3 erros a serem evitados ao ingressar numa faculdade de TI

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Imagine passar meses juntando dinheiro para concretizar um sonho. Esperar ansiosamente é quase uma tortura até que finalmente chega o dia de realizar a compra do seu tão sonhado carro. Mas quando finalmente você vai utilizar, percebe que o veiculo está com defeito e você terá que levar para garantia e esperar até 30 dias para resolver o problema. O relato até parece a descrição de um daqueles programas cujo tema é a defesa do consumidor… O sentimento predominante é frustração.

Imagem via Shutterstock

Imagem via Shutterstock

Semelhantemente a uma pessoa que compra um objeto e têm expectativas positivas, um recém egresso em uma faculdade de TI também tem muitas expectativas a cerca do seu futuro, tais como: bom salário, oportunidade de trabalhar, bons ambientes de trabalhos, crescimento, etc.… Contudo, ao passo que um objeto que compramos, em caso de defeito, pode obter conserto ou o dinheiro de volta, uma expectativa frustrada ao termino de um curso superior não é tão simples de se resolver. Neste artigo quero expor 3 erros que, se evitados, podem ajudar a obter bons resultados no mercado de trabalho e desta forma poder aproveitar uma profissão que gera milhares de oportunidades. 

1 – Escolher o curso baseado em quanto vai ganhar

Muitas vezes a grande mídia divulga noticias acerca da área de informática sobre oportunidades com valores de salários bem generosos e as pessoas visualizam e tomam a decisão baseado principalmente no aspecto vaga/salário. Mas, tem uma coisa muito importante a considerar: tomar a decisão baseado na sua vocação. A palavra vocação vem do latim vocare que significa chamado, é como se fosse uma voz interior que te chama, então quando atendemos essa voz interior é um caminho para satisfação pessoal.

Sempre observei que as pessoas que alcançaram notoriedade pela competência excepcional com a qual realizam suas atividades, sejam esportivas ou empresarias, possuem uma característica: amor ao que se faz! Observei que quando amamos o que fazemos somos levados a fazer cada vez melhor. Existe uma pesquisa realizada pelo professor Mark Albion e divulgada no livro Making a Life, Making a Living (Warner Business Books, 2000, ainda não publicada no Brasil) que ilustra claramente a importância do respeito à vocação e aos valores das escolhas que uma pessoa faz ao longo da carreira.

Nela, 1.500 profissionais que haviam concluído um Master in Business Administration (MBA), vinte anos antes nas melhores escolas americanas, relataram as prioridades em suas escolhas profissionais: 83% optaram pelo emprego em função do salário. Os 17% restantes optaram por aquilo que mais lhe davam prazer, independente da vida financeira. Vinte anos depois, Albion foi verificar como estava a carreira desses profissionais.  Dos 1.500, 101 tornaram-se milionários. Destes, apenas 1 pertencia ao grupo que fez a escolha orientada pelo dinheiro, todos os demais viraram milionários trabalhando no que gostavam.

Uma vocação verdadeira vai lhe proporcionar um ânimo extra para superar os obstáculos naturais do trabalho, encontrar caminhos diferentes onde outros não vêem saída, iniciativa para sempre buscar o seu melhor. Essas são características básicas para o profissional se destacar em qualquer área.

2 – Achar que Faculdade de TI  é a capacitação completa ao mercado de trabalho

O erro nesta declaração é incluir a palavra “completa”. A formação superior é um passo importante, pois estrutura a base do conhecimento e o aluno pode ter uma visão geral. É uma abordagem da ciência e conceitos que serão úteis durante toda a vida profissional. Não pretendo aqui julgar o modelo de educação, mas existe uma grande diferença entre o que o mercado exige e de fato como estão saindo os formandos.

Basear a formação apenas na faculdade é decretar que terá sérios problemas para entrar e se manter no mercado.

O cientista chefe do C.E.S.A.R, Silvio Meira, em uma entrevista intitulada “Por uma universidade revolucionaria”, diz:

A Universidade pode ter um papel revolucionário, ao invés de ser apenas um depósito de alunos e professores e uma impressora de diplomas entregues a aspirantes a vagas em concursos públicos.

