria apertadores de botão (sobrinhos) que irão seguir aquilo que foi planejado meses atrás e só irá ser validado no mercado muitos meses à frente e não fazem a mínima ideia do que é sua empresa.

Por isto eu até acho bem oportuno serem chamadas de fábricas de software.
Algumas delas até mencionam alguns prêmios que receberam sobre processos de gestão x ou y. Mas pense, quem quer prêmios é você e quem irá concedê-los são seus clientes e colaboradores.

Aprenda a unir a expertise do seu negócio com o desenvolvimento de software próprio e que atenda aos seus processos operacionais e estratégicos. Contratando sua própria TI você terá gente que queira entregar o melhor de si, pois enxerga um potencial de crescimento pessoal vencendo as dificuldades que você enfrenta no dia-a-dia de sua empresa. Terceirizando, você lidará com pessoas que sabem que serão demitidas ao entregar o projeto e elas postergarão isso o quanto puderem e às vezes deixam uma surpresinha no código que irá refletir lá na frente – simplesmente por que na fábrica não há um funcionário para auditar a própria segurança do código! Soa absurdo porque é!

Você quer economizar com pessoal? Contrate meia dúzia de desenvolvedores bons e em 2 meses, quando começarem a entregar o café com leite do MVP (Minimal Viable Product), já foram automatizados um monte de processos manuais executados por uma dúzia de funcionários sobrinhos de outros setores e ao mesmo tempo praticando o PDCA (Ciclo da Melhoria Contínua – Plan, Do, Check, Act).

Como diz o artigo que sugeri anteriormente, cujo citei acima, o software está comendo o mundo como conhecíamos. Crie software, hackeie sua empresa, entregue o melhor aos seus clientes. E quando você tiver o melhor produto frente à concorrência, lembre-se: Alguém em alguma garagem estará de olho em uma demanda sua que você ainda não entrega aos seus clientes.

Não espere que estes “garagistas” hackeiem sua empresa para encontrar os buracos onde possam montar uma startup de 50 dólares. Monte você a sua dentro do seu próprio negócio.

Tenha gente que hackeie sua própria empresa para encontrar oportunidades para o seu negócio.

Deixo a vocês o poder de decisão sobre o próximo artigo:

  1. O setor de RH da sua empresa está preparado para o mundo do software?
  2. Como posso hackear minha própria empresa? O que é isso?
AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Eduardo Le Masson

Mais artigos deste autor »

Bacharelando em Sistemas de Informação pela UNESA, Hacker e desenvolvedor de software sênior, evangelista de Scrum e Lean atuando em projetos de inovação e estratégicos em empresas como Hotel Urbano, PUC-RIO, Startups e atualmente na Afilio. Acredita que a tecnologia não tem um fim em si mesmo e sim na entrega de valor para pessoas e organizações.


2 Comentários

Luiz Fernando
1

Belo artigo parabéns.
Meu voto fica na alternativa : 2 – Como posso hackear minha própria empresa? O que é isso?

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">