Líderes que inspiram em silêncio

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Dia desses li a seguinte frase “Eduque pelo exemplo!” e fiquei refletindo sobre a aplicação dessa frase no âmbito corporativo.

Concluí que a mesma se aplica com perfeição. Então, comecei a lembrar dos grandes líderes que tive ao longo da minha trajetória profissional, que me motivaram a evoluir sem me dizer nenhuma palavra.

Eu tive líderes que me ensinaram por meio de seus exemplos, em silêncio, na mais perfeita harmonia entre seus valores e suas atitudes.

Imagem via Shutterstock

Imagem via Shutterstock

Meu grande mentor na área de gerenciamento de projetos, despertou em mim a importância da autoconfiança e do autocontrole. Através da forma com a qual ele lidava com o sucesso e o insucesso dos projetos, eu observava como ele agia: centrado, procurando o aprendizado em cada situação, buscando aprender com os erros e aperfeiçoar a si mesmo bem como ao seu time. E, na próxima oportunidade, ele aplicava o que tinha aprendido buscando melhorar os resultados.

Observando sua forma de agir comecei a ter consciência de que ser extremamente emotiva e passional sobre os fatos que ocorriam no trabalho não me ajudaria em nada, pelo contrário, apenas somatizaria essas dificuldades e colheria doenças e desgaste emocional para mim. Logo, aprender que mesmo no fracasso e nos erros temos que nos manter firmes e confiantes foi uma lição fundamental para mim e para os bons resultados que colhi no futuro em outras situações difíceis.

Outra grande líder que me influenciou muito foi a minha gestora do meu primeiro estágio em um banco público, o setor em que atuávamos tratava de dívida e tomada de patrimônios para quitações, ou seja, não eram fáceis as situações que enfrentávamos diariamente. E ela não tinha – em grande parte da equipe – pessoas engajadas e comprometidas como ela, porém, isso não influenciava em nada a forma como ela imprimia qualidade e profissionalismo em seus resultados. Com isso, aprendi que não importa como os demais da equipe ou da empresa atuam, a excelência dos meus resultados está associada ao que compete a mim, portanto, tudo aquilo que passar pelas minhas mãos deve ser feito com o melhor que conseguir produzir.

Ao passar do tempo, levei esses bons exemplos comigo e pratiquei o mesmo com aqueles liderados por mim, e, com muita satisfação, hoje estes profissionais encontram-se alocados em boas empresas e se destacam por seu profissionalismo e qualidade dos resultados. De certa forma, acredito que contribuí para inspirá-los em doar o melhor de si sempre – independente das situações que estejam enfrentando.

Muito melhor do que falar frases feitas, emoldurar sua certificação na parede, falar palavras bonitas nas reuniões de acompanhamento, exigir, cobrar resultado, as suas atitudes falam mais alto que tudo isso, elas são capazes de inspirar em silêncio. Hoje deixo a seguinte reflexão:

“Será que você está sendo um bom exemplo para sua equipe?”

Uma dica final: se você almeja um posto de liderança comece desde já a construir sua imagem através de bons exemplos. Faça da Excelência a sua marca registrada.

Fale menos, faça muito mais (e melhor).

Sucesso!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Carolina Souza

Mais artigos deste autor »

Especialista em Gestão de Carreira Empresarial, em Gerenciamento de Projetos [PMP] e Engenharia de Requisitos [CPRE-FL] com 14 anos de vivência no mundo corporativo, atua como consultora, palestrante e mentora nas áreas de gestão, liderança, processos operacionais e desempenho de equipes. Colunista de revista e site especializados em TI.


12 Comentários

Maria ElenaMaria Elena
2

Olá Carolina!

Muito bom o seu texto!
Vemos que os líderes de hoje é que moldam os líderes de amanhã.
A liderança é como a educação de uma criança, onde é necessário aprender com os seus erros e crescer com eles, aprender a reagir de forma coerente e muitas outras situações.
Já tive líderes na vida pessoal e profissional que com atitudes me passaram lições que cresceram comigo.
Meu medo são os líderes “tóxicos” que contaminam seus liderados e os transformam em profissionais deprimidos e desmotivados.
Penso que esses mesmos líderes tóxicos podem nos ensinar, por exemplos, o que não devemos fazer!

Abraço!

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
5

Olá Gabriel,

Puxa que bacana seu comentário! Muito obrigada!

Fico feliz de saber que minha experiência contribui para sua carreira.

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
6

Olá Maria Elena,

Você acertou no alvo: o “líder” tóxico pode sim contribuir negativamente para o bem-estar e o desempenho da sua equipe. Um grande problema que sempre existiu, e, infelizmente, acredito que continuará a existir em alguma empresa. O importante é conseguir mostrar que eles são na verdade contra-exemplos ao time para que estes não se moldem de forma errada e passem a espalhar essa forma equivocada de liderar em sua trajetória.

Muito obrigada pelo seu comentário.

Abraços.

Eduardo Fernandes
7

Excelente reflexão! Parabéns pelo texto. O trecho a seguir foi a melhor parte “aprendi que não importa como os demais da equipe ou da empresa atuam, a excelência dos meus resultados está associada ao que compete a mim, portanto, tudo aquilo que passar pelas minhas mãos deve ser feito com o melhor que conseguir produzir.”.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
8

Olá Eduardo.

Muito obrigada =)

Também gosto muito desse trecho porque ele retrata a minha marca pessoal.

Abraços.

Enéas Souza
11

Olá Carolina Souza!!

Jesus inspirava as pessoas a sua volta pelo exemplo de lider-servidor que era e é.

Parabéns…me apaixonei pelo seus textos…rsrsrs…

Deus abençoe!!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">