Portanto, entender que é necessário ter uma atitude empreendedora é muito importante, mas o que é uma atitude empreendedora? Atividades que produzam resultados práticos. Por exemplo, se você faz um curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas, não precisa esperar até o último semestre para tentar criar um sistema, muito pelo contrário, a partir do primeiro semestre já comece a desenvolver algo interessante e que seja útil. Para isso você vai ver que terá que procurar livros, cursos, pessoas mais experientes, ou seja, terá que realmente entender como a coisa funciona. Esteja envolvido em grupos de estudos, procure por estágios. É muito importante entender que há o momento de focar na parte financeira e o momento que terá que focar na obtenção do conhecimento! Foque na parte financeira apenas quando dominar e entregar ao mercado valor e garantia de um excelente serviço.

Pode ter certeza que possuir um mãos um aplicativo ou um sistema que seja realmente útil é muito melhor aceito no mercado do que o diploma de curso superior ou certificações.

3 – Terminando a faculdade já terei um bom emprego e salário

“Todos querem ganhar medalhas de ouro, mas poucos querem treinar na intensidade necessária para conquistá-las” Mark Spitz (Conquistou 11 medalhas olímpicas).

É fato que a área de tecnologia traz inúmeras oportunidades, que inclusive são amplamente noticiadas, contudo, o que não é bem explicado é que para alcançar é preciso muito esforço e tempo. Essa informação confronta com essa geração z, que tem o perfil mais imediatista. Portanto, tentar explicar a um jovem que simplesmente ele vai precisar de mais um tempo de estágio para amadurecer e assim obter oportunidades melhores, talvez não seja o que ele queira ouvir.

Ao passo que os que entendem que primeiro precisam dominar as ferramentas para alcançar as melhores oportunidades vão ter uma vantagem estratégica, mesmo que isso signifique abdicar de algumas coisas e ter um pouco mais de paciência. Prepare-se para estudar no longo prazo! O importante é aproveitar cada passo, cada estágio, cada projeto. O crescimento será conseqüência de um bom trabalho.

Conclusão

Lógico que o assunto é extenso e podem ser inseridos muitos outros itens. Não foi meu objetivo aqui cobrir todo o tema, mas simplesmente orientar os novos colegas de área a alcançarem seus objetivos e, enfim, ao término do curso com o “canudo” nas mãos, não apenas contemplar um pedaço de papel, mas a finalização de um ciclo e início de outro com muitas oportunidades.

Muito mais que comprar um objeto e ter expectativas, concluir uma faculdade é realização de uma vida e motivo de orgulho, principalmente para a família. Fechar esse ciclo com a possibilidade de sucesso é um sonho.

“Sim, o poeta Kahil Gibran está certo: o trabalho é o amor que se torna visível. Aliás, em hebraico, a palavra utilizada para designar trabalho é abador. Diferentemente do latim tripaliare, que significa torturar, abador significa “servir a Deus”. Que bom seria se toda a humanidade pudesse desfrutar da consciência de que cada ato profissional é uma forma de realizar nosso compromisso com o Criador!” Roberto Shinyashiky

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

André Marinho

Mais artigos deste autor »

Consultor de tecnologia da informação e professor, há 20 anos atua no setor de T.I passando por diversas atividades: manutenção de equipamentos, infraestrutura e desenvolvimento de sistemas.


15 Comentários

Rodrigo Marchezini
1

André, fantástico esse seu artigo. O que você disse vai me ajudar muito, neste meu encerramento de um ciclo, e início do outro. Acabei de terminar a faculdade e agora meu foco são as certificações e amadurecimento profissional. As citações de autores e referências de livros foram muito assertivas neste artigo. Obrigado, parabéns e sucesso!

Raphael
3

Muito bom o texto. Me identifiquei com o que foi escrito.
Sempre trabalhei com T.I desde que me entendo por gente.
Antes de entrar na faculdade de Redes de Computadores eu não pesquisei o mercado dessa área. Simplesmente optei por fazer a faculdade pois desde pequeno mexia com computadores. Consegui me formar com muito sacrifício, Me sentia orgulhoso de ter conseguido terminar a faculdade. Mas esse orgulho acabou quando fui procurar um emprego na área de Redes.
Eu todo feliz achando que ia conseguir um emprego bom e só me ferrava .
As empresas de hoje em dia não dão oportunidade pra quem ta começando na área. Pra conseguir um emprego é preciso ter certificações CISCO, MICROSOFT e o escambau.
Ja fazem 3 anos que me formei e trabalho com Suporte Técnico e no meu dia-a-dia não mexo com quase nada da área de redes. Eu já decidi que não quero continuar mais nessa área. Vou estudar pra concurso e se eu passar, ADEUS T.I
Só quis comentar minha breve historia.. Abraços e parabéns pelo site !!!

