Certificação PMP – A experiência de conquistá-la pela 2ª vez

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Eu acredito que não sou o primeiro e nem serei o último a ter perdido uma certificação. Isso aconteceu comigo em relação a minha certificação PMP, obtida inicialmente no ano de 2006. Independente do motivo que me levou ao descredenciamento, esse fato causou muito incomodo, pois ainda me lembro do esforço que foi para conquista-la e da importância que a mesma tem em nossa qualificação profissional.

Consciente da estupidez que cometi, organizei-me e iniciei o cumprimento das etapas para me tornar elegível para realizar a prova. Optei por fazer novamente um curso preparatório. Fiz a aplicação de minha experiência como gerente de projetos junto ao PMI e obtive a minha elegibilidade. Para alguns, a experiência de sentar novamente em sala de aula e rever todos os tópicos que abrangem a prova pode ser desgastante, mas para mim foi muito interessante, principalmente por poder trocar novas experiências com profissionais das mais variadas áreas.

Imagem via Shutterstock

Imagem via Shutterstock

Tão logo tive o sinal verde do PMI, agendei a prova e dei continuidade a minha rotina de estudo até a véspera da mesma. Não há como negar que existe um certo nervosismo quando vamos ser avaliados, porém, o mesmo sumiu quando me sentei diante do computador e iniciei a prova. A confiança no meu conhecimento teórico aliado a prática adquirida me imbuíam da certeza de um resultado positivo. E foi com essa certeza que fiz as questões. O tempo previsto para a realização da prova passou como um raio e ao final, o clique para obter o resultado. Nesse momento, há a sensação de que cada minuto de espera passa a ter 180 segundos, ao invés nos normais 60. Bem, o tão esperado resultado veio na tela e…

NÃO PASSEI!!!

É isso mesmo, não passei na prova. O abalo emocional que me abateu foi forte, afinal, eu já obtive anteriormente essa certificação e teoricamente possuía as qualificações necessárias para obtê-la novamente. Os pensamentos mais sabotadores possíveis se alojaram em minha mente e não foi fácil lidar com eles, porém, além do fato de provavelmente não ter estudado o suficiente, existia um motivo mais grave que me levou a esse fracasso.

Fui para um intercambio nos EUA e lá, pensando “fora da caixa”, pude identificar que o que ocorreu comigo foi o que de pior poderia ter acontecido. Eu me deixei levar pela prepotência de ter experiência prática e negligenciei pontos importantes a serem estudados para a prova. Faltou humildade da minha parte.

Retornei da minha viagem e agendei de imediato uma nova prova, após estimar o tempo para rever toda a matéria. Iniciei novamente minha rotina de estudos, porém, agora com a percepção de que precisava olhar para esse desafio como se fosse a primeira vez. E foi assim que fiz.

E novamente vem o dia da prova, o nervosismo inicial, a execução das questões, o tempo passando como um raio, o clique final para saber o resultado e óbvio, a sensação de que o tempo de espera do resultado é muito maior que o que realmente é. E o resultado veio…

APROVADO!!!

A lição aprendida que tiro desse episódio é que sempre temos que ter muito cuidado com as percepções equivocadas que caminham mascaradas com a nossa experiência e que foco, planejamento, perseverança e disciplina continuam sendo elementos essenciais para alcançar qualquer objetivo que desejamos.

Ah! Antes que me perguntem…  Sim, tive medo de falhar novamente na prova.

Desejo boa sorte e sucesso a todos.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Joao Luiz Souza

Mais artigos deste autor »

Bacharel em Ciências da Computação com MBA Executivo em Gestão de Negócios, atua há mais de 20 anos no segmento de serviços nas áreas de Tecnologia da Informação (TI) e Telecomunicações, ocupando posições de liderança com responsabilidade sobre a negociação e administração de contratos de prestação de serviços, gestão de equipes multidisciplinares, gestão de projetos e processos, corresponsabilidade na conquista de novos clientes, relacionamento com clientes e fornecedores. Possui diversas certificações, entre elas PMP e ITIL e atuou como instrutor certificado pela IBM/Lotus em diversos cursos voltados a área tecnológica.


2 Comentários

Alexandre Luis VignadoAlexandre Luis Vignado
1

João, parabéns pelo artigo e pela reconquista da certificação.

No meu caso, relatei no meu artigo com dicas para o exame uma situação semelhante.

Durante os estudos para a certificação, percebi que não estava indo bem em questões situacionais (estava usando o fastrack da rmc). Depois de analisar bem, percebi que estava errando questões por colocar minha experiência acima do que é solicitado ou tido como “correto” pelo PMBOK.

Isso aconteceu pois mesmo que uma ação funcione em um projeto, não significa que seja o recomendado pelo PMBOK e a certificação cobra justamente isso, experiência real mas alinhado ao PMBOK.

Tive que “desligar” a chave mental do mundo real e aceitar que certas ações minhas, mesmo que tendo funcionado, estavam incorretas segundo as boas práticas. Neste ponto, meus simulados que estavam em 60%, foram para 90%.

Assim, consegui conquistar a certificação na primeira tentativa em 2014. Esta foi minha maior dificuldade no exame PMP, diferenciar o que acontece no mundo real com o que é proposto para ele, já que boa parte da condução do projeto é feita por pessoas que não necessariamente conhecem estas práticas, gerando eventuais desvios nos trabalhos do gerente.

Com este conceito em mente, conquistei a PMI-ACP este ano, já que apesar da flexibilidade dos métodos ágeis temos o mesmo problema: Nem tudo o que praticamos no mundo real está aderente às práticas cobradas também no exame pmi-acp de 2015.

Abraços!

Joao Luiz Souza Autor do Post
2

Olá Alexandre, boa noite!

Tudo bem? Obrigado pelo seu contato. Fico feliz que tenha gostado do relato. O meu objetivo foi motivar pessoas que estão passando ou venham a passar por essa situação.

Realmente, enquanto não conseguimos pensar com a “cabeça do PMI” tudo fica mais difícil. O que ocorreu com você foi o mesmo que ocorreu comigo. O importante é que superamos e conseguimos passar essa experiência para outros.

Agora vou focar em obter a certificação PMI_ACP já que atuei na gestão de projetos com essa prática.

Abraços e sucesso!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">