Marcia
4

Me ajudou bastante seu artigo. Trabalhei a vida toda na área comercial, mais por força das circunstâncias do que por vocação. Sempre quis fazer algo que pudesse ter a minha marca, mas sempre acabei indo pro caminho que parecia mais fácil de fazer ou ganhar dinheiro. Fiz dois semestres de Comércio Exterior e mais 4 de Ciências Contábeis e percebi que por mais que o mercado estivesse aquecido, não conseguiria trabalhar num ramo em que só lida com burocracia.
Estou estudando HTML e quero me especializar em Front-End e Mobile, mas sei que a faculdade é premissa e vai me dar bagagem técnica e estrutura pra entrar no mercado , porém como disse, quero programar então preciso me especializar em alguma linguagem.
Por causa da minha experiência profissional já ouvi pessoas me dizendo que eu não era ‘capaz’ de ficar na frente de um PC x horas pra desenvolver um programa, pois tenho o ‘perfil’ de uma pessoa extrovertida e por ser uma área sob domínio masculino eu me sentiria um peixe fora d’água, e outros ‘conselhos’ igualmente negativos. Sempre gostei de estudar e principalmente, adoro fazer algo que as pessoas identificam como ‘meu’, então acredito que desenvolver sistemas vai me realizar enquanto profissional.

Roger
5

Excelente texto, não tenho palavras para descrever o quão inspirado fiquei e ver que minha cabeça está indo no caminho certo. Pretendo cursar engenharia da computação em breve mas no momento não tenho tanto conhecimento ou fundos para criar algo realmente útil, mas, desde de já estou adquirindo novas experiências. Obrigado pelo texto.

Leandro Israel
6

Parabéns André!
Artigo valioso!!! Quem dera eu recebesse estas orientações durante meu curso!
Que muitos possam ler, e consequentemente mudar o rumo nos estudos e depois no mercado!

Claudio
7

Estou no meu ultimo ano no curso de Engenharia de Software(Bacharel) e estou apanhando um bocado para achar emprego na area, talvez por morar onde considero ser uma cidade universitária (Maringa-PR) e por ter 33 anos, morei 14 anos no Japão, fica concorrido as vagas e as empresas preferem gente mais nova, mão de obra universitária por aqui não falta.
Sou da primeira turma do Estado do Paraná que irá se formar em Engenharia de Software, ou seja as empresas por aqui não tem tanto conhecimento sobre este curso já que é novo.

Pessoalmente se pudesse voltar atrás teria escolhido algum outro curso como ADS.

Estou contando a minha história apenas para lembrar que cursos novos as vezes não são uma boa ! Já que as empresas não tem conhecimento do que o curso novo pode oferecer em conhecimento para a empresa!
Atenciosamente Claudio.

Celso H.
8

Na minha opinião o mercado de T.I funciona em maior parte em ênfase em um determinado produto de uma marca do que nos conceitos importantes abordados nas graduações. O que isso quer dizer? Quer dizer que se você quer trabalhar com Redes de Computadores você tem que ser especialista em uma determinada tecnologia que utiliza esses conceitos, como por exemplo, Cisco CCNA. A faculdade você usa para aprender os conceitos e estagiar para pegar experiência. No caso de Engenharia de Software, cai na mesma questão, como é um curso voltado ao desenvolvimento, o que se espera é que a pessoa seja especialista em alguma linguagem de programação como Java, C#, Delphi, PhP, e na faculdade você faz estágios que trabalhem com isso. Se não for assim, é quase que certo de não conseguir colocação no mercado de trabalho.

Roberson
9

No teorico tudo é lindo, perfeito. A realidade de profissionais de TI no brasil é outra. Muito desvalorizado. Sempre temos que estar estudando, o que não é errado, pelço contrário. Você faz sua graduação com tanta determinação, sonhando com um futuro melhor. Continua estudando e investindo na sua carreira é muito caro por sinal, falo isso com base na Pós Graduação que estou á concluir este ano. Já possuo alguns anos de experiência em TI e no local que trabalhava, pois estou largando por um determinado tempo, casaço e estresse, vejo que ali ainda era o “menino da ti”. Quantos mil já não saíram do meu bolso investidos na minha profissão é pra que ? até agora não obtive retorno, reconhecimento não tem mesmo. Empresas, não generalizando. Grande parte apenas querem jovens recém formados para explora-los, desgasta-los e tornando um profissional frustado com a área de TI. Eu gosto, escolhi essa profissão, porém vejo que tenho muito treinamento super caros pra realizar e quem sabe sobrar algum troco pra tirar certificação profissional, pois as provas grande parte são pagas em dolares por serem instituições americanas etc. Faço aulas de inglês particulares com professor Americano nativo e pra que ? pra não se ter o minimo valor e se você já e um pouco avançado na questão idade, seu valor cai mais ainda, uma pena pois isso acontece aqui no Brasil, nos USA por exemplo, uma pessoa de 50 anos, suponhamos ainda pode desfrutar muito e trabalhar com toda vitalidade e saúde.

Sabe porque ainda invisto em mim, mesmo já estando desiludido com a área, mesmo não tendo retorno que acreditei ser possível ter. Investimentos estes super elevados ao que ganho. Sabe porque, ainda gosto do que faço, com que trabalho me da satisfação ver um problema solucionado vindos de um resultado que aprendi adquiridos ao longo do tempo com estudos e pratica.

O meu desejo mesmo era sair fora do país e poder dar o melhor para minha familia. Desde que este país fale o idioma inglês, para mim esta ótimo. Se não, o investimento que estou fazendo até hoje no inglês pagos em dolares, seria em vão. Por enquanto não obtive um centavo de retorno do que já investi. Mas valeu como aprendizado.

temis
10

O ideal seria todos deixarem de ter um pesamento só na forma como o mercado assalariado trabalha atualmente e investir e estudar novas formas de se trabalhar, por mais que seja preciso desistir de seu trabalho acomodado ou aquele empreguinho em que você não faz quase nada, o ideal seria empreender e partir para a luta em busca de novas soluções que o mercado precisa. Nos da TI não fomos muito orientados a trabalhar muito com “pessoas” e devemos um pouco mudar essa visão, porque a tecnologia esta em tudo, e o gerenciamento do conhecimento para a melhor solução no momento é o que esta mais em alta hoje em dia. Claro que podemos ter uma linguagem preferida ou uma forma de trabalho especifica ao qual gostamos, mas a realidade afora pode não agradar. Então para termos sucesso em algo que gostamos e ao mesmo tempo conseguir dinheiro, temos que encontrar, por meio de buscas, analises, investimentos, onde inserir o conhecimento que amamos no ambiente em que estamos inseridos, para poder se ter o sucesso tão desejado.

fernando
11

olá estou a iniciar uma facul dobre TI me ajude a identificar qual a melhor opção. Qual a diferença de analises de sistema e gestão de TI

Thiago
12

Parabéns pelo artigo, penso exatamente dessa maneira, estou cursando o 4º semestre em Redes de Computadores e as vezes fico chateado com algumas empresas na área.

Não tenho muita experiência em TI, portanto estou a procura de um estágio em infraestrutura, mas a exigência é muita, tem que ser seletivo mas não dessa maneira, enfim, sinto que será quase impossível conquistar um estágio nessa condição.

Afinal, que souber de alguma vaga de estágio em redes, por favor, ajude.

Excelente canal de contato, mais uma vez, parabéns pelo artigo.

André Marinho Autor do Post
13

Fernando,

A área de informática é ampla, geralmente confunde o estudante em qual curso escolher. Geralmente as explicações começam detalhando o objetivo de cada curso em uma rápida pesquisa na internet você vai encontrar um monte de artigos desse tipo.

Contudo vou começar pergunta a você, o que você gosta de fazer? Por exemplo, já experimentou programar? Se não tente code.org ou http://www.codecademy.com/pt. Caso não tenha gostado da experiência, então provavelmente Analise e Desenvolvimento de Sistemas não será sua melhor escolha, pois o curso é totalmente voltado a formar programadores.

Essa explicação apenas elimina uma escolha, mas temos muitas outras, como por exemplo, gestão de T.I curso com enfoque de formar administradores do ambiente tecnológico, curso bem voltado a processos, gestão de projeto, boas práticas etc..

Uma dica além de escolher um curso ao qual você tenha afinidade é observar se na sua região tem demanda dessa habilidade. Bom além do curso que citamos temos ainda outros como: Ciência da Computação, Rede de Computadores etc…

Ivair
14

Roberson, Parabéns pelo seu comentário. O investimento pra crescer na área é muito grande,e no final, é pra nada, pois os salarios são péssimos, em qualquer area que vc for atuar, digo em nivel de brasil. Quero ver na hora que o cara tiver que bancar uma casa, uma familia, essa área é complicada. Abraço

Luis Carlos
15

Muito obrigado pelo o artigo, André. Vou ingressar na UFPI no curso de Ciência da Computação, e isso me motivou bastante.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>